Sistema digestivo – O que é? Divisão e Funções dos Órgãos

O sistema digestivo, também chamado de aparelho digestivo ou sistema digestório, é um tema comum em aulas de ciências biológicas. Você sabe, ao certo, o que ele significa? A seguir, explicamos tudo a você. Confira!

O que é o sistema digestivo?

sistema digestivo

O sistema digestivo é um conjunto de órgãos, que têm como finalidade digerir alimentos consumidos e extrair deles os nutrientes necessários para garantir que o organismo funcione corretamente. Tudo o que não for benéfico é devidamente eliminado via excremento.

Curiosamente, tal sistema tem início na boca e fim no ânus. Em um adulto, a extensão de todos os órgãos envolvidos nesse processo de digestão pode variar de seis a nove metros.

Divisão do sistema digestivo

O sistema digestivo é dividido em diferentes seções, que compreendem os tubos digestivos e os órgãos anexos, sendo, atualmente, classificados da seguinte maneira:

  • Tubo digestivo alto: boca, faringe e esôfago;
  • Tubo digestivo médio: estômago e intestino delgado;
  • Tubo digestivo baixo: intestino grosso;
  • Órgãos anexos: dentes, língua, glândulas salivares, pâncreas, vesícula biliar e fígado.

Papéis de órgãos do sistema digestivo

sistema digestivo esquema

Boca

É na boca que a digestão inicia, com a umidificação dos alimentos, pela saliva, e redução em menores partes, pelos dentes. A língua desempenha um papel importante de movimentação mecânica da massa alimentar.

Faringe

Trata-se de um tubo muscular membranoso, conectado à boca e ao esôfago. A única função da faringe é levar o alimento até o esôfago, fazendo um movimento de contração. Quando esse transporte é realizado, o órgão fecha sua via respiratória, impedindo que o alimento seja dirigido a canais de respiração.

Esôfago

O esôfago é um conduto muscular que espreme os alimentos e os leva em direção ao estômago. Esse movimento de compressão da massa alimentar é chamado de peristaltismo.

Estômago

O estômago é um órgão com formato de bolsa, sendo sua principal função digerir proteínas, como as provenientes de carnes e outros produtos de origem animal. Para isso, o estômago produz, naturalmente, suco gástrico, que contém ácido clorídrico, água, enzimas e sais.

Como esse suco é altamente corrosivo, o estômago é coberto por uma camada, que recebe o nome de mucosa gástrica, capaz de proteger o órgão de inflamações (gastrite) ou feridas (úlceras).

O suco gástrico tem, em sua composição, uma enzima importante – a pepsina -, responsável por quebrar as moléculas de proteína em pequenas partes, processo que dura de duas a quatro horas.

Intestino delgado

Órgão revestido por mucosa enrugada, atuando na separação de enzimas digestivas, o que dá origem, por exemplo, aos aminoácidos e à glicose. O intestino delgado é composto por três partes: duodeno, jejuno e íleo.

O duodeno é a primeira delas, que recebe o material recém processado pelo estômago (chamado de quimo). O quimo é banhado pela bile e pelo suco pancreático – substâncias que tirarão a acidez, tornando-o alcalino.

Então, o quimo estará pronto para passar pelo jejuno e íleo, sem prejudicar o órgão. Tudo que não for aproveitado pelo organismo é transformado numa pasta consistente, que é transportada ao intestino grosso.

Intestino grosso

Órgão que tem como função armazenar e eliminar os resíduos gerados e não aproveitados pelo organismo no processo de digestão. Assim como o delgado, o intestino grosso é composto por três partes: ceco, cólon e reto.

A transferência dos resíduos alimentares (bolo fecal) pelo ceco (porção do intestino grosso) é rápida, somente a passagem pelo cólon é mais demorada, permanecendo por horas.

Essa passagem do bolo fecal até o reto é facilitada por um muco secretado pelas glândulas da mucosa do órgão, que lubrificam as paredes do intestino grosso e facilitam a eliminação/evacuação.

A parte final do intestino grosso é o reto, composto pelo canal anal e ânus, por onde é eliminado o bolo fecal produzido durante parte do processo de digestão de alimentos.

Órgãos acessórios

Embora sejam comumente esquecidos quando se fala no sistema digestivo, os órgãos acessórios são importantíssimos, porque diminuem os alimentos em partes menores e liberam enzimas que facilitam todo o processo de digestão.

Quando os órgãos acessórios são deficientes, a digestão pode ser prejudicado, levando ao sobrecarregamento de outros órgãos ou surgimento de doenças, como gastrite, úlcera, prisão de ventre, entre outras.


Rafaela Cortes

Rafaela Cortes

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply