Sistema linfático – O que é? Quais as funções? Órgãos que fazem parte e sua importância

Quando se trata de líquidos do corpo, o primeiro sistema que vem à mente é o circulatório. Então, automaticamente, pensa-se em artérias, veias e capilares carregando sangue com oxigênio, gás carbônico e nutrientes.

Mas, e todos os demais fluidos que não estão circulando em tais vasos, ou ainda, que necessitam de uma “filtragem”, onde ficam? Para cumprir tais papéis é que existe o sistema linfático.

Conheça, aqui no Gestão Educacional, informações completas a respeito do que é o sistema linfático, quais as suas funções, importância e órgãos que fazem parte!

O que é o sistema linfático?

sistema linfático

Assim como se sugeriu anteriormente, o sistema linfático é uma rede de vasos, tecidos e órgãos, com a função de captar os líquidos que “fugiram” dos vasos sanguíneos e estão localizados nos espaços intersticiais.

Além disso, existe um importante papel, principalmente dos órgãos linfáticos, de combate os microorganismos e as “impurezas” do corpo, sendo, portanto, responsável pela defesa imune.

Os fluidos que estão constantemente circulando em tais estruturas são chamados de linfa.

Quais as suas funções?

Como é de se esperar, todas as estruturas do sistema linfático são de essencial importância para manter a homeostasia (isto é, o equilíbrio do corpo).

Dentre suas funções, destacam-se:

Produção dos linfócitos

Os linfócitos são células essenciais do sistema imune, produzidos nos órgãos linfáticos e na medula óssea.

Além de o sistema linfático ser uma fábrica dessas células, ele também está envolvido na maturação delas, sendo responsável, portanto, pela imunidade adquirida.

Manutenção do volume líquido adequado

As atividades do organismo e também a pressão dos sistemas circulatórios dependem da quantidade de líquido circulante. Assim, para que tudo funcione corretamente, há uma quantidade ideal de sangue e linfa.

O sistema linfático é o grande responsável por tal equilíbrio, bem como pela redistribuição das quantidades dentre órgãos e sistemas.

Transporte geral

Embora tal tarefa seja atribuída ao sangue, a linfa também pode atuar no transporte de hormônios, nutrientes e resíduos.

Quais estruturas fazem parte do sistema linfático?

sistema linfático2

Depois de conhecer as funções gerais do sistema, é essencial conhecer seus órgãos e suas estruturas. Fazem parte do sistema linfático:

1) Vasos linfáticos

Os vasos são o meio de transporte da linfa pelo corpo, por isso, estão distribuídos em forma de redes.

Eles apresentam variações entre si, principalmente quanto ao calibre. Quanto mais estreitos, são chamados de capilares.

Para que o fluxo da linfa ocorra da forma adequada, os vasos contam com válvulas especiais, que dão direcionamento, prevenindo refluxos.

2) Órgãos linfoides

Chama-se o baço, o timo, as tonsilas e as amídalas de órgãos linfoides. Basicamente, são massas de tecido especializado, localizadas em posições “estratégicas”, com função imune.

São eles os responsáveis pela produção dos linfócitos (discutidos anteriormente), assim como pela maturação e especialização deles.

Tais estruturas funcionam como “barreiras” de microorganismos, impedindo a circulação de bactérias, vírus, fungos e outros organismos infecciosos.

3) Linfonodos

Embora também possam ser chamados de órgãos linfoides, eles recebem uma categoria à parte, por serem de menor tamanho.

Existem cerca de 600 a 700 linfonodos distribuídos pelo corpo, dentre as redes de vasos. Suas maiores aglomerações acontecem na axila, no pescoço, na virilha e nas pernas.

Qual a importância?

É de se esperar que tal sistema seja primordial para o equilíbrio dos fluidos. Afinal, é o sistema linfático que capta o que foi “perdido” pelos vasos sanguíneos, redistribui o líquido e realiza muitas outras funções.

A prova de tal importância é o edema, popularmente conhecido por inchaço. Basicamente, ele ocorre quando há excesso de líquidos no interstício e o sistema linfático não dá conta de absorver todo o volume.

Além disso, o sistema possui órgãos e tecidos altamente especializados, que estão localizados em posições estratégicas para combater organismos estranhos e que possam causar doenças.

Pacientes que precisam ter o baço retirado, por exemplo, são altamente suscetíveis a infecções por determinados patógenos. Por esse motivo, precisam de uma atenção especial quanto à vacinação. Em alguns casos, até se dá antibiótico de tempos em tempos, para evitar infecções por bactérias.

Com o avançar da idade, o sistema linfático perde a sua efetividade, consequentemente, os idosos têm maiores chances de infecções – o que também reforça a importância de todas essas estruturas.

Gostou? Então, confira mais no conteúdo sobre fisiologia humana! 


Referências utilizadas neste conteúdo:

MARTINI, F.; TIMMONS, M. J.; TALLITSCH, R. B. Anatomia humana. 6.ed.

YAMATO, Ana Paula do Carmo Nantes. SISTEMA LINFÁTICO: REVISÃO DE LITERATURA. Interbio v.1 n.2 2007 - ISSN 1981-3775

GUYTON, Arthur C. Guyton & Hall tratado de fisiologia médica. 13. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017

Moore, Keith L., Arthur F. Dalley, and Anne MR Agur. Anatomia orientada para a clínica. Vol. 7. Rio de Janeiro: Guanabara koogan, 2006.


Nicole Alessi

Nicole Alessi

Sou Nicole Alessi, tenho 20 anos, estou cursando o 4º ano de medicina nas Faculdades Pequeno Príncipe e sou apaixonada pelo que faço! Nas horas vagas, gosto de transformar em palavras todo o conhecimento que adquiro na graduaç...

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply