Pleonasmos – O que é? Como funciona? Exemplos

Você sabe o que é pleonasmo? Talvez você não conheça por nome, mas, certamente, já ouviu muitos por aí, assim como certamente já fez uso deles em algum momento da vida. Neste artigo, veremos o que são pleonasmos e quando e como eles podem ser utilizados para dar mais ênfase ou mais estilo na mensagem que você está tentando comunicar.

Antes, porém, precisamos compreender o que são figuras de linguagem! Confira:

Pleonasmo

O que são figuras de linguagem?

Figuras de linguagens são recursos que todo falante de um determinado idioma dispõe para transmitir uma mensagem de maneira um pouco diferente, de forma mais significativa ou expressiva, dando mais ênfase ou tornando-a esteticamente mais bonita.

Há várias figuras de linguagem e elas são, geralmente, divididas em três categorias:

  • Figuras de palavras (metáfora e metonímia);
  • Figuras de construção (elipse, pleonasmo, hipérbato, silepse, anáfora, etc.);
  • Figuras de pensamento (antítese, paradoxo, clímax, etc.).

Veja, a seguir, como o uso de figuras de linguagem pode alterar a maneira como a mensagem é transmitida. Peguemos a talvez mais famosa das figuras de linguagem, a metáfora.

Na metáfora, como observa Rocha Lima (1996), é um termo transferido para uma esfera de significado que não é a sua. Observe o termo sublinhado no verso de um poema de William Blake:

  • “Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo aparecia para o homem tal como é: infinito”.

No seu sentido literal, o termo “portas” significa um conjunto de… portas, daquelas que todos têm em casa, que servem como passagem de um cômodo para o outro, etc. Porém, o termo, quando empregado no poema de Blake, tem um sentido metafórico: as portas às quais o poeta inglês se refere estão localizadas na mente e são responsáveis por nossa percepção.

Nesse caso, elas também chegam a funcionar como meio de transição, mas para algo metafísico. A utilização do termo, com esse sentido metafórico, torna o verso mais emblemático, bonito, rico.

Curiosidade: O nome da banda californiana de rock progressivo The Doors (As Portas, em tradução livre) foi inspirada nesse verso de Blake. Uma pessoa que não conhece a utilização do termo nesse sentido metafórico pode imaginar uma porta de madeira, ou uma porta de aço, de veículo. Quem conhece, porém, tende a interpretar conforme o sentido utilizado por Blake. Viu a força de uma figura de linguagem?!

Pleonasmo

O que é Pleonasmo?

Compreendido o que são figuras de linguagem, partamos para o que realmente interessa. Valendo-se da definição de Rocha Lima (1996, p. 511), “pleonasmo é o emprego de palavras desnecessárias ao sentido”. Por exemplo, quando dizemos o famoso “eu vou sair para fora”. Nesse exemplo, bastaria dizer “eu vou sair” ou “sairei”, pois quem sai necessariamente tem que sair para fora.

Exemplos de Pleonasmo

Muitas vezes, fazemos uso de pleonasmos sem percebermos, por desconhecermos o significado de determinada palavra. Por exemplo, é muito comum ler ou ouvir, até mesmo em jornais conceituados, que determinada pessoa “morreu eletrocutada”. Se conferirmos o significado de “eletrocutar” no Dicionário, temos a seguinte definição:

  • Eletrocutar: Matar por ação de uma descarga elétrica (Dicionário Online de Português).

Logo, uma pessoa eletrocutada é uma pessoa que necessariamente veio a falecer. Assim posto, dizer que fulano “morreu eletrocutado” é um caso de pleonasmo, pois bastaria dizer que ele “foi eletrocutado”.

Todavia, o pleonasmo pode ser utilizado propositalmente, como um recurso estilístico, ou seja, para tornar a sentença ou o texto esteticamente mais atraente. Como no exemplo abaixo, de uma obra de José Lins do Rego:

  • “Era como se todo o mundo que ele pisara com os pés, que vira com os seus olhos, que pegara com as suas mãos, se perdesse num instante”.

Nele, três pleonasmos são utilizados, propositalmente, para dar ênfase às ações: pisar com os pés, ver com os olhos e pegar com as mãos. O trecho é muito mais impactante e expressivo do que seria se o autor usasse apenas “pisara”, “vira” e “pegara”.

Abaixo, você pode ver alguns exemplos bem comuns de pleonasmos encontrados em nosso dia a dia:

Pleonasmo

Proibido comércio ambulante de camelô sem autorização.

Pleonasmo

Paleteria de paletas.

Pleonasmo

Lan house com Internet.

Pleonasmo

Proibido barulho sonoro após às 22:00h.

Pleonasmo

Peixaria. Temos peixe.


Referências utilizadas neste conteúdo:

CANÇADO, Márcia. Manual de Semântica: noções básicas e exercícios. 2. ed. – São Paulo: Contexto, 2015.
ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa: prefácio de Serafim da Silva Neto. 33. ed. – Rio de Janeiro: José Olympio, 1996.


Rafaela Mustefaga

Rafaela Mustefaga

Graduada em Letras Português/Inglês, pela PUCPR, é revisora e editora de textos informativos, apaixonada por línguas e literatura e professora nas horas vagas.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply