PIB (Produto Interno Bruto) – O que é e Para que serve?

O PIB (Produto Interno Bruto) é citado semanalmente em noticiários televisivos, em jornais, na internet, mas pouco se fala a respeito dele, como se calcula e o quanto ele influencia na vida dos brasileiros. Isso acaba deixando as pessoas na dúvida quanto à sua real importância na sociedade.

Por isso, neste artigo, vamos entender como ele é criado pela nossa economia, para que ele serve, como funciona e o impacto dele no dia a dia do trabalhador.

O que é o PIB?

O PIB é uma forma de medir o valor dos bens e serviços que são produzidos por um país em determinado período de tempo nas áreas da indústria, da agropecuária e dos serviços. Este é considerado pelos especialistas em economia e pelos gestores de políticas públicas como o principal indicador do nível de desenvolvimento econômico de um país, já que um PIB alto indica que as empresas e os indivíduos estão produzindo mais, proporcionando um maior incremento das riquezas e da renda.

A meta do PIB é medir a atividade econômica e o nível de riqueza de um determinado lugar. Ou seja, quanto mais se produz e mais se gera riqueza, mais as pessoas estão vendendo, consumindo e investindo. Com esses dados em mãos, é possível comparar com outras localidades e fazer diagnósticos a respeito de possíveis problemas estruturais ou financeiros.

Outro ponto positivo do PIB é que ele informa como estão os setores da economia separadamente, destacando quais estão produzindo mais e gerando mais riqueza e aqueles que estão em maior dificuldade. No entanto, é preciso destacar que o PIB não indica o total de riquezas no país, mas sim o que este produz, sendo um importante indicador de economia, mas não o único.

O que entra na conta do PIB?

É importante ressaltar que, para o calcular o PIB, são levados em conta somente os valores finais de bens e serviços. A seguir apresentamos um exemplo oferecido pelo próprio site do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que explica sobre o PIB: se um país produz R$100 em trigo, R$200 em farinha de trigo e R$300 em pão, o PIB será de R$300, já que o valor da farinha e do trigo estão embutidos no preço final do produto. Vale acrescentar que o PIB leva em conta no preço final os impostos sobre os produtos que são comercializados.

Entram na conta do PIB: os bens e finais vendidos ao consumidor, como o pão e o carro; os serviços prestados e remunerados, que vão do banco à doméstica; os investimentos gastos pelas empresas para aumentar sua produção; e os gastos do governo para atender os contribuintes, por exemplo, o salário dos professores.

Ficam de fora: os bens intermediários, que são utilizados para a produção de outros bens; os serviços não remunerados, caso do trabalho feito pelas donas de casa; os bens já existentes, como uma casa já pronta; e as atividades informais ou ilegais, como o caso do trabalhador sem carteira assinada e o tráfico de drogas.

Para que serve o PIB?

Os dados do PIB são criados a partir de inúmeras fontes, que vão de várias pesquisas produzidas pelo próprio IBGE, até dados da FGV (Fundação Getúlio Vagas) e informações da Receita Federal. Mas, afinal, de contas, para que serve o PIB?

Bem, a importância do PIB na vida do brasileiro está no que se pode fazer a respeito dos dados apresentados por sua pesquisa. Com os dados destrinchados do PIB, pode-se traçar uma verdadeira linha do tempo para perceber a evolução do indicador ao longo do tempo.

Além disso, é possível realizar comparativos com o PIB de outros países, indicando qual o tamanho da nossa economia numa comparação com outros locais. É possível ainda analisar o chamado PIB per capita, que é a divisão do PIB pelo número de habitantes, isto é, o quanto caberia a cada brasileiro se a riqueza do país fosse dividida em partes iguais.

Com esses dados em mãos é possível que o Estado e até mesmo o mercado possa ter uma visão macro do cenário econômico do país e possa buscar alternativas para incrementar, por exemplo, aquele setor que, no último período de medição do PIB, teve mais problemas. Esse indicador possibilita que se compreenda o país, porém, não responde a todos os questionamentos, por exemplo, a questão da distribuição de renda, a qualidade de vida, o acesso à educação e saúde etc. Isso porque, é possível que um país possua um PIB baixo e um altíssimo padrão de vida, como é o caso da Islândia. Por outro lado, pode existir um país como a Índia, de PIB alto e crescente, mas com um padrão de vida baixo para seus cidadãos.

Referências utilizadas neste conteúdo:

https://www.ibge.gov.br/explica/pib.php

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content