Principais constelações – Quais são? Nomenclatura e Exemplos

Os povos das regiões de Mesopotâmia, China, Egito, Grécia e de várias outras regiões da Terra, notaram que o conhecimento das configurações formadas pelas estrelas torna fácil a localização da Lua, dos planetas e de outros objetos celestes. Perceberam, ainda, que, por meio das posições das estrelas em relação ao horizonte, podia-se determinar o início ou término das estações do ano.

A seguir, estudaremos um pouco mais sobre essas estrelas e veremos o que são constelações e quais são as constelações mais importantes existentes.

O que são constelações?

Os povos antigos, citados anteriormente, denominaram constelações esses agrupamentos aparentes de estrelas. Levados por sua imaginação, cada povo da antiguidade uniu estrelas com linhas imaginárias, associando às constelações figuras de heróis de suas lendas, animais e objetos de uso cotidiano.

Nomenclatura das constelações

Muitas constelações foram imaginadas pelos gregos clássicos da antiguidade, sendo seus nomes utilizados até hoje. As estrelas mais brilhantes do céu receberam nomes próprios pelos árabes da Idade Média.

o primeiro mapa celeste foi publicado por John Bayer e as estrelas de cada constelação eram designadas pelas letras do alfabeto grego. Porém, atualmente, os modernos catálogos utilizam números para indicar estrelas.

Agora, as constelações não representam mais figuras imaginárias, elas visam unicamente facilitar a localização dos astros no céu. Para isso, a União Astronômica Internacional dividiu a esfera celeste em 88 regiões, respeitando a localização e os nomes das antigas constelações.

As constelações recebem nomes, atualmente, latinos, sendo ao todo 88 constelações.

Principais constelações

As principais constelações são as constelações zodiacais, austrais, boreais e equatoriais. As constelações que estão nessas categorias e são as mais conhecidas são:

  • Constelações zodiacais;
  • Crux (Cruzeiro do Sul);
  • Canis Major (Cão Maior);
  • Ursa Minor (Ursa Menor);
  • Andromeda;
  • Ursa Major (Ursa Maior);
  • Pegasus (Cavalo Alado);
  • Orion (Gigante Caçador);
  • Canis Minor (Cão Menor).

Constelações zodiacais

As 12 constelações situadas no zodíaco (faixa limitada por círculos paralelos à Eclíptica, observe na imagem abaixo) são Pisces, Aries, Taurus, Gemini, Cancer, Leo, Virgo, Libra, Scorpius, Sagittarius, Capricornus e Aquarius.

Todas essas constelações têm seus nomes ligados a alguma história mitológica. A seguir, veja algumas das características de cada uma:

  • Estrelas duplas e variáveis (áries);
  • Aglomerados visíveis a olho nu (touro, câncer);
  • Nebulosas planetárias (gêmeos, aquário);
  • Várias galáxias (leão);
  • Algumas das 20 estrelas mais brilhantes do céu (virgem, leão);
  • Aglomerados globulares (capricórnio, aquário).

Constelações

Constelações austrais

Crux (Cruzeiro do Sul)

Uma das constelações mais conhecidas entre os brasileiros, ela está quase sempre visível no céu e é ainda utilizada para orientação na navegação marítima e aérea.

Essa constelação representa uma cruz e, em sua parte principal, encontramos cinco estrelas, quatro delas formando uma cruz e uma quinta fora dos braços da cruz.

Eridanus (Rio Eridano)

É uma das mais extensas constelações austrais, localizando-se desde as proximidades da pequena Nuvem de Magalhães até as vizinhanças de Orion.

Encontra-se nela uma das 20 estrelas mais brilhantes do céu, Achernar, e uma galáxia espiral barrada, a NGC 1300.

Canis major (Sabujo ou Cão Maior)

Nessa constelação está a estrela mais brilhante: Sirius (α Canis Majoris). Essa estrela também é uma das mais próximas da Terra, possuindo um grande movimento próprio.

Carina

Nessa constelação, está localizada a segunda estrela mais brilhante do céu, α Carinae, também chamada de Canopus. Ela é rica em aglomerados abertos, aglomerados globulares e nebulosas.

Centaurus (Centauro)

Envolve praticamente todo o Cruzeiro do Sul, encontra-se nela o sistema estelar mais próximo da Terra: o sistema triplo α Centauri. É constituído por mais de 1 milhão de estrelas.

As outras constelações austrais são denominadas:

  • Corvus (corvo);
  • Pisces (Peixe Austral).

Constelações boreais

Ursa Minor

Polaris é a estrela mais brilhante e importante dessa constelação, sendo uma estrela dupla muito útil para orientação. Nela, encontra-se a galáxia espiral NGC 6217.

Auriga (Cocheiro)

Encontra-se nela uma das maiores estrelas conhecidas. É uma das componentes do sistema binário Aurigae, no qual uma das integrantes desse sistema possui diâmetro total de aproximadamente 1500 a 2000 diâmetros solares.

Andromeda

Nela, localiza-se o mais distante objeto celeste capaz de ser observado a olho nu, a galáxia Andrômeda, sendo uma das galáxias mais próximas da Terra.

Também é possível observar nela a nebulosa planetária NGC 7662 e vários outros interessantes objetos.

Ursa Major (Ursa Maior)

Tem forma semelhante à da Ursa Menor, possuindo uma das primeiras estrelas duplas descobertas: Mizar, conhecida como Ursae Majoris.

Pegasus (Cavalo Alado)

Simboliza a estação da primavera para o hemisfério Terrestre Sul. Está situado nela o aglomerado globular M 15.

Outras constelações boreais são:

  • Cygnus (Cisne);
  • Lyra (Lira);
  • Bootes (Boieiro).

Constelações equatoriais

Orion (Gigante Caçador)

É uma das mais conhecidas constelações do céu, por apresentar várias estrelas brilhantes e muitos objetos celestes de fácil visibilidade e grande importância astronômica.

As “Três Marias”, chamadas de Mintaka, Alnilan e Alnitak, estão nessa constelação.

Canis Minor (Cão Menor)

Pequena constelação situada nas proximidades do Equador Celeste, onde podemos encontrar uma das estrelas mais brilhantes do céu, a Procyon. É também um sistema duplo com uma anã-branca.

  • Aquila (Águia).

Natália Alves

Graduanda em licenciatura e bacharelado em Matemática pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content