Classificação dos seres vivos – Monera, Protista, Fungi, Plantae, Animalia

A sistemática e a taxonomia são divisões da Biologia que visam a classificação dos seres vivos. Toda classificação ocorre de acordo com algum critério pré-estabelecido e é caracterizada pela organização em classes, grupos e subconjuntos que facilitam o estudo dos seres vivos.

Além disso, as classificações pretendem entender e conhecer a biodiversidade, estabelecendo relações evolutivas entre elas, além de criar um sistema universal para o reconhecimento das espécies, diminuindo as confusões geradas pelos nomes comuns.

Categorias taxonômicas

A classificação da biodiversidade atual, dos táxons (níveis) mais gerais para os mais específicos, é:

Classificação dos seres

Com base em evidência de DNA, criou-se um sistema composto de três domínios: Archaea, Bacteria e Eukaryota. Archaea compreende as bactérias primitivas que vivem em condições ambientais extremas; Bacteria são as bactérias verdadeiras; e Eukaryota é a que abriga os demais organismos eucariontes.

Em seguida, temos os reinos que são definidos de acordo com suas características estruturais e de hábito alimentar. Depois, há os táxons inferiores, que são agrupados de acordo com a sua morfologia e história evolutiva analisadas em programas de taxonomia. São as chamadas árvores filogenéticas que avaliam o parentesco de ancestralidade entre as espécies, por meio de dados genéticos e morfológicos.

Por fim, espécie é definida como os organismos semelhantes fisicamente que possam gerar descendentes férteis.

Características dos seres vivos

Os seres vivos são então classificados dentro de cinco reinos: Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia. Esta ordem implica no aumento da complexidade dos seres.

Reino monera

Reino Monera componentes

É caracterizado pelas Eubactérias, Cianobactérias e Arqueobactérias. Suas principais características são:

  • Unicelulares;
  • Procariontes;
  • Autótrofos ou heterótrofos;
  • Organização em colônias.

As bactérias podem viver em diversos habitats, desde dentro de outros animais, até na vegetação. Possuem grande importância ecológica, pois certas espécies atuam como decompositores, participando do ciclo do nitrogênio, e também na biotecnologia.

Por exemplo, muitas bactérias são utilizadas em procedimentos de engenharia genética e na indústria alimentícia. Além disso, algumas são causadoras de doenças.

As cianobactérias possuem clorofila, sendo as fotossintetizadoras aquáticas, classificadas como fitoplâncton.

As arqueobactérias são os seres que vivem em condições extremas, como locais com alto teor de sal, locais de grandes temperaturas (como em lava vulcânicas), e áreas com alto teor de metano (em pântanos e no lixo).

Reino protista

Composto pelos protozoários e pelas algas, suas principais características são:

  • Unicelulares;
  • Eucariontes;
  • Autótrofos ou heterótrofos;
  • Organização em colônias.

Protozoários são conhecidos como os primeiros seres com características “animais”, como a heterotrofia e a capacidade de locomoção, porém as algas também são classificadas neste grupo, mas são seres autótrofos.

As algas contam com importante papel na fotossíntese realizada em ambientes aquáticos de água doce ou salgada, e também podem estar associadas simbioticamente com outros animais, como a preguiça.

Alguns destes protozoários são também alimento para outros animais e há os protozoários saprófitas e os que se alimentam de bactérias. Além disso, certas espécies são responsáveis por causar doenças no homem.

Reino fungi

Este reino é composto pelos fungos Eumicetos, Ascomicetos e Basideomicetos.

Suas principais características são:

  • Uni ou pluricelulares;
  • Eucariontes;
  • Heterótrofos;
  • Organização em colônias.

Os fungos são seres eucariontes que possuem todas as organelas e membranas bem definidas. Podem ser encontrados em diversos ambientes, como água, terra ou ar, ou vivendo como parasitas.

Muitas espécies são também altamente tolerantes a temperaturas extremas e ambientes hipertônicos. Sua alimentação ocorre pela absorção de nutrientes.

São importantes na alimentação de outros animais, até mesmo de humanos, além possuírem importância industrial e médica, uma vez que certas espécies são usadas para fermentação de pães e cervejas, por exemplos, e outras são causadoras de doenças, como as micoses.

Reino plantae

É o reino composto pelas plantas, que são divididas em briófitas, pteridófitas, gmnospermas e angiospermas.

Principais características são:

  • Pluricelulares;
  • Autotróficos;
  • Realização de fotossíntese;
  • Presença de clorofila.


As briófitas são avasculares, de pequeno porte e que não precisam de incidência direta da luz solar para sobreviverem. São dependentes de locais úmidos, por não possuírem vasos para condução de nutrientes e seiva, sendo transportados pela difusão.

As pteridófitas são maiores que as briófitas, terrestres, porém preferem locais úmidos. Elas foram as primeiras a desenvolverem um sistema para o transporte de seiva, os vasos condutores.

As gmnospermas são representadas por árvores e arbustos, são vasculares e possuem todas as estruturas características das plantas (raiz, caule, folha e sementes).

As angiospermas são as plantas que possuem sementes como as gmnospermas, porém protegidas pelos frutos (o ovário). Além disso, contam com flores que atraem animais para fazer a polinização e dispersão de suas sementes. São plantas vasculares com tamanhos variados.

Reino animalia

Este grupo é composto por todos os animais (poríferos, celenterados, platelmintos, nematelmintos, anelídeos, artrópodes, moluscos, equinodermos e cordados).

Suas principais características em comum são:

  • Pluricelulares;
  • Eucariontes;
  • Heterótrofos;
  • Aclorofilados.

Apesar de tão amplo, este grupo conta com tais particularidades que os distinguem dos demais. Para os níveis inferiores, são utilizadas características que ocorrem durante o desenvolvimento embrionário, como: nível de organização corporal, simetria, número de folhetos germinativos e disposição do celoma.

Vale lembrar que este reino geralmente fica nas posições superiores da cadeia trófica, por serem heterótrofos. Portanto, são geralmente consumidores primários ou secundários, dependendo do tipo de sua dieta.


Bruna Manuele Campos

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply