Fórum Social Mundial – O que é? Objetivos e Histórico das sedes

O Fórum Social Mundial ocorre há praticamente duas décadas e se mostra como uma importante ferramenta na busca por alternativas de promoção de um mundo melhor. Desde a sua primeira edição em Porto Alegre, em 2001, o evento reúne ativistas, instituições e organizações sociais de várias partes do planeta, em um movimento apartidário, ainda que envolva algumas correntes partidárias que participam de maneira ativa dos debates.

Por meio deste fórum, é possível o desenvolvimento de um debate de ideias bastante democrático, além do compartilhamento de experiências e vivências. Com um viés crítico à globalização, o Fórum Social Mundial visa propor um mundo diverso do que a proposta globalizante baseada no modelo capitalista liberal.

Objetivos do Fórum Social Mundial

O fórum foi criado para fazer um contraponto ao Fórum Econômico Mundial, que ocorre desde 1974 na cidade suíça de Davos e reúne os maiores milionários do planeta e os presidentes das principais potências do globo, com o intuito de melhorar e expandir o neoliberalismo, acumulando riquezas e desconsiderando a maior parcela da população, a mais pobre.

Entre os objetivos do Fórum Social Mundial está o desenvolvimento de debates abertos e descentralizados, que resultem em propostas que possam oferecer alternativas para a sociedade atual do ponto de vista social e econômico.

Ressalta-se o caráter democrático e livre desse fórum, cujo objetivo é justamente o de promover um maior diálogo entre quem pensa de forma distinta, englobando uma gama diversa de personagens e atores.

O fórum espera promover ainda uma maior interação e troca de ideias entre os movimentos sociais do mundo e permitir uma melhor interlocução entre os indivíduos e movimentos que se opõem ao neoliberalismo e acreditam que é possível um mundo mais justo e solidário. Por meio dos encontros, melhora-se a conexão entre os participantes, incrementando as estratégias e ações.

Consta em sua carta de princípios a certeza de que “um outro mundo é possível”, isto é, na possibilidade de reverter o processo de globalização e de se contrapor ao modelo econômico capitalista. Ali também consta que se trata de um movimento mundial que visa aproximar entidades e movimentos sociais, mas sem se colocar como instância representativa da sociedade civil do mundo.

“As alternativas propostas no Fórum Social Mundial contrapõem-se a um processo de globalização comandado pelas grandes corporações multinacionais e pelos governos e instituições internacionais a serviço de seus interesses, com a cumplicidade de governos nacionais. Elas visam fazer prevalecer, como uma nova etapa da história do mundo, uma globalização solidária que respeite os direitos humanos universais, bem como os de [email protected] @s cidadãos e cidadãs em todas as nações e o meio ambiente, apoiada em sistemas e instituições internacionais democráticos a serviço da justiça social, da igualdade e da soberania dos povos”, aponta um trecho da carta de princípios do Fórum Social Mundial.

Histórico das sedes do Fórum Social Mundial

Considerada um sucesso, a primeira edição reuniu mais de 20 mil pessoas de 117 países na capital gaúcha do Brasil, Porto Alegre. O encontro gerou o lema “Um outro mundo é possível”, tentando propor uma forma alternativa de inserção dentro do capitalismo global ao qual a sociedade mundial está inserida.

Diante do sucesso dessa empreitada, outros encontros foram realizados. Nos dois anos seguintes à primeira edição, o Fórum Social Mundial também ocorreu em Porto Alegre. Já em 2004, o fórum teve como sede a cidade de Mumbai, na Índia, e contou com 111 mil presentes de 117 nações. Dois anos depois, o evento foi sediado em Caracas, capital da Venezuela, e reuniu 80 mil participantes.

Em 2007, o Fórum Social Mundial desembarcou na África, mais precisamente em Nairóbi, no Quênia. No ano seguinte, o fórum não ocorreu em uma sede específica, porém, aconteceu a Semana de Mobilização Global, gerando o Dia de Ação Global, para manter as reflexões e a ideia em movimento. Já em 2009, o encontro voltou a ter uma sede, mais precisamente em Belém, capital do Pará, que recebeu cerca de 120 mil pessoas de 150 países.

Em 2010, o evento foi novamente descentralizado, voltando a ter sede em 2011, em Dakar, no Senegal. Porto Alegre sediou ainda em 2012, 2013, 2016 e 2017, e a cidade de Túnis, na Tunísia, recebeu o fórum em 2014 e 2015. Em 2018, o Fórum Social Mundial foi para o Nordeste, tendo como sede a capital da Bahia, Salvador.

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content