Mobilidade Social – O que é? Formação e Exemplos

A mobilidade social é um conceito muito importante dentro da Sociologia e que dialoga com vários aspectos da vida em sociedade. Essa categoria de análise ajuda a compreender como as pessoas se movimentam dentro da sociedade, principalmente no âmbito socioeconômico. Com ela, é possível entender o quanto um país é justo e igualitário.

A partir do estudo da mobilidade social pode-se verificar a capacidade de um país de promover ascensão social aos atores sociais, elemento relevante para o desenvolvimento mais equânime de uma sociedade e, por consequência, de uma nação.

O que é mobilidade social?

Mobilidade social

A mobilidade social indica a possibilidade que os vários estratos da sociedade possuem de se deslocarem em posições socioeconômicas distintas dentro da sociedade. Esse conceito permite que se estude e se compreenda os caminhos e as possibilidades de troca, ascensão ou rebaixamento de um sujeito entre os diversos estratos, a partir de sua relação no meio em que vive.

No artigo Mobilidade social uma avaliação comparativa, o economista, cientista político e ex-ministro da República, Luiz Carlos Bresser Pereira, define que a mobilidade social está conectada com o processo de desenvolvimento econômico.

De forma mais ampla, ele afirma que a mobilidade social faz relação com o processo de “racionalização econômica e social”, que é representado pelo capitalismo e pela consequente crise dos sistemas tradicionais que colapsaram para a chegada do sistema econômico atualmente predominante.

Formação

É importante registrar que, antes do surgimento do capitalismo, e em algumas sociedades de castas ou estamentos ainda atuais, se mostra praticamente inexistente a mobilidade social, pois a posição social do indivíduo foi definida ao nascer e não pode ser mudada.

Já no capitalismo, predominante nas sociedades ditas modernas e, em especial, nos países ocidentais, é possível verificar essa mobilidade nos diversos níveis.

“O capitalismo, simplesmente, reorganizou e tornou mais flexível o sistema de privilégios, deslocando seu eixo dos fatores tradicionais para os fatores econômicos, deixando claro que desenvolvimento econômico e um certo grau de mobilidade social estão indissoluvelmente ligados. O desenvolvimento econômico é, ao mesmo tempo, causa e consequência da mobilidade social. À medida que aumenta a produtividade social, que a tecnologia se desenvolve, que a sociedade se moderniza e se racionaliza, a mobilidade social tende a aumentar”, sentencia Bresser Pereira.

Mobilidade social

Exemplos de mobilidade social

Para tratar de exemplos de mobilidade social, é importante abordar a respeito de seus tipos, em especial a mobilidade social horizontal e vertical.

Na mobilidade social horizontal, o indivíduo troca de posição dentro de um certo grupo, mas se mantém no mesmo estrato social. Um exemplo para este caso é o do morador de um condomínio que se torna síndico. Ou seja, a pessoa não eleva substancialmente a sua renda mensal ao se tornar síndico, porém, observa que a sua posição social é maior em relação aos condôminos, isto é, sua imagem simbólica dentro daquele grupo social é maior justamente devido ao cargo que ela ocupa.

Já a mobilidade social vertical ocorre quando a pessoa ou mesmo o grupo social muda de nível ou mesmo de estrato social. Um exemplo bastante comum é quando o indivíduo que trabalhava em um emprego com uma qualificação mais simples e, portanto, um salário menor, faz um curso superior e, ao término deste, consegue um emprego de acordo com a nova qualificação.

Assim, ele vai passar a receber um salário maior e ascender de classe. Outro exemplo é se o indivíduo estudou bastante para passar em um concurso público em um cargo muito concorrido e com uma ótima remuneração. Caso ele seja aprovado, o indivíduo, que antes pertencia à classe C, com o novo salário, sobe para a classe B.

Além de ascender socialmente, vale dizer que é possível que o sujeito baixe de nível ou de estrato social. Nesse caso, os sociólogos definem como mobilidade social descendente, em contraposição à anterior, que é conhecida como mobilidade social ascendente.

Por exemplo, uma família de três pessoas, na qual os pais trabalham e o filho apenas estuda e, de repente, o pai perde o emprego e sofre para conseguir se recolocar profissionalmente. Os três vão passar a viver do salário da mãe, o que poderá fazer com que eles sejam rebaixados de estrato social.


Rodrigo Herrero Lopes

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply