Anomia – Significado, Características e Exemplos

As transformações sociais sempre atraíram os sociólogos, que almejam compreender como os mecanismos de uma sociedade e seus indivíduos se relacionam, provocando mudanças importantes, e como tais processos acabam afetando o desenvolvimento e o andamento da evolução humana.

Isso vale tanto para os avanços proporcionados pelas inovações tecnológicas e seus impactos na sociedade, quanto para os problemas decorrentes de tais transformações e o quanto os indivíduos acabavam sofrendo nesse cenário.

Um dos principais sociólogos a estudar tais fenômenos foi Émile Durkheim (1858 – 1917). Ele sempre buscou analisar a relação entre os sujeitos e a coletividade, o impacto desta última nos indivíduos, como o consenso é produzido e como as pessoas agiam a partir das determinações feitas pelo coletivo.

E dentro disso está o conceito de anomia, que é quando algum problema ocorre na relação entre as normas sociais e os sujeitos. Neste artigo, trataremos do que é anomia, suas causas, características e alguns exemplos para um pleno entendimento.

Anomia

O que é anomia?

O conceito de anomia surgiu pela primeira vez no livro Da Divisão Social do Trabalho (1893), sendo também estudado em Suicídio (1897). Durkheim também abordou o assunto em 1902, na obra A Educação Moral, que tratou do papel da moral para combater o estado anômico.

Em suma, anomia é quando ocorre a falta ou mesmo a desintegração das normas sociais. Para o sociólogo francês, a anomia ocorre quando os vínculos sociais se enfraquecem e quando há a perda de capacidade da própria sociedade em regular o comportamento de seus sujeitos, o que pode levar a fenômenos extremos como o suicídio.

Enfim, esse problema evidencia a ausência de um conjunto de normas sociais que sirvam para normatizar o convívio social, enfocando na solidariedade entre os indivíduos.

Em suas obras, o autor destacou, ainda, que a anomia era apenas uma etapa temporária, fruto de transformações sociais velozes que geravam a perda da fé e a desconexão das tradições. Esse processo é superado quando os grupos de interesse acabam por definir novas regras para reorganizar aquilo que está desajustado no seio da sociedade, além de reforçar as tradições ou criar novas.

Dessa forma, a anomia é uma característica das sociedades modernas, um mal crônico gerado pelas mudanças sociais que provocam desajustes sociais e que são motivados pela falta de uma consciência coletiva que ajude a carregar todos os seus partícipes.

Anomia

Características: anomia em Durkheim, Merton e Marx

Como consequência da anomia de Durkheim, as rápidas transformações sociais quebram o ritmo e a uniformidade dos pensamentos e comportamentos, já que as referências e normas sociais não são mais respeitadas. Isso gera enorme frustração e ansiedade, levando a uma ausência de clareza e desorientação pessoal.

O sociólogo estadunidense Robert Merton (1910 – 2003) deu prosseguimento à concepção de anomia desenvolvida por Durkheim ao evidenciar que as pessoas têm o costume de abandonar as regras para poderem satisfazer os próprios desejos. Para ele, a anomia surge em decorrência da falta de perspectivas diante de diversas aspirações determinadas pela sociedade, que acabam não sendo alcançadas.

Outro autor que vai trabalhar com aspectos semelhantes a esse conceito é o alemão Karl Marx (1818 – 1883). No entanto, Marx desenvolveu o que ficou conhecido como “alienação social”, gerada a partir da relação de dominação entre a classe dominante e o proletariado e da desumanização do sujeito social por conta do dinheiro.

Os problemas relacionados ao trabalho assalariado estariam alienando o indivíduo, afastando a sua essência e a das outras pessoas. Isso acabaria por prejudicar a existência humana, levada cada vez mais à dor psicológica e ao isolamento social.

Exemplos de anomia

Anomia

A anomia pode ser exemplificada de diversas maneiras. A perda da fé em uma religião, em deus ou na própria sociedade, por exemplo, pode levar a pessoa a ter comportamentos mais extremados, violentos, incompatíveis com as normas da sociedade. Isso pode levar o indivíduo a dois caminhos: autoisolamento e suicídio ou crime – e, em alguns casos, até mesmo ao terrorismo.

Outro exemplo é quando um empresário, que costuma cumprir a lei com rigor, muda o seu comportamento e adota métodos irregulares para prejudicar uma empresa competidora. Isso acaba levando o indivíduo a cortar relações com outras empresas e pessoas de seu negócio, gerando uma maior ansiedade e também um enorme isolamento.

Há analistas que avaliam que o Brasil estaria em estado de anomia, sem perspectivas e com um grande sentimento de pessimismo diante do que virá. Tudo por causa de um grave quadro de crise política e econômica que o país atravessa já há alguns anos, sendo extremamente polarizado e cada vez mais violento. O problema é que isso torna uma sociedade e um país mais vulneráveis a ameaças, sejam elas internas ou mesmo externas.

Conclusão

A anomia é um estado que coloca em grave crise social um país, já que as normas não são mais respeitadas e os padrões e as aspirações culturais são questionados.

Um país no qual muitos de seus cidadãos vivem sob essa condição pode ser um perigo e põe em alerta a sociedade, que precisa ficar atenta sobre quais rumos está tomando. Seres humanos desacreditados e sem esperança podem até mesmo pôr em colapso o convívio social.


Rodrigo Herrero Lopes

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply