Lobo – Características do animal: espécies (tipos), sobrevivência e curiosidades

Os lobos são animais mamíferos carnívoros da família Canidae. A aparência desse bicho é muito semelhante à dos cachorros domésticos, uma vez que são parentes próximos. O que os difere é o porte bruto acompanhado das características selvagens dos lobos, que os tornam um excelente predador.

Tipos – As 6 espécies de lobos mais conhecidas

No mundo, existem cerca de 41 espécies de lobo. Elas se diferem em tamanho, cor e tipo de pelagem, bem como o habitat em que se encontram. Dessas, somente o  lobo-cinzento, o lobo-vermelho (Canis rufus) e o lobo-etíope (Canis simensis) são espécies classificadas como lobos, os demais são considerados subespécies.

Sendo assim, abaixo, seguem as características das seis espécies mais comuns de lobos ao redor do mundo:

1 – Lobo Cinzento

As principais características dessa espécie são os dentes afiados, os quais podem perfurar profundidades até três vezes maiores do que um cão comum. Além disso, possuem o focinho um pouco mais estreito e são pouco sociáveis com outros mamíferos, preferindo viver sempre em bando.

Apesar do nome, o lobo cinzento também pode ser encontrado nas cores branca, preto e vermelho.

lobo cinzento espécie

2 – Lobo do ártico

A maior parte dessa espécie habita as regiões frias, como Pólo Ártico, Alasca e Canadá. A pelagem branca característica serve para camuflá-lo na neve e trazer-lhe facilidades na hora de caçar suas presas, sendo as preferidas renas e bois almiscarados.

Por conseguir sobreviver às baixíssimas temperaturas, esse tipo de lobo possui uma camada a mais de gordura no corpo. Além disso, suas orelhas também são adaptadas ao frio, sendo uma menores e mais peludas para suportar o vento ártico.

lobo ártico

3 – Lobo árabe

Como já diz o nome, habitam, sobretudo, a Península Arábica e algumas localidades da Europa Oriental. Entre todas as espécies, essa é a de menor estatura, sendo também a menos preparada para climas frios: possuem pelos ralos e controlam a temperatura corporal somente por meio da respiração ofegante.

lobo árabe espécie

4 – Lobo Vermelho

A espécie é caracterizada pela pelagem marrom avermelhada, acompanhada de uma mancha branca ao redor da boca. Em relação às suas características, são os que possuem a estrutura hierárquica de alcateia mais complexa, tendo uma capacidade de comunicação que vai além de uivos e linguagem corporal.

Atualmente, encontram-se em risco de extinção, uma vez que seu habitat natural, nas Carolinas do Sul e do Norte, Estados Unidos, têm uma forte cultura de caça aos lobos – tradição que se fundamentou no medo de ataques do animal desde o período de colonização das Américas.

lobo vermelho espécie

5 – Lobo etíope

A raça é exclusiva da África, sendo a espécie mais dócil entre todos os lobos – decerto, porque sua alimentação é baseada na caça de pequenos mamíferos e roedores, como ratos e lebres.

lobo etíope espécie

6 – Lobo Guará

O lobo Guará é um mamífero característico do Cerrado brasileiro, considerado a maior espécie de canídeo das Américas. Assim como os etíopes, são dóceis e se relacionam facilmente com os humanos.

Seu habitat natural é a Mata Atlântica e o Cerrado, presente nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná, mas, devido ao desmatamento, entrou em extinção e pode ser visto somente em zoológicos e centros de controle de animais.

lobo guará

Também são espécies de lobos:

  • Himalaio;
  • Indiano;
  • Levantino;
  • Italiano;
  • Romeno;
  • Russo;
  • Lobo da estepe;
  • Tibetano;
  • Lobo de Honshu;
  • Mexicano;
  • De Terra Nova;
  • Da pradaria e
  • Da Tundra americana.

Característica dos lobos

O porte  físico dos lobos é feito para a caça: caninos preparados para quebrar ossos de cordeiros, visão noturna e olfato cem vezes melhor do que o humano, sem contar que pesam de 30 a 80 kg, conseguem correr a 70km/h durante a caça e possuem alta capacidade de comunicação e sobrevivência baseada no convívio social.

Grande parte das espécies de lobos vivem em grupos (alcateias), que podem ir de dois a 36 membros. Todos eles respeitam uma organização hierárquica, na qual o macho alfa (que possui maior capacidade de caça) anda sempre atrás para conseguir alertar sobre os perigos e vigiar a trupe. Quando o macho alfa morre, o grupo passa a ser liderado pelo segundo mais poderoso da alcateia, chamado de beta.

Enquanto isso, os mais velhos, enfermos e filhotes andam na frente, devendo serem cuidados por todo o grupo, independente dos graus de parentesco.

Cada lobo possui uma determinada função dentro dos grupos. Os ômegas, por exemplo, são como bode expiatórios: ficam somente observando se tudo está sobre o controle e, por isso, devem comer por último. As fêmeas, por sua vez, exercem o papel de babás e devem cuidar do bem-estar dos demais, fiscalizando a saúde dos filhotes e dos idosos.

O tamanho dos grupos varia conforme a disponibilidade de alimento e o tamanho do território, o qual é delimitado por meio de disputas físicas com outros animais e por demarcação da região com uso de urina e fezes.

organização da alcateia

A comunicação corporal dos lobos

Além de sua incrível organização populacional, os lobos também possuem excelentes habilidades de comunicação. Eles conseguem conversar entre si com o uso de gestos corporais e sons que se assemelham à fala.

Mostrar os dentes ou as garras é sinal de raiva, por exemplo. Já manter o rabo dentro das pernas é sinal de medo (assim como os cachorros). No entanto, se um lobo mantém a cabeça baixa quando está na presença de outro lobo, é porque está sinalizando que o respeita.

O uivo também é um método de comunicação poderoso entre os lobos, uma vez que pode ser escutado há quilômetros de distância. No entanto, ao contrário das lendas populares, os lobos não emitem esse som nas diferentes fases da lua, e sim para reunir a alcateia, seja por conta de perigo iminente ou para que possam descansar juntos.

Reprodução

A reprodução desses animais ocorre entre os meses de janeiro e abril. Entre eles são as fêmeas que escolhem os seus parceiros que, muitas vezes, perduram por toda a vida, numa relação monogâmica.

Uma vez por ano, elas entram no cio, que dura, em média, 14 dias, período no qual ocorre o acasalamento. A gestação dura em torno de 60 dias, podendo gerar até 14 filhotes de uma só vez. Quando chega a hora de dar à luz, as fêmeas escondem-se, sob proteção do macho alfa, em cavernas ou tocas e só saem  de lá depois de duas semanas do nascimento, quando os filhotes deixam de ser amamentados e passam a ser cuidados por todos os membros da alcateia.

reprodução dos lobos

Habitat

Os lobos desenvolveram-se em diversos ambientes, como florestas temperadas, desertos, montanhas, tundras, taigas, campos e, até mesmo, algumas áreas urbanas

Alimentação

Esses mamíferos são animais carnívoros e pedradores. Nos locais onde habitam, estão no topo da cadeia alimentar, uma vez que são excelentes caçadores e conseguem adaptar a  alimentação a diversos tipos de carne animal.

Alimentação dos Lobos

A caça aos lobos

Antes do século XX, os lobos estiveram envolvidos em diversas mortes massivas. Em uma ocasião, na França, mataram 681 pessoas sozinhos, o que colaborou para que se tornassem conhecidos como animais violentos.

No entanto, como o tempo, provou-se que os lobos não são grandes ameaças aos humanos. Na América do Norte, por exemplo, foram somente 2 ataques fatais nos últimos 100 anos, sendo que há mais vítimas de mortes decorrentes de vacas do que de lobos. Mesmo assim, os lobos não deixaram de ser o alvo de caçadores em Estados Unidos, Brasil e Rússia.

Somente entre os anos de 1870 a 1877 mais de 100 mil lobos foram mortos pela caça nos Estados Unidos, segundo dados da ONG International Wolf Center. Tamanha devastação fez com que alguns estados reduzissem a população de lobos a 30 ou 50 animais.

Atualmente, há um processo intenso de conscientização, feito por organizações de proteção animal, para a preservação das espécies e da vida dos lobos, em todas as localidades do mundo.

caça aos lobos

5 curiosidades sobre os lobos

  • Os lobos comem cerca de 10kg por dia;
  • Caminham mais de 20km diariamente;
  • Os uivos dos lobos servem para a comunicação entre os mesmos – sempre que o fazem, é com o intuito de alertar sobre algum perigo ou comunicar a presença de uma presa, ou seja, não é verdade que uivam para a lua;
  • A mordida de um lobo possui o dobro da pressão exercida pela de um cachorro;
  • Nas alcateias, todos os lobos são responsáveis pelos filhotes, não somente os pais;
  • Esse animais podem caçar por três dias diretos, sem descanso.

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply