Formação de palavras – Processos, Estrutura e Exercícios

Atualmente, o Brasil é a quinta língua mais falada do mundo. Cerca de 250 milhões de pessoas, espalhadas por todos os continentes, falam português.

Só para você ter noção, o português é a língua oficial, além de Brasil e Portugal, de Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Guiné-Equatorial, Macau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

Nesse processo de intercâmbio cultural, o Brasil sofreu, ao longo dos séculos, influência de outras línguas e culturas, também, como do grego, do árabe, do inglês, etc. Algumas das palavras que usamos hoje, inclusive, têm origem nesses idiomas.

Ficou interessado? Confira isso e muito mais aqui, no Gestão Educacional!

Formação de palavras

De onde veio o português?

O português vem do latim, assim como todas as outras línguas chamadas latinas, por exemplo, espanhol, francês, italiano, etc. O latim, por sua vez, faz parte da grande família das línguas indo-europeias.

Conforme o povo que vivia no centro da Península Itálica (o Lácio) se espalhou, com importantes vitórias militares, surgiu o Império Romano, que chegou a ir da Lusitânia à Mesopotâmia, e do Norte da África à Grã-Bretanha, circulando todo o Mar Mediterrâneo. E os romanos não apenas conquistaram: converteram grande parte dessas regiões aos seus hábitos de vida, à sua cultura e, como não podia deixar de ser, ao seu idioma.

Obviamente, o latim que era levado pelos soldados não era o latim usado para as poesias de Virgílio e Horácio (latim literário): era o latim falado pelo povo, já relativamente diferente do literário; era o latim vulgar.

O português é uma ramificação desse latim vulgar, que foi levado à Portugal durante a ocupação da Península Ibérica pelos romanos, que lá chegaram no século III a.C.

Outros povos invadiram essa região, como os visigodos, em 409, e os árabes, em 711, deixando alguns traços de seus idiomas nos idiomas locais, inclusive naquele que viria a se constituir como o português.

[VEJA TAMBÉM: QUAIS OS TIPOS DE ALFABETO EXISTENTES?]

Palavras primitivas e derivadas, simples e compostas

Chama-se formação de palavras os vários processos morfológicos e sintáticos de criação de novas palavras. Mas, antes de entrar nos processos, em si, é preciso conhecer os vários tipos de palavras.

Confira cada uma delas:

  • Palavras primitivas: são as palavras que não foram formadas de nenhuma outra (e que delas são formadas outras palavras), como mar, pedra, novo, etc.;
  • Palavras derivadas: são as que se formam a partir de outras palavras, acrescentando-se ao radical um prefixo ou sufixo, como marinha, pedreira, renovação, etc.;
  • Palavras simples: são as que possuem apenas um radical, independe de serem primitivas ou derivadas, como mar, marinha, pedra, pedreiro, novo, renovação, etc.;
  • Palavras compostas: são as que possuem mais de um radical, como guarda-marinha, pedra-sabão, passatempo, guarda-chuva, etc.

Quais são os processos de formação de palavras?

Resumidamente, os processos de formação de palavras da língua portuguesa são:

Derivação Prefixal

É como se chama o processo de formação de palavras que se faz pelo acréscimo de prefixos ao radical. Por exemplo:

  • Contradizer;
  • Extraoficial;
  • Impedir.

São vários os prefixos do português e eles têm origem tanto do latim quanto do grego. Confira alguns dos principais prefixos, divididos por origem:

Formação de palavras

Formação de palavras

Derivação sufixal

Como o nome indica, é o processo que envolve a adição de sufixos ao radical, originando novas palavras.

Os sufixos recebem nomes de acordo com a classe da palavra que formam. Eles podem ser:

Formação de palavras

Derivação parassintética

Nesse processo, um sufixo e um prefixo juntam-se ao radical, ao mesmo tempo. Dá-se, a esses vocábulos, o nome parassintéticos, sendo bastante comuns em verbos. Exemplos:

  • Amanhecer;
  • Embainhar.

Derivação regressiva

Ao contrário dos demais processos, em que se acrescentam afixos ao radical, na derivação regressiva, reduz-se a palavra derivante. Confira alguns exemplos:

  • Abalar -> abalo;
  • Caçar -> caça.

Derivação imprópria

Nesse processo, as palavras trocam de classe gramatical sem sofrer alteração nenhuma. Confira:

  • Burro (subst. -> adj.);
  • Um não (adv. + um -> subst.);
  • Leão (subst. comum -> subst. próprio).

Composição

Na composição, ocorre a junção de dois ou mais radicais, resultando numa nova palavra, que representa apenas uma ideia ou conceito. Há dois tipos:

  • Composição por justaposição: quando ficam justapostos, mantendo ambas palavras intactas: passatempo, beija-flor, mil-folhas;
  • Composição por aglutinação: quando uma das palavras perde letras ou sílabas: em + boa + hora -> embora; perna + alta -> pernalta.

Hibridismo

Dá-se o nome hibridismo à formação de palavras com elementos retirados de línguas diferentes. Exemplo:

  • Automóvel (auto: grego; móvel: latino).

Onomatopeia

São palavras que representam ruídos ou sons. Confira:

  • Tique-taque;
  • Bang;
  • Vrum-vrum.

Siglas

Por fim, o processo de criação de siglas também é um tipo de formação de palavras.

  • CD -> Compact Disc;
  • ENEM -> Exame Nacional de Ensino Médio.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Teste seus conhecimentos sobre Formação de palavras – Processos, Estrutura e Exercícios

1) As palavras APRENDIZAGEM, AGUARDENTE, DESALMADO, ULTRASSOM e PÉ-DE-MEIA foram formadas, respectivamente, por:

  • a) Derivação sufixal, composição por aglutinação, derivação parassintética, derivação por justaposição e hibridismo.
  • b) Derivação sufixal, composição por aglutinação, derivação parassintética, derivação prefixal e derivação por justaposição.
  • c) Derivação parassintética, derivação sufixal, derivação prefixal, onomatopeia e derivação regressiva.
  • d) Composição por justaposição, derivação sufixal, derivação parassintética, derivação prefixal e derivação por justaposição.

Deixe seu Comentário

WebGo Content