Antologia – O que é? Como é formada? Antologia poética no Brasil

Originária do Grego anthologia, que significa “coleção ou conjunto de flores”, a palavra antologia faz parte da área da literatura e traz muitas dúvidas para os estudantes, afinal muitos consideram esse termo sinônimo de coletânea, enquanto alguns não têm nem ideia do que ela significa.

Você, provavelmente, já deve ter visto o nome antologia em títulos de obras famosas, como “Antologia Poética, de Vinícius de Moraes. De todo modo, isso não vai lhe ajudar a descobrir qual é o conceito por trás dessa palavra.

Por isso, descubra, agora no Gestão Educacional, o que é antologia, seu registro histórico, quais são suas características e outras informações importantes acerca deste assunto!

antologia o que é

O que é antologia?

Em conjunto com sua etimologia, a palavra antologia está presente na área da botânica para descrever a coleção de variadas flores selecionadas de maneira individual, sendo elas cuidadosamente avaliadas. É um modo de interpretar o termo como “estudo das flores”.

Mas, não é essa conceituação que queremos. A antologia que buscamos está atrelada à literatura, por isso, antologia é o conjunto de diversos textos ou diferentes obras que abordam um mesmo período, uma mesma temática ou autoria.

Isto é, uma antologia se classifica como uma seleção de textos que são escolhidos conforme critérios determinados e que representam uma vertente literária ou o conjunto de obras de um autor.

Fora da área da literatura, vale comentar, a antologia pode ser o conjunto de obras cinematográficas ou musicais, por exemplo.

Por regra, as antologias são formadas por distintos textos (versos ou prosas), que são organizados dentro de um único volume. Nesse caso, elas formam uma coletânea (uma coleção) de obras que irão englobar um período histórico, um tema ou um autor específico, como comentado.

Na maioria das vezes, as antologias irão oferecer ao leitor composições ordenadas. Além disso, também pode contar com comentários ou notas daquele que selecionou tais textos. A presença de comentários acaba por fazer com que a antologia fique mais contextualizada, enriquecendo toda a obra.

A história dessa palavra começa na Grécia Antiga, com um poeta chamado Meléagro. Nos registros, essa foi a primeira antologia do mundo. Contudo, naquela época, existiam outros vocábulos que serviam para indicar uma coleção de textos literários: “florilégio”, “romanceiro”, “flores”, entre outros. Somente a partir do século XVIII que antologia passou a ter o sentido atual, de “coleção”.

Hoje em dia, a antologia tem ganhado popularidade dentro das atividades educativas, em especial quando relacionadas aos livros nacionais – é uma forma não somente de aprendizado (para orientar de maneira correta as análises de obras de um determinado escritor, principalmente se ele possui muitas obras), mas de estímulo à literatura brasileira.

Dessa maneira, as antologias são significativas para o desempenho pedagógico, até mesmo quando não existe muito tempo disponível para estudar um autor específico, justamente pela inúmera quantidade de obras.

É comum encontrarmos críticas à antologia pela falta de estudo integral da obra, quando se tratando dos textos literários. Nesse caso, é importante que a antologia seja vista como um “guia” para que o leitor alcance a obra integral posteriormente.

Antologia poética no Brasil

o que é literatura

A antologia está muito mais difundida na poesia, sendo uma maneira de referenciar um “apanhado” de poemas (ou poesias) variadas para serem reunidas em um livro. Normalmente, a obra tem toda a sua seleção feita pelo próprio autor e por meio de um critério bem particular e arbitrário.

Contudo, uma antologia poética também pode ser uma coletânea de autores – mas, as poesias (ou poemas) devem abordar um tema em comum ou que tenham relação com um mesmo período de produção.

No Brasil, o maior explorador da antologia poética foi Carlos Drummond de Andrade. “Antologia Poética” é uma obra com textos originais do autor e que foi organizada por ele mesmo, sendo publicada no ano de 1962. Essa obra levou em consideração a forma de Drummond quando se tratava de pensar a poesia – essa foi a seleção utilizada por ele para juntar todos os textos ali presentes.

Você, certamente, encontrará questões em provas de concursos públicos e em vestibulares sobre essa obra do autor, por conta da importância que ela possui no país.

Outro autor com bons exemplos de antologias é Luis Fernando Veríssimo, que transforma suas prosas em livros de crônicas antológicos, como na conhecida obra “Ed Mort”.

Não é impossível formatar prosas (contos) em antologias, tanto é que as obras, geralmente, são organizadas dentro de um volume único. É claro que a popularidade está nas poesias e nos poemas, mas, como a antologia é formada pela coletânea de textos, qualquer formato desses pode ser transformado em antologia, muito embora seja até incomum.

Rafaela Mustefaga

Graduada em Letras Português/Inglês, pela PUCPR, é revisora e editora de textos informativos, apaixonada por línguas e literatura e professora nas horas vagas.

Conheça Mais Sobre o Autor

Um comentário

Deixe seu Comentário

WebGo Content