Animais ovovivíparos – O que são? Características e Exemplos

Existem inúmeros fatores que evidenciam e evolução e adaptação dos seres vivos (principalmente dos animais) no planeta Terra. Por exemplo, as diferentes formas de obtenção de alimento, inúmeros mecanismos de camuflagem, produção de potentes venenos, entre outros diversos e mais engenhosos fatores.

Em relação à reprodução não é diferente. Os seres vivos desenvolveram diversas técnicas de reprodução, cada uma adaptada ao ambiente onde vivem, fazendo assim da reprodução um dos maiores mecanismos de evolução e sobrevivência dos seres vivos.

Animais ovovíparos

As diferentes adaptações reprodutivas garantem a permanência das gerações futuras, conservando e evoluindo as espécies pela descendência. Assim, destacamos os animais como sucesso de adaptação e evolução, o que proporcionou a sobrevivência nos mais diferentes ambientes do planeta.

Em relação à reprodução podemos classificar os animais como vivíparos, ovíparos e ovovivíparos. É deste último grupo que trataremos no artigo de hoje. Confira todas as informações completas, só aqui no Gestão Educacional!

O que são animais ovovivíparos?

Os animais ovovivíparos possuem o crescimento dentro de um ovo, que é desenvolvido dentro do corpo da mãe. Como o embrião cresce no interior do ovo, toda sua nutrição é na mesma região, causando, assim, uma independência da mãe em relação à nutrição do filho.

Após a maturação e o desenvolvimento, esses ovos são chocados dentro do corpo da mãe, com desenvolvimento direto, ou seja, os filhotes são idênticos aos adultos. É desse modo que se reproduzem alguns peixes, alguns répteis e alguns invertebrados, por exemplo.

Animais ovovíparos

 

Características dos animais ovovivíparos

Abaixo, seguem algumas características peculiares dos animais ovovivíparos:

  • Carregar os ovos traz para a fêmea um custo energético mais alto que em outros animais;
  • Não há nenhuma responsabilidade em nutrir o embrião;
  • Produzem menos ovos que os animais ovíparos. Isso acontece devido ao transporte de ovos ser dentro da mãe, causando uma dificuldade de espaço físico, além, é claro, da energia que se gasta carregando esses embriões.

Exemplos de animais ovovivíparos

Animais ovovíparos

Tubarões e raias

Os tubarões e as raias são exemplos clássicos da reprodução ovovivípara. Esses animais apresentam fecundação interna, cujos ovos, resultado dessa fecundação, permanecem no corpo da mãe.

O desenvolvimento embrionário vai acontecer por meio dos nutrientes presentes no saco vitelínico, onde possui reserva energética o suficiente para o desenvolvimento do filhote. Cabe lembrar que tudo isso vai acontecer dentro do ovo, que está dentro do corpo materno.

Mosca tachinidae

Ser ovovivíparo não é tão incomum quanto parece. Há moscas que são um pouco maiores que a clássica mosca doméstica que pertencem ao grupo dos animais ovovivíparos. No caso das moscas Tachinidae, as suas larvas não saem do corpo da mão até eclodirem todos os ovos.

Animais ovovíparos

Serpentes

As serpentes são animais bem peculiares, pois sua reprodução pode variar bastante de espécie para espécie. Por exemplo, há serpentes ovíparas, mas ao contrário das aves, em que o ovo é chocado, nas serpentes ovíparas não há essa necessidade, pois é o próprio calor do ambiente faz esse processo.

Temos como exemplo de serpente ovípara a cobra coral.

Ainda, em pouquíssimas espécies ocorre o processo vivíparo, no qual os filhotes são gerados dentro do útero materno. Essas serpentes geralmente vivem em ambientes frios, pois nesses lugares os ovos têm maior dificuldade de se desenvolver. Temos como exemplo de serpente vivípara, a cobra aveludada.

Por fim, o exemplo mais comum de serpentes ovovivíparas é a cobra Jiboia-constritora. Essa imensa serpente pode carregar de 25 a 30 ovos em uma única gestação. Ainda, existe a maior serpente de mundo, a anaconda, que também apresenta reprodução ovovivípara. Neste caso, a gigantesca serpente pode carregar até 50 ovos.

 

Além desses clássicos animais citados acimas, há outros que também apresentam reprodução ovovivípara. Entre eles estão:

  • Espécies de peixes, como a molinésia, o barrigudinho ou o peixe plati;
  • O anfíbio Rhinoderma darwinii – nesse curioso animal, os zigotos se desenvolvem no saco vocal.

Curiosamente, os cavalos-marinhos sempre são citados na reprodução ovovivípara, uma vez que o macho carrega os ovos dentro de uma bolsa (dobra de pele) e não no corpo da fêmea. Como essa bolsa fica fora do corpo, muitos cientistas consideram o cavalo-marinho uma espécie ovípara.

Sou Leandro Márcio, biólogo desde 2006, mestre em Toxinologia (estudo de veneno de serpentes) pelo Instituto Butantan. Sou professor universitário e, quando não estou dando aula na faculdade ou estudando serpentes, adoro um bom tempo com um livro de ficção.

Deixe seu comentário