Verbos Intransitivos – Tipos, Como e Quando Usar, Exemplos

Dentro do estudo da regência verbal, um dos tópicos estudados na escola e cobrados em cursinhos pré-vestibular é o da transitividade do verbo. Saber determinar se o verbo é transitivo ou intransitivo pode ser uma tarefa difícil, caso o estudante da língua desconheça detalhes fundamentais para o entendimento completo, como os que trataremos neste artigo.

Se você deseja saber tudo a respeito dos verbos transitivos, desde o que são até detalhes a respeito dos vários tipos de verbos transitivos, continue lendo este artigo do Gestão Educacional e tire todas as suas dúvidas!

O que é regência verbal?

É impossível estudar os verbos transitivos sem antes conhecer e entender o que é a regência verbal (também chamada “predicação verbal”). Por regência verbal, entende-se a conexão na oração entre o sujeito e o verbo, e o verbo e o complemento.

Quando a oração envolve apenas a conexão entre o sujeito e o verbo, sem exigir a presença de um complemento, dizemos que o verbo em questão é de predicação completa. Tendo o seu sentido completo, ele não precisa de quaisquer outros termos para completar seu sentido. O verbo, nesse caso, recebe o nome “verbo intransitivo” (V.I).

Por outro lado, quando a oração envolve a conexão entre o sujeito e o verbo, e entre o verbo e o complemento, a fim de completar o seu sentido, dizemos que o verbo em questão é de predicação incompleta. Uma vez que o sentido do verbo ainda não está completo, faz-se necessário que um outro termo apareça para completar seu sentido. Trata-se, portanto, de um “verbo transitivo” (V.T).

Veja a diferença na prática:

 

  • (1) O Rafael partiu. (V.T.)
  • (2) Eu gosto da Ludmilla. (V.I.)

Em (1), o verbo em destaque é do tipo intransitivo, ou seja, de predicação completa. Ele não requer nenhum complemento a fim de completar seu sentido.

Já em (2), “gosto” é um verbo transitivo do tipo indireto (veremos essa questão de ser direto ou indireto mais adiante). Se falássemos apenas “eu gosto”, ficaria a pergunta: gosta de que ou de quem? A fim de completar seu sentido, respondendo às perguntas automaticamente levantadas pelo verbo, utilizou-se o complemento indireto “da Ludmilla”.

Tipos de Verbos Intransitivos

Verbo transitivo, portanto, é todo aquele que tem predicação incompleta e, por isso, exige um complemento verbal a fim de completar o seu sentido. Há os seguintes tipos de verbos transitivos na língua portuguesa:

  • Verbo Transitivo Direto (V.T.D.)
  • Verbo Transitivo Indireto (V.T.I.)
  • Verbo Transitivo Direto e Indireto (V.T.D.I.)
  • Verbo Transitivo-predicativo (V.T.P.)

O que determina o tipo de verbo transitivo é basicamente a maneira como o verbo é ligado ao complemento e a natureza gramatical do complemento. Por exemplo, se o complemento for ligado diretamente ao verbo, na forma de um objeto direto, dizemos que o verbo é transitivo direto. Se for ligado indiretamente, na forma de um objeto indireto, regido por uma preposição, dizemos que o verbo é transitivo indireto.

Alguns gramáticos mais antigos consideram ainda a existência de outros dois tipos de verbos transitivos: os verbos transitivos relativos e os verbos transitivos circunstanciais, dos quais não trataremos aqui.

Vamos nos aprofundar, agora, nos quatro tipos de verbo transitivos mencionados acima.

Verbo Transitivo Direto

O verbo transitivo direto tem como complemento um objeto direto, que recebe esse nome por ser conectado diretamente ao verbo, sem a presença de uma preposição. Confira os exemplos:

  • Mário quebrou a perna.
  • Eu comprei uma casa.

Nesses exemplos, perceba que o objeto direto, sublinhado, liga-se diretamente ao verbo, sem a presença de uma preposição. Os verbos, portanto, são do tipo transitivo direto.

Para testar a transitividade direta do primeiro exemplo, poderíamos fazer a seguinte pergunta: “quem quebra, quebra alguma coisa, ou quebra a alguma coisa”? Se a primeira resposta (quebra alguma coisa) for a correta, o verbo será transitivo direto. Se a segunda reposta (quebra a alguma coisa), sendo o “a” a preposição, for a correta, o verbo será do tipo transitivo indireto. Nesse caso, quem quebra, quebra alguma coisa (um osso, um membro, um objeto etc.), sem a presença de uma preposição. O verbo, nesse contexto, é transitivo direto.

Verbo Transitivo Indireto

Já o verbo transitivo indireto é caracterizado pelo complemento ligar-se a ele de maneira indireta, ou seja, através de uma preposição. O complemento, nesse caso, será chamado “objeto indireto”. Veja:

  • O palestrante falava aos presentes com entusiasmo.
  • Você se arrepende de faltar tanto?
  • Eu moro em São Paulo, capital.

Percebe que, em todos os exemplos acima, há, entre o verbo e o seu complemento, uma preposição, que os liga. Tratam-se, portanto, de verbos transitivos indiretos, ligados a objetos indiretos.

Abrindo um parêntese, é interessante observar que é justamente esse fenômeno que resulta na tão temida crase. No primeiro exemplo, perceba que a junção da preposição “a” com o artigo “os” (de “os presentes”) resultou no termo “aos”. Caso o substantivo do objeto indireto fosse feminino, como “pessoas”, o resultado seria “às”, que nada mais é que a contração da preposição “a” com o artigo “as” (“falava às pessoas”).

Aplicando o mesmo método mencionado anteriormente no segundo exemplo a fim de testar o tipo da transitividade, chegaríamos ao seguinte resultado: “quem se arrepende, se arrepende alguma coisa, ou se arrepende de alguma coisa?”. A resposta correta é “de alguma coisa”, com a preposição “de”. Trata-se, portanto, de um verbo transitivo indireto, regido pela preposição “de”.

Verbo Transitivo Direto e Indireto

Como o nome sugere, nesse tipo de verbo transitivo, há dois complementos para um mesmo verbo: um transitivo direto, outo transitivo indireto.

Um exemplo de verbo transitivo direto e indireto, bastante comum na língua portuguesa, é o verbo “dar”, como você pode conferir no exemplo abaixo:

  • Catarina deu um presente | à sua amiga Jaqueline.

Perceba que, neste exemplo, o verbo “dar” evoca dois complementos: um objeto direto (“um presente”) e um objeto indireto (“à sua amiga Jaqueline”, sendo o “à” a junção entre a preposição “a”, requisitada pelo verbo, e o artigo “a”, de “a sua amiga Jaqueline”).

Ao fazermos aquele teste mencionado anteriormente, percebemos que duas perguntas são feitas ao verbo: “deu o quê e a quem?”.

Confira alguns outros exemplos de verbos transitivo diretos e indiretos:

  • Rita lembrou a professora | de fazer a revisão para a prova.
  • A criança colocou o brinquedo | em cima da mesa.

Verbo transitivo-predicativo

O verbo transitivo-predicativo, por sua vez, é caracterizado por selecionar não apenas um completo direto, mas também um predicativo do sujeito (termo que atribui ao objeto ou, nesse caso, ao sujeito da oração, algum atributo). Confira o exemplo abaixo para compreender melhor:

  • Achei o seu namorado | muito educado.

Nele, o verbo “achar” evocado dois complementos: o objeto direto “o seu namorado” e o predicativo do sujeito “muito educado”). Outros exemplos são os seguintes:

  • Nós julgamos o réu | culpado.
  • Eu considero essa questão | dificílima!

Rafaela Cortes

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e pós-graduanda em Negócios Digitais. Tem mais de 600 artigos publicados em sites dos mais variados nichos e quatro anos de experiência em marketing digital. Em seus trabalhos, busca usar da informação consciente como um instrumento de impacto positivo na sociedade.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content