Locução conjuntiva – O que é? Quais são? Exemplos

Sempre que dois ou mais termos exercem na oração uma mesma função, dá-se o nome locução. Quando esta função é a de uma conjunção, diz-se que se tem uma locução conjuntiva.

Ficou interessado e quer saber mais? Pois confira este artigo do Gestão Educacional justamente a respeito do tema!

O que é uma conjunção?

Antes de vermos o que é uma locução ou uma locução conjuntiva, convém definir o que são conjunções, em si.

Dá-se o nome conjunção a uma classe de palavras responsável por estabelecer uma relação entre duas orações ou dois termos de uma mesma natureza. Há dois grandes grupos de conjunção no português: as conjunções coordenativas e as conjunções subordinativas (você pode conferir tudo a respeito de cada uma, em outros artigos do Gestão Educacional, clicando sobre elas).

Apenas para caráter de ilustrações, confira os exemplos abaixo:

(1) O médico orientou-me a não [andar] nem [agachar].

(2) É preciso calma [a fim de que se consiga o que quer].

Em (1), a conjunção aditiva “nem” está relacionando os termos “andar” e “agachar”, que são de uma mesma classe gramatical (verbos no infinitivo).

Já em (2), a conjunção subordinativa está introduzindo uma oração subordinada (entre colchetes) à oração principal, anterior a ela, completando/determinando o sentido desta. Ela está, nesse caso, estabelecendo uma relação de subordinação entre duas orações.

O que nos interessa observar, em se tratando de locuções conjuntivas, é a diferença que diz respeito apenas à formação das conjunções: perceba que em (1) a conjunção é formada apenas por um termo: “nem”.

Já em (2), a conjunção não é formada apenas por um termo, mas por vários: “a fim de que”. Temos, aqui, um exemplo de locução conjuntiva, como veremos.

O que é uma locução?

Diz-se que há uma “locução” sempre que ocorre uma união entre duas ou mais palavras que, juntas, desempenham na oração uma mesma e única função.

Veja o exemplo abaixo para compreender melhor:

  • O professor irá falar a respeito das provas na próxima aula.

O termo em negrito no exemplo acima, apesar de formado por vários termos, desempenha uma única função: a de uma preposição, relacionando dois termos da oração: um antecedente (“irá falar”, que aliás é uma locução verbal!) e um consequente (“as provas”). Trata-se, portanto, de uma locução prepositiva.

Convém destacar, de maneira breve, as diferenças entre conjunções e preposições: enquanto as primeiras relacionam termos ou orações, as segundas relacionam apenas termos, nunca orações.

A principal diferença, entretanto, reside no fato de as preposições não apenas ligarem, mas introduzirem um termo que completa ou explica o sentido do outro. A preposição e o termo consequente, dessa forma, são exigidos pelo termo antecedente.

Se disséssemos apenas: “o professor irá falar”, ficaria a pergunta: “sobre o quê?”. A resposta é, nesse caso, introduzida por uma preposição.

O que é uma locução conjuntiva?

Compreendido o que é uma conjunção e uma locução, é fácil entender o que são locuções conjuntivas.

Dá-se o nome “locução conjuntiva” a todo conjunto de palavras que desempenha na oração a função de uma conjunção. Confira alguns exemplos:

  • Eu vou embora, [já que não sou bem-vindo aqui] (Locução conjuntiva subordinativa causal);
  • É melhor sair [antes que meu chefe volte] (Locução conjuntiva subordinativa temporal);
  • [A menos que eu mude radicalmente de vida], continuarei na pindaíba (Locução conjuntiva subordinativa condicional).

Perceba que todos os termos em negrito, nos exemplos acima, são formados por duas ou mais palavras, mas desempenham apenas uma função na oração: a de uma conjunção.

Um detalhe comum entre eles, como você deve ter notado, é a presença da partícula “que”. Isso porque as locuções conjuntivas são majoritariamente formadas por esta partícula, acompanhada de outros termos, sendo estes advérbios, preposições ou particípios.

Exemplos de locução conjuntiva

Confira, abaixo, alguns exemplos de locução conjuntiva:

  • A fim de que;
  • A menos que;
  • A não ser que;
  • Ainda que;
  • Antes que;
  • Apesar de que;
  • Assim como;
  • Assim que;
  • Até que;
  • Bem como;
  • Bem que;
  • Cada vez que;
  • Como se;
  • Contanto que;
  • Dado que;
  • De forma que;
  • De maneira que;
  • De modo que;
  • De sorte que;
  • Depois que;
  • Desde que;
  • Já que;
  • Logo que;
  • Maior do que;
  • Mais do que;
  • Melhor do que;
  • Menor do que;
  • Menos do que;
  • Mesmo que;
  • Nem que;
  • Para que;
  • Pior do que;
  • Pois que;
  • Por isso que;
  • Por mais que;
  • Por menos que;
  • Posto que;
  • Que nem;
  • Salvo se;
  • Se bem que;
  • Sem que;
  • Sempre que;
  • Tal qual;
  • Tal que;
  • Tamanho que;
  • Tanto quanto;
  • Tanto que;
  • Tão que;
  • Todas as vezes que;
  • Uma vez que;
  • Visto como;
  • Visto que;
    etc.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content