Conjunções coordenativas explicativas – O que é e exemplos de como usar

A conjunção explicativa é um dos tipos de conjunções coordenativas. Sua principal função é a de relacionar duas orações, com uma explicando a informação contida na outra (daí o nome, “explicativa”). Algumas das conjunções coordenativas explicativas da língua portuguesa são: que, porque, pois, porquanto etc.

Se você deseja se aprofundar nos estudos das conjunções coordenativas explicativas e tirar todas as suas dúvidas em relação a esse assunto, continue lendo este artigo completo do Gestão Educacional!

Conjunções coordenativas explicativas

O que é uma conjunção coordenativa?

A conjunção é uma classe de palavras cuja função é a de, como o nome sugere, conectar termos semelhantes ou orações. Há dois grandes tipos de conjunção na língua portuguesa: as conjunções coordenativas e as conjunções subordinativas.

As conjunções coordenativas são aquelas que relacionam dois elementos de uma mesma natureza gramatical dentro de uma oração, mas sem estabelecer uma relação de dependência entre eles. Os elementos relacionados podem ser substantivos, adjetivos ou até mesmo orações inteiras. Por exemplo:

  • Gosto de visitar minha mãe, mas não tenho tido tempo para isso.

Perceba que, neste exemplo, a conjunção, sublinhada, está relacionando duas orações, independentes entre si: 1) “gosto de visitar minha mãe”; 2) “não tenho tido tempo [para visitar minha mãe]”. As orações são independentes, podendo ser pronunciadas separadamente. Logo, não há uma subordinação entre elas, apenas uma coordenação. A relação que a conjunção está criando é a de contraste, colocando lado a lado informações conflitantes. Portanto, a conjunção coordenativa, neste exemplo, é a do tipo adversativa.

As conjunções coordenativas, portanto, são aquelas que relacionam e coordenam elementos semelhantes, mas sem tirar a independência deles (diferente das conjunções subordinadas, que tornam um elemento dependendo do outro).

Há vários tipos de conjunções coordenativas: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas. A seguir, veremos detalhadamente um pouco mais a respeito das conjunções coordenativas explicativas.

O que são conjunções coordenativas explicativas?

Agora que você entendeu o que é uma conjunção coordenativa, é fácil entender melhor as conjunções coordenativas explicativas.

As conjunções coordenativas explicativas são aquelas que ligam duas orações, com uma oração justificando a ideia contida na primeira oração. Veja um exemplo para compreender melhor:

  • Vá embora, pois não quero mais falar com você!

Perceba que no exemplo acima duas orações estão sendo coordenadas: 1) “vá embora” e 2) “[eu] não quero mais falar com você”. A segunda oração foi usada para explicar/justificar a informação contida na primeira oração. Ou seja, o sujeito criou a segunda oração para explicar o motivo de querer que o interlocutor vá embora. A relação entre as duas orações foi criada a partir do emprego da conjunção coordenativa explicativa “pois”.

Há várias conjunções coordenativas explicativas na língua portuguesa. Confira a seguir algumas delas, com exemplos:

  • Que: “abra a porta, que o quarto está muito escuro”.
  • Porque: “vou procurar outro emprego, porque já não estou aguentando o meu atual”.
  • Pois: “eu voltei, pois estava morrendo de saudades”.
  • Porquanto: “Luiz perdeu a vaga, porquanto se atrasou bastante”.

Há também casos de locuções conjuntivas que podem desempenhar a função de conjunção coordenativa explicativa. Por exemplo:

  • Já que: “não poderei comparecer à sua festa de aniversário, já que estarei fora da cidade”.
  • Visto que: “é melhor você ir embora, visto que os meus pais estão prestes a voltar”.
  • Uma vez que: “vou bem na prova, uma vez que tenho estudado bastante para ela”.

Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários e avalie este post!

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content