Preposição – O que é? Como Usar? Classificação, Tipos e Exemplos

As preposições são palavras invariáveis, que têm como função ligar duas palavras diferentes, estabelecendo uma relação de subordinação entre elas – geralmente o segundo termo que subordina e domina o primeiro.

As preposições são bem comuns no nosso idioma, sendo usadas em quase todas as sentenças, podendo estar relacionadas a um verbo ou nome. Elas ocorrem de maneira natural, para indicar um sentido entre dois termos de uma oração ou, até mesmo, de posse.

Confira, a seguir, tudo sobre o que é uma preposição, seus tipos, usos e exemplos práticos! Só aqui, no Gestão Educacional. 

O que é uma preposição?

Como comentado, preposições são um grupo de palavras invariáveis, tendo como função estabelecer uma relação de dependência, ou seja, de subordinação entre duas palavras ou orações.

A preposição não possui valor / função sintática, mas é essencial para qualquer enunciado, porque garante a coesão textual, de modo a assegurar que a mensagem seja efetivamente passada e entendida. Isto é facilmente percebido nos seguintes exemplos:

  • Esperou com ansiedade o fim da tarde;
  • O bolo de chocolate está delicioso.

Em ambas as orações, se as preposições forem omitidas, as sentenças perderão sentido. Daí a importância desses elementos: eles contribuem para a unidade do texto / da mensagem, facilitando seu entendimento.

Curiosamente, existem palavras que exigem o uso de preposição, geralmente nomes como substantivos, advérbios e adjetivos. Este termo é chamado de regente, e o outro elemento introduzido pela preposição é o regido.

É justamente dessa relação de dependência e obrigatoriedade da preposição que nasce um outro assunto, a regência nominal, que causa muitas dúvidas nos estudantes.

Classificação da preposição

Existe uma lista de preposições que são divididas em dois grupos principais, chamados essenciais e acidentais. A seguir, confira o que é cada um deles:

  • Preposições essenciais: são palavras que funcionam só como preposição. Elas não podem ser usadas com outra finalidade dentro da nossa língua, sendo elas: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás;
  • Preposições acidentais: essas preposições são usadas como outra classe gramatical, mas, em algumas frases, também funcionam como oração. Veja: afora, como, conforme, consoante, durante, exceto, mediante, menos, salvo, segundo, visto etc.

Tipos de Preposição

Dentro das palavras consideradas preposições, elas podem ser separadas em diferentes tipos:

  • Preposição de causa: geralmente, tem uma relação de causa e consequência – por causa disso, aconteceu aquilo. Exemplo: “com essa sua atitude, vamos nos distanciar”;
  • Preposição de distância: “a loja fica entre essa e a próxima esquina”;
  • Preposição de finalidade: “ela se maquiou para a formatura”;
  • Preposição de instrumento: “fiz meus desenhos com caneta BIC”;
  • Preposição de lugar: “ela nasceu em Santa Catarina”;
  • Preposição de modo: “coloque suas coisas em“;
  • Preposição de tempo: “ficarei por 5 dias”.

Locuções Prepositivas

São a união de duas ou mais palavras, em que pelo menos uma delas deve ter o valor de proposição, ou até mesmo mais de uma. Elas sempre devem ser terminadas por uma preposição, veja os exemplos:

  • Abaixo de, acima de, a fim de, além de, antes de, até a, depois de, ao invés de, ao lado de, em que pese a, à custa de, em via de, à volta com, defronte de, a par de, perto de, por causa de, através de, etc.

Um exemplo de locução prepositiva é “você deve ser agradável para com todos os seus amigos”.

Aplicações de preposições em frases

A preposição pode ser aplicada de formas diferentes em frases. A seguir, listamos os casos mais comuns, para facilitar a identificação dessas palavras ao realizar uma análise mais apurada:

Combinação

Quando a preposição acontece acompanhada de outras palavras, pode haver a união entre elas, desde que não haja a perda fonética. Veja alguns exemplos:

  • Ao (preposição A + artigo O);
  • Aonde (preposição A + advérbio onde);
  • Aos  (preposição A + artigo OS).

Contração

Ao contrário da combinação, na contração existe a perda de elementos fonéticos. Veja alguns exemplos:

  • Da (preposição De + artigo A);
  • No (preposição Em + artigo O);
  • Numa (preposição Em + numeral Uma);
  • Deste (preposição De + pronome Este);
  • Nesta (preposição Em + pronome Esta);
  • Pelo (preposição Per + artigo O);
  • Do (preposição De + artigo O);
  • Nisso (preposição Em + pronome Isso).

Aqui vale lembrar um detalhe importante: não se deve contrair a preposição De com o artigo quando ele vier anteposto a um substantivo. Um exemplo é:

  • Já passou o tempo de o remédio fazer efeito.

Crase

Existe a possibilidade de fundir a preposição A com o artigo A, formando uma crase no enunciado. Por exemplo:

  • àquilo = a + aquilo;
  • à = a + a.

Isto é perceptível nas seguintes frases:

  • Vou à farmácia
  • Dedicou o TCC à mãe.

Elas devem ser estudadas e aprendidas, pois são uma parte muito importante da escrita da língua portuguesa. Veja o exemplo das três classificações, na tabela abaixo:

preposição combinada

Rafaela Mustefaga

Graduada em Letras Português/Inglês, pela PUCPR, é revisora e editora de textos informativos, apaixonada por línguas e literatura e professora nas horas vagas.

Conheça Mais Sobre o Autor

Teste seus conhecimentos sobre Preposição – O que é? Como Usar? Classificação, Tipos e Exemplos

1) Com ralação às alternativas propostas, assinale a que melhor corresponde ao emprego correto das preposições em cada uma das situações:

A – Causa
B – Distância
C – Modo
D – Finalidade

( ) Em consonância ao que foi dito, teremos um aumento salarial.
( ) As pessoas estão enfrentando dificuldades com essa grande crise econômica.
( ) Para não se atrasar na reunião, ela tomou um táxi.
( ) Entre nós, só há abismos.

  • a) C, A, D, B.
  • b) A, B, D, C.
  • c) B, C, A, D.
  • d) D, B, A, C.

2) (Adaptado Fuvest – SP) O segmento em que a preposição destacada estabelece uma relação de causa é:

  • a) A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada.
  • b) A escada, de degraus gastos, subia ingrememente.
  • c) No patamar da sobreloja, uma janela com um gradeadozinho de arame […]
  • d) […] uma janela com gradeadozinho de arame, parda do pó acumulado...

3) (Adaptado FAU – SANTOS) “O policial recebeu o ladrão a bala. Foi necessário apenas um disparo; o assaltante recebeu a bala na cabeça e morreu na hora”.
No texto, os vocábulos em destaque são respectivamente:

  • a) preposição e artigo.
  • b) preposição e preposição.
  • c) artigo e artigo.
  • d) artigo e preposição.

4) Identifique a alternativa em que a preposição a (que antecede o objeto preposicionado) pode ser suprimida sem prejuízo para o sentido ou para a estrutura da frase:

  • a) Eles se estimam uns aos outros.
  • b) A Abel matou Caim.
  • c) Os samaritanos amparam aos necessitados.
  • d) Cuidava do amigo como a um filho.

6 Comentários

  • Kevin disse:

    Que legal😄 agora já posso fazer minhas provas sem se preocupar com preposição e crase📝

    • Gestão Educacional disse:

      Olá, Kevin! Que bom que gostou do conteúdo. Sempre damos o nosso melhor para entregar um conteúdo de qualidade. Continue nos acompanhando. Publicamos textos novos todos os dias! 🙂

  • Tatiana disse:

    Boa noite, por gentileza, poderiam me esclarecer algo? Pra eu escrever a seguinte frase: A criança chegou no CEI ou chegou ao CEI? Lembrando que estamos no CEI, eu e a criança. Por favor me ajudem.

    • Gestão Educacional disse:

      Olá, Tatiana. De acordo com a norma padrão da língua portuguesa, a regência do verbo “chegar” é “chegar a”, com a preposição a. Ou seja, o correto, quando se quer registrar na forma escrita é “chegou ao CEI” (lembrando que essa regra é apenas para a forma escrita. Em conversas informais não há certo ou errado, ok?).

  • Anderson disse:

    Boa tarde. Vou fazer uma festa dos meus filhos e estava na dúvida sobre o convite. O correto é: convido para a festa de aniversário de Amanda e Matheus ou Convido para a festa de aniversário da Amanda e do Matheus. Obrigado

    • Gestão Educacional disse:

      Olá, Anderson. Neste caso, como a preposição “de” é comum de dois gêneros, você pode optar entre usar “de” para ambos, ou “da” e “do” para os respectivos gêneros. Ambas as formas estão corretas, ok?

Deixe seu Comentário

Sobre o Site

Projeto realizado por licenciados e especialistas em educação, que transmitem seus conhecimentos de forma gratuita para que você tenha a oportunidade de aprofundar seus estudos nas mais diferentes disciplinas das grades curriculares da educação no Brasil. Este é um site produzido 100% por brasileiros, destinado a alunos e professores da educação pública e privada. Use nosso conteúdo livremente para expandir seus conhecimentos, e não esqueça de referenciar, sempre que possível.

O Gestão Educacional é um projeto da WebGo Content, uma agência de conteúdo que tem como principal missão gerar conteúdos que respondam todas as suas dúvidas com Clareza, Riqueza e Veracidade.