Pablo Escobar – Quem foi? Biografia e Feitos

Pablo Emilio Escobar Gaviria foi um traficante de drogas colombiano que ganhou fama mundial entre o final dos anos 80 e início dos anos 90. É considerado o narcotraficante mais famoso, poderoso e violento da história. Conhecido como “El pablito”, o chefe do Cartel de Medellin tornou-se um dos homens mais ricos do mundo.

Juventude

Pablo Escobar

Pablo Escobar nasceu 1 de dezembro de 1949, na cidade de Rio Negro, filho de Abel de Jesus Escobar Echeverri, um pequeno fazendeiro, e Hermilda de los Dolores Gaviria Berrío, professora de escola primária.

Pablo esteve envolvido com o crime desde a adolescência. Vendia cigarros contrabandeados, aplicava pequenos golpes, roubava carros.

Ganhou muito dinheiro trabalhando para o contrabandista de Alvaro Prieto. Mas, seu grande objetivo era ser milionário, e o caminho que ele encontrou para isso foi o comércio de drogas.

Na época, não existiam grandes traficantes ou cartéis. Ou seja, era um negócio ainda em desenvolvimento, onde Escobar viu a grande chance de atingir seus objetivos

O tráfico

Em 1975, Escobar deu início ao seu negócio a partir de 14 kg de pasta base para cocaína. A princípio, ele fazia viagens rápidas entre a Colômbia e o Panamá para comprar a pasta, e depois para vendê-la nos Estados Unidos. Aos poucos o negócio foi crescendo.

Em 1976, Escobar se casa com Maria Vitoria Henao, na época com apenas 15 anos, com quem teve dois filhos. Nesse mesmo ano, Escobar e alguns amigos foram presos com 18 quilos de cocaína. Ele acabou se livrando por meio de suborno, que, aliás, seria uma constante em sua carreira criminosa.

Pablo EscobarA famosa frase “plomo ou plumo” (em português, prata ou chumbo) fazia alusão à sua maneira de lidar com as autoridades: ou aceitavam dinheiro, ou seriam assassinadas.

Com a demanda norte americana cada vez mais alta, Pablo começou a organizar uma intrincada rede de produção, venda e distribuição da droga produzida.

Além disso, juntou-se a outros traficantes para criar o Cartel de Medellin. Escobar começou a ganhar muito dinheiro, e, à medida que sua fortuna aumentava, aumentava também seu poder.

A violência de Escobar

Pablo Escobar não tinha nenhum pudor em atacar qualquer um que atrapalhasse seu negócio, tanto rivais como autoridades. Ele e o Cartel de Medellin se envolveram em uma sangrenta guerra conta seus grandes rivais na venda de cocaína, o Cartel de Calí.

Além disso, entre as muitas mortes a ele imputadas estão três candidatos à presidência da Colômbia. Mas, o pior ato foi, sem dúvida, a explosão, em 1989, do voo 203 da Avianca, que fazia o trajeto entre Bogotá e Calí.

O avião explodiu em pleno ar após a detonação de um explosivo. O alvo era o então candidato à presidência, Cesar Gavíria, que não estava no voo. Curiosamente, a repercussão do caso ajudou Gavíria a ser eleito.

Auge da carreira

No auge de seu império, estima-se que o Cartel de Medellin enviasse aos Estados Unidos aproximadamente 15 toneladas de cocaína por dia. Escobar tinha uma frota de aviões e helicópteros, e pilhas e pilhas de dinheiro eram guardadas em grandes armazéns.

Uma das maiores extravagâncias de Pablo foi a compra da Hacienda Nápoles, uma enorme fazenda construída a cerca de 150 quilometros de Medellin. A ostentação já começava na entrada, com um antigo avião (o primeiro comprado por Pablo) colocado sobre o portão, dando as boas-vindas.

Além disso, ele criou um zoológico dentro da fazenda, que também tinha uma pista de kart, e uma pista particular para aviões de pequeno porte, entre outros luxos e comodidades para a família. Hoje, a propriedade abriga um parque temático administrado pelo governo.

Pablo Escobar

Fim do império

No início dos anos 90, os Estados Unidos fecharam o cerco contra Escobar, dificultando o envio de drogas e exigindo do governo colombiano medidas duras contra o narcotráfico.

Temendo uma possível extradição para os Estados Unidos em caso de prisão, Escobar fez um acordo com o governo. Cumpriria uma sentença de cinco anos em uma prisão construída por ele mesmo, chamada La Catedral, em troca da garantia de não extradição.

A prisão, na verdade, parecia mais uma colônia de férias, com campo de futebol e festas quase que diárias. Além disso, Escobar era constantemente visto fora da prisão, passeando ou fazendo compras. Diante da repercussão negativa e da pressão norte-americana, o governo colombiano resolver transferi-lo para outra prisão, mas Pablo acabou fugindo.

Uma força conjunta entre a polícia colombiana e os agentes do Departamento Anti Drogas americano foi montada para encontrar e prender Escobar. Em dezembro de 1993, Pablo e seu guarda-costas foram encontrados em um bairro de Medellin. Ambos foram mortos na troca de tiros. Pablo Escobar havia comemorado seu aniversário um dia antes.

Pablo Escobar ainda é considerado o maior traficante de drogas da história. Apesar do rastro de mortes que sua trajetória deixou, ele era adorado por parte da população pobre de Medelin, que o via como um Robin Hood moderno, pois era ajudada por ele. Por conta disso, sua figura tornou-se um verdadeiro mito na Colômbia.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content