Estereótipos – O que são? Pra que servem? Principais Exemplos

Atualmente, o combate aos estereótipos e ao preconceito tem sido amplamente feito e debatido na televisão, em filmes no cinema e nos seriados, bem como nas redes sociais.

Mas, o conceito de estereótipo ainda é obscuro para alguns. Você sabe o que ele significa? Aqui no Gestão Educacional, explicamos detalhadamente esse tema, apresentando exemplos práticos que se encaixam no dia a dia. Confira!

O que é estereótipo?

estereótipos

A palavra estereótipo possui origem grega, sendo formada por stereos, que é traduzido como sólido, e typos, que quer dizer “molde”. Portanto, o termo pode ser entendido como um molde ou perfil sólido, imutável.

Atualmente, estereótipo equivale a uma ideia ou imagem preconcebida que se tem de algo ou alguém, feita com base em características visuais ou noções generalistas.

Um ótimo exemplo disso é o estereótipo de que todo brasileiro gosta de futebol. Sim, o futebol é o esporte mais querido no Brasil, mas isso não quer dizer que todos os brasileiros gostam dessa modalidade.

Estereótipos podem estar associados a imagens neutras ou positivas (como a fama que os brasileiros têm de serem bons anfitriões), mas, geralmente, eles estão ligados a questões de teor depreciativo e preconceituoso.

Bom exemplo disso é a ideia preconcebida que se tem no meio comercial de que clientes vestidos de forma simples não possuem dinheiro para comprar peças de alto valor e, por isso, não recebem um atendimento adequado.

É justamente por não condizer com a realidade que o estereótipo tem sido tão comentado e discutido atualmente, numa tentativa de evitar ideias equivocadas e preconceituosas, gerando mais respeito ao próximo.

Como o estereótipo se propaga?

Os estereótipos são difundidos por gerações, reproduzidos principalmente pela crença popular. Além disso, livros, vídeos na internet e nos meios de comunicação também desempenham papel importante na propagação.

Isso é facilmente identificado em novelas com a mocinha (estereótipo de mulher correta, frágil e delicada) e o príncipe (homem forte, capaz de vencer todas as adversidades).

Curiosamente, esses estereótipos são utilizados porque eles facilitam a criação de personagens e o entendimento de quem consome esse tipo de conteúdo. Mas, essa caracterização acaba sendo muito reducionista, sempre.

Principais estereótipos

estereótipos o que são

  • Beleza

É o famoso “padrão de beleza”, ou seja, características que a pessoa precisa ter para ser considerada bonita, seja pelos outros ou por si própria. Trata-se de algo cultural, que muda de acordo com o período.

Por exemplo, na Antiguidade Clássica, mulheres cheias de curvas eram consideradas bonitas. Hoje, as mais magras assumiram esse lugar. O grande problema é que, além de preconceituoso, esse estereótipo aumenta o risco de pessoas sofrerem transtornos psicológicos e alimentares para tentarem se adequar ao padrão.

  • Econômico

Nesse caso, propaga-se a ideia de que pessoas de baixa renda são ingênuas ou criminosas. Há, também, a noção de que ricos são vilões gananciosos, prontos para prejudicar alguém para ganhar mais.

Uma das principais críticas feitas ao estereótipo econômico é que ele reduz ou eleva a pessoa à quantidade de dinheiro que essa possui e ao seu poder aquisitivo, contribuindo para aumentar a desigualdade social.

  • Étnico

O estereótipo étnico tem muito a ver com a maneira como estrangeiros enxergam pessoas de outros países. Não faltam exemplos, como o do brasileiro que acha o português tolo ou os ocidentais que consideram todos os árabes terroristas.

Esse é mais um caso claro de estereótipo sendo transformado em algo negativo e preconceituoso, incentivando ações xenófobas, que estão cada mais fortes, especialmente em países europeus e nos Estados Unidos.

[LEIA TAMBÉM: XENOFOBIA – O QUE É?]

  • Gênero

O estereótipo de gênero é um dos mais enraizados na cultura. Começa desde cedo, quando o enxoval do bebê é montado: cor azul somente para homens, tom rosa apenas para mulheres, colocando até as roupas da criança em um padrão que se estende por toda a infância.

Outro estereótipo comum é a menina que só brinca de boneca e o menino que ganha carrinho e brinquedos que remetem a heróis. São ideias preconcebidas, que ajudam a intensificar a ideia de fragilidade feminina e força masculina.

Uma das críticas marcantes a esse tipo de estereótipo é que ele contribui para a propagação de ideias erradas a respeito do comportamento feminino e masculino, bem como para o aumento da desigualdade entre gêneros.

Além disso, essa ideia equivocada pode evoluir para a homofobia, o machismo e a misoginia, problemas amplamente tratados e combatidos na sociedade, mundialmente.


Referências utilizadas neste conteúdo:

Preconceito: pesquisa comprova que a mídia reforça estereótipos de gênero para crianças. https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Comportamento/noticia/2017/07/preconceito-pesquisa-comprova-que-midia-reforca-estereotipos-de-genero-para-criancas.html


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply