Consciência coletiva – Significados, Características e Exemplos

Nos estudos da Sociologia, a consciência coletiva tem grande destaque, já que reúne muitos elementos importantes para a compreensão da vida dos indivíduos em sociedade. Criado pelo autor francês Émile Durkheim, o conceito de consciência coletiva é decisivo para entender porque as pessoas tomam certas decisões e também como, em geral, muitas delas são semelhantes e, em certo sentido, a massa acaba agindo de maneira parecida.

Neste artigo, você entenderá mais a fundo o que é consciência coletiva e como ela se dá dentro da sociedade, a partir do pensamento de Durkheim, um precursor em inúmeros temas da Sociologia. Tudo isso ajudará você a compreender como certos comportamentos são adotados em determinadas situações e no que eles estão baseados.

consciência coletiva

O que é consciência coletiva e consciência particular

A teoria sobre a consciência coletiva nasce da busca de Durkheim em compreender como os indivíduos convivem em sociedade e como ocorre a coesão social. Para ele, esse processo se dá a partir da relação entre a consciência coletiva e a consciência particular.

Comecemos, em primeiro lugar, tratando da consciência particular. Esta reúne tudo aquilo que é próprio do indivíduo, aquilo que o caracteriza enquanto pessoa, a sua personalidade individual. Ou seja, a consciência particular tem maior relação com as crenças e os sentimentos do sujeito, o conjunto de coisas que o torna único em comparação aos demais.

a consciência coletiva reúne um conjunto de crenças, sentimentos, características e conhecimentos comuns à sociedade, que leva as pessoas a pensarem e agirem de maneira semelhante. Trata-se de um sistema que independe dos sujeitos para existir. Podemos incluir nesse conceito os códigos culturais, as práticas, as normas, a moral, a etiqueta e também as representações coletivas de um determinado grupo social.

“Neste conjunto de sentimentos e crenças comuns aos membros de uma mesma sociedade, estão presentes e inseridas representações políticas, que podemos denominar como inerentes aos sistemas sociais modernos”, afirma Alysson Hubner no artigo Consciência coletiva em Durkheim como fato social de representatividade política.

consciência coletiva

Características da consciência coletiva

Uma das características essenciais desse conceito é que as duas consciências costumam interagir com o ser humano ao mesmo tempo, sendo que este acaba sendo influenciado pelas duas de maneira severa. Durkheim destaca, ainda, que essa correlação entre as duas consciências é o que possibilita a vida em sociedade.

Até por conta dessa mistura de sentimentos e consciências, os limites entre coletiva e particular não são muito delimitados, isso porque qualquer tipo de decisão, mesmo que ela tenha caráter absolutamente individual, pode ter sido influenciado pelas condições sociais, caso de um suicídio, por exemplo.

Ou seja, é possível que, às vezes, sintamos que alguma decisão foi tomada a partir de uma vontade pessoal do indivíduo, isto é, por sua consciência particular, mas na verdade a pessoa pode ter sido influenciada de maneira inconsciente a seguir aquele caminho, isso graças a algo que já esteja totalmente incorporado em si, devido à consciência coletiva.

A consciência coletiva influencia (e muito) as pessoas dentro da sociedade e acaba ajudando a manter a coesão social ao redor de regras, crenças e padrões já pré-determinados. Sem isso, o convívio social seria bastante complicado.

consciência coletiva

Exemplos

Vamos a alguns exemplos para deixar tudo mais claro. A consciência particular está ligada ao indivíduo, certo? Então, eu posso gostar de sertanejo, de comer salada e tomar vodka. Isso está relacionado, basicamente, à consciência particular da pessoa, ainda que possa refletir influências de outras pessoas ou de outros grupos sociais.

Agora, no caso da consciência coletiva, ela está atrelada àquilo que nos permite viver em sociedade. Por exemplo, o jovem estudante saber que há uma série de normas dentro da escola decorre da consciência coletiva. Saber que eu, ao chegar ao banco, aos Correios ou à lotérica, preciso ficar em fila para ser atendido também se enquadra no conceito. Ou seja, respeitar as leis, a integridade das pessoas, não cometer crimes, não matar estão entre algumas das ideias ligadas à consciência coletiva.

Por fim, para ir ao trabalho, diariamente tomamos o ônibus ou o metrô, controlado por um desconhecido, junto com vários estranhos. Por que tal situação não nos deixa amedrontados? Pois, a consciência coletiva determina que todos se respeitam e que o condutor ou o motorista preze pela vida dele e dos passageiros.

consciência coletiva

Conclusão

Como vimos, a consciência coletiva é parte fundamental para a configuração da sociedade como tal. As pessoas vivem e se relacionam respeitando certas normas e concordando com crenças e práticas, o que ajuda a manter um ordenamento social. Então, ao decidir algo, levamos em conta, além dos nossos próprios desejos, o que o nosso entorno delimita e padroniza.

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content