Adjunto adverbial – O que é? Exemplos e como usar

O adjunto adverbial é um dos termos acessórios da oração. Ele é responsável por se juntar a um verbo, adjetivo ou advérbio, acrescentando a ele uma informação, determinando-o, qualificando-o ou modificando-o.

Neste artigo do Gestão Educacional, veremos tudo a respeito do adjunto adverbial. Saiba o que são os termos acessórios (dos quais o adjunto adverbial faz parte),  o que são adjuntos adverbiais e como eles são classificados.

O que são os termos acessórios da oração?

O adjunto adverbial é um dos termos acessórios da oração. Para compreendê-lo, portanto, é preciso entender o que são esses chamados termos acessórios da oração.

Os termos acessórios da oração são, em conjunto com os termos essenciais e os termos integrantes, aquilo que se entende por termos constituintes da oração. São eles os responsáveis por estruturá-la, cada um à sua maneira.

Os termos acessórios da oração são especificamente aqueles que se juntam a um nome ou a um verbo para determinar, qualificar ou modificar o sentido de outros termos. Como o nome sugere, eles são apenas acessórios, não sendo indispensáveis para o entendimento do enunciado.

Confira um exemplo de termo acessório:

 

  • Eu te amo perdidamente.

O termo em negrito no exemplo acima é um termo acessório da oração. Trata-se justamente de um adjunto adverbial. Ele está qualificando o sentido do verbo “amar”: o sujeito não apenas ama a sua interlocutora; ele a ama perdidamente.

Porém, perceba que o termo em questão não é essencial para o entendimento da oração. O sujeito poderia dizer apenas:

  • Eu te amo.

Nesse exemplo, o sentido da oração também está completo. Logo, concluímos que “perdidamente”, adjunto adverbial utilizado no primeiro exemplo , não é essencial para o entendimento da oração. Ele serve apenas para acrescentar uma nova ideia a ela. Daí o nome, termo acessório.

Esse detalhe é uma das coisas que diferencia o adjunto adverbial (e os demais termos acessórios) do complemento verbal (e demais termos integrantes): enquanto os primeiros são dispensáveis da oração, apenas acrescentando informações extras, os segundos são indispensáveis no momento em que são requisitados, embora não essenciais.

O que é o adjunto adverbial?

Portanto, o adjunto adverbial é o termo, de valor adverbial, que se anexa a um verbo, adjetivo, advérbio ou a toda uma oração para determinar, qualificar ou modificar o sentido destes, acrescentando uma nova informação.

Por ser um dos termos acessórios da oração, o adjunto adverbial não é indispensável para o entendimento do enunciado, podendo ser retirado da oração sem que o sentido dela seja perdido.

Confira alguns exemplos de adjunto adverbial. Os adjuntos adverbiais estão em negrito; os termos aos quais eles estão se anexando estão sublinhados:

  • Gabriel, escute atentamente aos conselhos que eu te darei.
  • Como você é extraordinariamente perspicaz!
  • Minha filha mora muito longe de mim.
  • Todos os funcionários precisarão passar por exames na próxima semana.
  • Certamente, os patrões aceitarão as exigências do sindicato.
  • Nós vamos partir de manhã.

Perceba que, em todos os exemplos acima, é possível retirar os adjuntos adverbiais (termos em negrito) sem que o sentido da oração seja perdido. Mesmo sem os adjuntos adverbiais, as orações podem ser facilmente entendidas.

Além disso, com base nos exemplos, podemos perceber o seguinte: o adjunto adverbial é sempre um advérbio, como “atentamente”, ou uma locução adverbial, como “na próxima semana”. Outra possibilidade é a de ele ser representado por uma oração adverbial, como no exemplo abaixo:

  • Quando acordou, ela já tinha ido embora.

Classificação dos adjuntos adverbiais

Há muitos tipos de adjuntos adverbiais, de modo que é impossível listar todos. A seguir, listaremos alguns dos principais tipos de adjuntos adverbiais (eles estão sublinhados nos exemplos abaixo).

 

  • Adjunto adverbial de causa: Perdi o amor da minha vida por causa de um simples deslize.
  • De companhia: Eu trabalhei com meu pai.
  • De dúvida: Talvez eu estivesse errado naquela situação.
  • De fim: Jéssica se preparou para os exames finais.
  • De instrumento: Eu faço meus desenhos a caneta.
  • De intensidade: Gosto muito da Bruna.
  • De lugar (equivalente a “aonde”): Veja aonde
  • De lugar (equivalente a “onde”): Pedro entrou em casa
  • De lugar (equivalente a “donde”): Suma daqui, garoto!
  • De lugar “equivalente a “para onde”): Levaram o meu gato para o pet shop.
  • De lugar: “equivalente a “por onde”): Eu já viajei pelos quatro cantos do mundo.
  • De meio: Eu gosto de me viajar de moto.
  • De modo: Ela ergueu carinhosamente o filho.
  • De negação: Espero que ele não me procure mais.
  • De tempo: Eu estudo das 7:50 ao meio dia.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content