Grandes navegações – O que foram? Causas e Consequências

Chamamos de Era das Navegações (ou Era dos Descobrimentos) o período que vai do início do século XV até meados do século XVII. Esse momento da história ficou marcado pela busca de novas rotas comerciais e o consequente estabelecimento de colônias por parte das grandes potências europeias, na busca de ampliar poder, riqueza e influência.

Antecedentes

No século XV, o comércio se tornou importante para as nações europeias. Produtos como seda, incenso e especiarias eram importantes tanto para uso interno, como para a venda, e a maior parte desses produtos só existiam no Oriente.

Porém, a navegação no mediterrâneo estava sob controle das Cidades-Estado de Gênova e Veneza, que recebiam os produtos por meio de grandes caravanas de comerciantes árabes que os traziam em longas viagens terrestres. Posteriormente, com a Conquista de Constantinopla pelos turcos, que bloquearam a passagem pelo Estreito de Bósforo, os produtos ficaram ainda mais caros, tornando inviável o comércio por esses caminhos.

Era urgente encontrar rotas alternativas para que o comércio no Oriente pudesse ser realizado a contento, e nesse sentido vários navegadores se lançaram ao mar na busca por essas rotas, e as consequências dessa empreitada mudaram radicalmente o mundo.

As navegações ibéricas

Portugueses

Os primeiros a buscarem, por mar, novas rotas marítimas foram os portugueses. A partir da conquista da cidade de Ceulta, no norte da África (atualmente) ficou claro para Portugal que o comércio com as Índias só poderia ser realizado pelo mar. Segue-se, então, uma série de viagens, com a primeira passagem pelo cabo Bojador por Gil Eanes, em 1433, e os descobrimentos das ilhas da Madeira e Açores.

A partir de 1460, os portugueses começam a explorar o Golfo da Guiné, na costa africana, prelúdio do futuro comércio escravista. Mas, o grande alto das navegações portuguesas foi em 1487, quando Bartolomeu Dias atingiu o Cabo da Boa Esperança (atual Cidade do Cabo, na África do Sul) fazendo assim a ligação entre os oceanos Atlântico e Índico.

O caminho para as Índias foi descoberto por Vasco da Gama, em 1498, mas a segunda expedição com destino às Índias, comandada por Pedro Álvares Cabral, acabou por chegar em um continente desconhecido.

Espanhóis

O fim da reconquista cristã na Espanha, com a conquista do Reino de Granada, em 1492, marca a entrada dos espanhóis na Era das Navegações. A contratação do genovês Cristóvão Colombo por parte dos Reis Fernando de Aragão e Isabel de Castela tinha como objetivo encontrar uma rota única e exclusiva, ligando o novo reino ao comércio com as Índias.

A expedição de Colombo partiu de Palos de la frontera, no sul do país, em 3 de agosto de 1492. A rota proposta era navegar no sentido oeste. Três meses depois, chegam a uma pequena ilha das atuais Bahamas, supondo ser a Índia. Na sequência da viagem, Colombo passa por Cuba e Haiti, onde deixa um pequeno grupo de homens e retorna para a Europa.

A princípio, a descoberta de Colombo não agradou os monarcas espanhóis. Somente décadas depois é que se teria a dimensão da terra descoberta, e das riquezas que lá seriam encontradas. A partir daí, portugueses e espanhóis vão disputar a hegemonia do Atlântico e das terras recém-descobertas pelos próximos séculos.

Outras potências se lançam ao mar

Holandeses

Ao longo de várias viagens, vão descobrir as atuais Austrália e Nova Zelândia antes de se estabelecerem na atual Indonésia. Antes disso, já haviam estabelecido uma importante colônia no continente americano chamada de Nova Amsterdã, em 1614, posteriormente conquistada e rebatizada pelos ingleses como Nova York. Também estabeleceram uma lucrativa colônia nas cidades do Recife, Brasil, entre 1630 e 1654.

Ingleses

Os ingleses iniciaram sua conquista nos territórios atuais dos Estados Unidos e do Canadá, expandindo depois para Caribe, Índia, Austrália, Nova Zelândia e África do Sul.

Durante muito tempo era comum ouvir a frase “o sol nunca se põe no Império Britânico, devido à vastidão de seus domínios.

Franceses

A maior parte das conquistas francesas foram no continente africano. Mas também se aventuraram na América, estabelecendo colônias em Quebec, Guiana Francesa e sul dos estados Unidos (louisiana) e da Indochina.

Muito tempo tentaram conquistar a Baía de Guanabara e a cidade de São Luís, no Maranhão, sem sucesso.

Consequências

A Era das Navegações contribuiu para a transição entre o período medieval e moderno, modificando o mapa do globo. Expandiu as rotas comerciais e aproximou as áreas mais distantes do planeta.

Por outro lado, o choque cultural foi tremendo. No continente americano, por exemplo, a maior parte da cultura local foi substituída pela cultura europeia. Milhares de nativos morreram vítimas de doenças até então desconhecidas, e civilizações antigas e avançadas, como Incas e Astecas, desapareceram.

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content