Adjunto adnominal – O que é? Para que serve? Tipos e Exercícios

O adjunto adnominal é um termo acessório da oração que pode se juntar ao núcleo substantivo para acrescentar-lhe um dado novo à significação, sempre de valor adjetivo. Em outras palavras, ele modifica um substantivo, acrescentando-lhe características e atributos.

Adjunto adnominal

Para que serve o adjunto adnominal?

Observe o exemplo, abaixo, para compreender melhor:

  • Eduardo adora música clássica.

O termo destacado é o adjunto adnominal, que se juntou ao núcleo substantivo do objeto direto (música), dando-lhe uma característica: não é de qualquer tipo de música que Eduardo gosta — ele gosta de música clássica.

O adjunto adnominal junta-se sempre ao núcleo substantivo de uma determinada função sintática. No exemplo acima, como vimos, ele juntou-se ao núcleo substantivo do objeto direto. Entretanto, pode se juntar ao núcleo do objeto indireto, do sujeito, etc.

Mas sempre ao substantivo! Um adjunto adnominal nunca pode se juntar a um advérbio ou um adjetivo. Para esses, e para determinados substantivos, existem os chamados complementos nominais, cuja principal diferença é o fato de não serem opcionais, mas obrigatórios.

Porém, algo que vale destacar é que, pelo fato de o adjunto adnominal ser um termo acessório, ele não é obrigatório na oração. A sentença do exemplo A poderia ser apenas:

  • Eduardo adora música.

Nesse caso, a falta de um adjunto adnominal generaliza o tipo de música: não é um gênero em particular, ele gosta de músicas, no geral. A frase, entretanto, não perdeu o sentido.

Como são expressos os adjuntos adnominais?

A função adjetiva do adjunto adnominal pode ser expressa por:

  1. Adjetivos: Ex: A menina só come verduras frescas;
  2. Locuções adjetivas: diferem de adjetivos por exigirem a presença de duas ou mais palavras, podendo ser, por exemplo, uma preposição + um substantivo, que, juntos, ganham valor adjetivo, como em: Roubaram meu cavalo de raça;
  3. Artigos: definidos (a, o, as, os) ou indefinidos (um, uma, uns, umas). Ex: O menino viajou; Uma menina passou por aqui;
  4. Pronomes adjetivos: (meu, minha, seu, sua, aquele, aquela, este, esta, quantos, ninguém, etc.), como em: Minha bola caiu no quintal do vizinho; Quero comprar aquela casa;
  5. Numerais adjetivos: (um, dois, segundo, terceiro, etc.), como em: Foi o primeiro lugar que visitei; A carne é de primeira?
  6. Orações subordinadas adjetivas: com a conexão entre as duas orações sendo feita pelo pronome relativo que, como em: Ele foi o jogador que mais ganhou campeonatos.

 

aprendendo metáforas

Combinações de adjuntos adnominais

Um detalhe a ser observado é que a um mesmo núcleo substantivo é possível adicionar vários adjuntos adnominais. Por exemplo:

  • Roubaram meu cavalo de raça;
  • Meu velho amigo de infância!

Mas, perceba que os adjuntos adnominais estão sempre próximos ao núcleo substantivo ao qual estão acrescentando informações.

Exercícios Resolvidos

1) Identifique e sublinhe os adjuntos adnominais nas sentenças abaixo.

a) Bons ventos o levem, meu filho.

b) Pintei meu carro velho ontem.

c) Minha mãe é ruiva.

d) Posso ir na sua casa amanhã?

e) Eu comprei cinco livros com meu primeiro salário.

f) O rato roeu a roupa do rei de Roma.

2) Os trechos, abaixo, foram retirados da obra As Vinhas da Ira, de John Steinbeck. Identifique os adjuntos adnominais de cada um deles.

a) “O caminhão retomou seu caminho. O sol tocou o horizonte selvagem e tingiu o deserto de vermelho”.

b) “Caminharam entre carcaças de automóveis até chegarem a um sedã enferrujado […]”.

c) “Então chegaram as multidões de espoliados e assaltaram o Oeste”.

d) “Aqui tem uma fazenda de pêssegos grande […]”.

RESPOSTAS

1)

a) Bons ventos o levem, meu

b) Pintei meu carro velho

c) Minha mãe é ruiva.

d) Posso ir na sua casa amanhã?

e) Eu comprei cinco livros com meu primeiro salário.

f) O rato roeu a roupa do rei de Roma.

2)

a) “O caminhão retomou seu O sol tocou o horizonte selvagem e tingiu o deserto de vermelho”.

b) “Caminharam entre carcaças de automóveis até chegarem a um sedã enferrujado […]”.

c) “Então chegaram as multidões de espoliados e assaltaram o Oeste”.

d) “Aqui tem uma fazenda de pêssegos grande […]”.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content