Misantropia – O que é? É doença? Definição e Exemplos

Muitas pessoas que não gostam de frequentar lugares com muita gente, que têm poucos amigos ou que preferem uma vida mais “caseira” são conhecidas como antissociais. O fato é que, em algumas pessoas, essa vontade de isolamento pode ser bem mais intensa, e para esses casos damos o nome de Misantropia.

O que é misantropia?

Misantropia

Misantropia é uma característica psicológica, marcada pelo sentimento de aversão ao ser humano ou à sua natureza, motivada por uma vontade de isolamento, alienação social ou simplesmente desprezo pelas características da sociedade.

O termo também é indicado para designar pessoas que apresentam demasiada desconfiança com relação a outras e, devido a esse sentimento, podem ter alguma dificuldade para viver em sociedade.

Embora a psicologia venha estudando o tema, as causas que levam uma pessoa a viver essa condição ainda não são muito claras. Podem estar relacionadas com o medo ou a insegurança de se relacionar com outras pessoas, de não ser aceito ou por não se enquadrar em determinados padrões ou comportamentos impostos pela sociedade, etc.

Essa “aversão” sentida pelo misantropo não pode ser confundida com formas de preconceito, xenofobia, etc, pois não se refere a um grupo específico de pessoas.

Conceito

A palavra misantropia vem do grego, resultado da junção dos termos anthropos (ser humano) com misos (ódio), portanto, ódio ao ser humano. Embora o termo se refira a ódio, raramente os misantropos têm atitudes violentas.

Características

Misantropia

Existem várias características que identificam um misantropo em seus diferentes níveis, tais como:

  • Aversão ao ser humano e ao convívio social;
  • Isolamento;
  • Pouca empatia e timidez;
  • Desconfiança excessiva com relação a outras pessoas;
  • Ironia e sarcasmo;
  • Inteligência e raciocínio lógico rápido.

A misantropia, normalmente, aparece já na infância, em crianças tímidas, introvertidas e caladas, com dificuldades em fazer amigos. Essas pessoas costumam ser muito observadoras e atentas a tudo o que acontece à sua volta. Também costumam ser muito inteligentes, possuindo um raciocínio puramente lógico, e se destacam por terem uma excelente memória.

Quando adultos, preferem ficar em casa a sair para se divertir. São pessoas que não gostam de grande agitação ao seu redor, pois não se sentem bem diante de muita gente. É possível que ocorram frequentes mudanças de humor, alternando felicidade com melancolia.

Normalmente, são muito perfeccionistas no que gostam de fazer e no que se comprometem a fazer. Apesar da tendência ao isolamento, os misantropos se relacionam com familiares e pessoas mais próximas. É comum misantropos serem vistos como pessoas antipáticas e arrogantes.

Um detalhe interessante é o fato de que os misantropos não reconhecem em si essa condição. Para a maioria deles, a solidão e o isolamento não são algo ruim, ao contrário, é uma espécie de refúgio, no qual eles se sentem seguros e podem ser eles mesmos, sem se preocupar com padrões impostos pela sociedade, e sem terem que se comportar da forma como os outros acham correta.

Como se manifesta?

Misantropia

A misantropia se apresenta de diversas formas. Em geral, o misantropo é apenas uma pessoa introvertida e desconfiada, que fala pouco e não é afeita aos padrões da sociedade, por isso, prefere viver de maneira mais reservada, convivendo com um pequeno círculo de pessoas mais próximas, como familiares e alguns poucos amigos.

Porém, em casos mais extremos, indivíduos com essa condição podem optar por uma vida em total isolamento, longe de qualquer tipo de convívio social, ou mesmo cometer atos de violência.

Exemplos de misantropos famosos

  • Ludwig Van Beethoven, compositor alemão do século XVIII;
  • Arthur Schopenhauer, filósofo alemão do século do XIX;
  • Charles Baudelaire, poeta e escritor francês;
  • Oscar Wilde, escritor, poeta e dramaturgo britânico;
  • Salvador Dalí, pintor surrealista catalão;
  • Stanley Kubrick, cineasta estadunidense;
  • Alan Moore, escritor e quadrinista britânico;
  • Friedrich Nietzsche, filósofo alemão.

Misantropia não é doença

Misantropia não é uma doença, portanto não existe uma cura. Cabe às pessoas mais próximas tentarem aceitá-lo como ele é, e ao misantropo tentar, na medida do possível, ser mais flexível.

Nos casos em que a misantropia possa estar atrapalhando demais a vida da pessoa, é possível buscar ajuda com psicólogos, que podem auxiliar a amenizar a situação ou trabalhar em pontos específicos. Mas, de fato, um misantropo, provavelmente, sempre será um misantropo.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Um comentário

  • Rubens disse:

    eu descobri hj a minha misantropia. Me enquandro em quase tudo, a excessão das mudanças de humor. Sou exigente demais com as pessoas, não suporto burrice, gosto da solidão, gosto de aprender, tenho uma perspicacia aguçada.

Deixe seu Comentário

WebGo Content