Pampa – Características, Vegetação, Clima e Fauna

O Pampa é o bioma brasileiro que caracteriza o extremo sul do Brasil, região que, além de contar com paisagens belíssimas, é símbolo de tradições dos países que formam o cone sul dessa parte do continente.

Tal ecossistema é denominado como sendo uma formação campestre de poucos arbustos e árvores de pequeno porte. São vastos campos de gramíneas em sua maior parte, ocorrendo no Rio Grande do Sul.

Em toda América do Sul, ocupa aproximados 750.000 km². Além do Brasil, o bioma é encontrado na Argentina e no Uruguai, países que compartilham o pampa, além de costumes bem parecidos.

Pampa

Formação do Pampa

Também chamado de pampas ou campos sulinos, a parte meridional do Rio Grande do Sul começa a ser ocupada a partir do século 18. Inicialmente, o povoamento aconteceu devido à criação de gado e às cidades importantes que foram surgindo.

Atualmente, corresponde a 63% da área desse estado e a 2% do território nacional. Porém, tais números tendem a diminuir, devido ao processo de degradação que o bioma vem sofrendo.

A compactação do solo, o assoreamento, as queimadas e o processo de arenização estão comprometendo o bioma gaúcho.

Características do Pampa

Este bioma é formado por um conjunto de outros antigos ecossistemas, e tem grande ocorrência de espécimes vegetais e animais, apesar de muitos ainda não serem catalogados.

Em seu relevo, destacam-se as planícies, com ocorrência de morros rupestres e pequenas ondulações chamadas de coxilhas. Suas temperaturas são amenas, mas com inverno rigoroso.

Vegetação

Existem milhares de espécies de plantas no bioma Pampa. Além dos diferentes tipos de gramíneas, é possível encontrar leguminosas e outras tipos florestais específicos da região.

O destaque das plantas encontradas nos Campo sulinos fica para:

  • Capim-forquilha;
  • Grama-tapete;
  • Flechilhas;
  • Barbas-de-bode;
  • Cabelos-de-porco;
  • Babosa-do-campo;
  • Amendoim-nativo;
  • Trevo-nativo;
  • Algarrobo;
  • Nhandavaí.

Essa vegetação se expande em estruturas similares às florestas de savana, porém com plantas menores.

Pampa2

Fauna

A biodiversidade desse ecossistema não se limita às espécies vegetais. O pampa abriga vários tipos de animas, dentre eles:

  • Ema;
  • Perdigão;
  • Perdiz;
  • Quero-quero;
  • Caminheiro-de-espora;
  • Sabiá-do-campo;
  • Veado-campeiro;
  • Graxaim;
  • Zorrilho;
  • Tatu-mulita;
  • Sapinho-de-barriga-vermelha.

Atividade agrícola

O gaúcho é o cidadão que habita os vários hectares dos pampas. Sua ligação com a terra é enorme. Muitas tradições do estado do Rio Grande do Sul nascem nesta região.

Nesse espaço, surgiram cidades como Uruguaiana, Santana do Livramento, Itaqui, Bagé e Santa Maria. A pecuária é a principal atividade econômica do gaúcho, inicialmente, porém, em dias mais atuais a cultura de lavouras, como a soja, avança pelos campos gaúchos.

Esse tipo de exploração econômica tem trazido sérios riscos à região. A arenização, que é a sobreposição de depósitos arenosos em cima da cobertura vegetal, é o principal fenômeno que aponta a devastação provocada pelas monoculturas.

Em muitas áreas de plantio nos pampas, a paisagem dos vastos campos de grama tem dado lugar a perfis arenosos que lembram desertos.

O resultado é a morte do solo, pois a arenização leva consigo nutrientes que tornam impossível a cultura dos vegetais – o que compromete não apenas a natureza, mas principalmente a atividade agrícola, que se destaca pela produção de arroz, feijão, milho e soja.

Estima-se que tal devastação já retirou mais de 60% da vegetação nativa do Pampa. Isso preocupa, e muitos grupos preservacionistas lutam para criar áreas de proteção e conservar espécies animais e vegetais desse bioma.

A ideia inicial é criar áreas de uso sustentável. Não se deseja atrapalhar as atividades econômicas da região, apenas elaborar planos que ajudem a manter intacto o pouco que sobra da biodiversidade nativa do Pampa.

Ocupação do Pampa

Diferente de outras partes do Rio Grande do Sul, os pampas não receberam tantos imigrantes europeus dos séculos 19 e 20. Nessa área, é o guarani e os primeiros colonizadores que ajudaram a criar uma identidade gaúcha.

Os eslavos, alemães e italianos se concentram mais ao norte do estado, formando um tipo um pouco afastado do gaúcho. Claro que esses influenciaram para o atual retrato do estado.

Mas, é o romântico gaúcho dos pampas que surge no imaginário das pessoas. As roupas típicas, o trato com os animais, a tradição do bom churrasco e do sabor apurado do chimarrão é que identificam as pessoas que moram no pampa.

Rafaela Cortes

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content