Povo Burgher – Quem são? Como surgiram? História e Formação

Durante a Era das Navegações, os navios portugueses e holandeses buscaram novos territórios para expandir suas redes comerciais e sua influência. Várias colônias nas Américas, na África e na Ásia foram fundadas entre os séculos XVI e XVII.

Uma dessas colônias foi o Sri Lanka, uma ilha situada no oceano Índico, ao sul da Índia. Ex-colônia tanto de Portugal quanto da Holanda, essa ilha ainda guarda resquícios do período colonial, sobretudo com relação a uma minoria étnica conhecida como povo Burgher.

Quem são os Burgher?

Povo Burgher é o nome que se dá aos descendentes de portugueses e holandeses que vivem no Sri Lanka. Essas pessoas representam um pequeno grupo do total de habitantes, mantendo até hoje sua ligação com as tradições, sobretudo, portuguesas.

Significado do termo Burgher

A palavra Burger é de origem germânica e significa “aquele que habita o burgo”, ou seja, os habitantes das cidades fortificadas medievais. No contexto do Sri Lanka, é o nome dado pelos colonizadores holandeses aos habitantes de origem portuguesa. Com o tempo, os próprios descendentes de holandeses passaram a ser reconhecidos como Burgher.

Como surgiram os Burgher?

Os primeiros europeus a visitar o Sri Lanka foram os portugueses, com o navegador Dom Lourenço de Almeida chegando à ilha em 1505. Os portugueses fundaram a cidade de Colombo em 1517, e gradualmente foram estendendo seu controle pelas áreas costeiras e interioranas da ilha.

Como uma forma de consolidar as novas conquistas, os portugueses estimulam o casamento entre colonizadores e habitantes locais em todas as suas possessões. O resultado disso foi o surgimento de uma população mestiça, convertida ao catolicismo e falante do português.

A partir de 1602, com a visita do capitão holandês Joris Spielberg à ilha, os portugueses passaram a ter concorrência em seus domínios. Após uma série de ataques, os holandeses finalmente conquistam Colombo, tomada em 1656, encerrando de forma definitiva a dominação portuguesa na ilha.

Os holandeses agiram da mesma forma que os portugueses, incentivando o casamento com os habitantes locais. Com o tempo, descendentes de portugueses e holandeses também casaram entre si.

No século XVIII, essa comunidade, então uma mistura de portugueses, holandeses, cingaleses e Tâmei, se desenvolveu, falando português ou holandês. Os Burghers de origem portuguesa, sobretudo, mantiveram a sua identidade cultural portuguesa, embora a língua tenha se modificado para uma espécie de “crioulo português” que continuou a ser falado, inclusive, entre as famílias Burghers até ao fim do século XIX.

Conquista inglesa

Os britânicos ocuparam a ilha em 1796, transformando-a formalmente em colônia em 1802 e introduzindo o cultivo de chá, café e borracha. Os britânicos, tinham uma prática comum na maioria de suas colônias, conhecida como “dividir para governar”. Nesse sentido, favoreciam ora um grupo, ora outro, criando rivalidades internas para enfraquecer qualquer tentativa de revolta.

Os Burghers foram um dos grupos favorecidos, e isso criou uma inimizade que durou por muito tempo, pois aos olhos do restante da população passaram a ser vistos como simpatizantes dos colonizadores.

Os Burgher no Sri Lanka hoje

A população dos Burghers (holandeses e portugueses) no Sri Lanka é relativamente pequena, aproximadamente 0,3% da população total (cerca de 40.000 mil pessoas). Atualmente, os Burgher vivem, principalmente, nas regiões das cidades de Bratticaloa e Trincomalee.

Muitas dessas pessoas emigraram para outros países, tais como Reino Unido, Canadá, Suíça, Austrália e Nova Zelândia. Muitas famílias na comunidade Burgher ainda mantêm os nomes de origem portuguesa, bem como ainda falam o crioulo português.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content