Guerra fria – O que foi? Quando foi o fim? Resumo da história

A Guerra Fria (1947-1991) é o nome dado à luta ideológica entre socialistas e capitalistas, liderados por  União Soviética e Estados Unidos, respectivamente, logo após a Segunda Guerra Mundial. O período, foi marcado por uma disputa tecnológica que tentava provar ao mundo qual das nações era a mais desenvolvida, sem conflitos armados diretos – daí a nomeação do evento histórico.

Segundo os historiadores, a adesão à Paz Armada que caracterizou a Guerra Fria foi  uma tentativa de livrar o mundo de uma potencial guerra nuclear, uma vez que ambas as potências líderes do conflito detinham armas nucleares, além de que a explosão recente em Hiroshika e Nagasaki lançou a hipótese do fim da humanidade em uma guerra atômica.

As Causas – Como começou?

Guerra FriaA luta entre os dois povos  (URSS vs EUA) pode até parecer estranha para quem já estudou a Segunda Guerra Mundial, já que lutaram um ao lado do outro para dar um fim ao avanço nazista alemão.

Contudo, a verdade é que, ideologicamente, os dois sempre competiram e só estavam esperando o momento certo para disputar o poder mundial entre si. Após o término da Segunda Guerra,  o fascismo e nazismo caíram e o mundo ficou aberto para a liderança de uma nova potência econômica mundial. Em outras palavras, culminou em um momento ideal para que a briga entre os dois polos iniciasse.

O objetivo da Guerra Fria, portanto, baseava-se na conquista da superioridade ideológica, geopolítica e militar. Apesar dos dois líderes serem a União Soviética e os Estados Unidos,  quase todas as nações do mundo estiveram envoltas nessa corrida desenvolvimentista, defendendo a vertente socialista ou capitalista.

Resumo da Guerra fria

Os países capitalistas defendiam a expansão da economia, baseada no mercado capital, no sistema democrático e na defesa da propriedade privada. Os Estados Unidos, liderado por Harry Truman, lançou o Plano Marshall, o qual garantia empréstimos a juros baixos para investimentos em diversos países. A estratégia possibilitou a recuperação de várias nações economicamente afetadas pelo fim da Segunda guerra Mundial.

Do outro lado, a ideia dos países socialistas era a de  tentar provar ao mundo que a igualdade social por meio da extinção da democracia trazia muito mais benefícios sociais do que o capitalismo. A estratégia inicial da URSS, portanto, foi a da criação do Kominform, tratado que impedia os aliados socialistas de se interessarem pelas políticas econômicas estadunidenses. Além disso, lançaram o Comecon, um tratado quase igual ao Plano Marshall, mas destinado aos socialistas.

Assim, as demais nações do mundo  começaram a tomar seus lados na disputa. A Alemanha Ocidental, por exemplo, aliou-se aos Estados Unidos para conseguir recuperar-se dos estragos da guerra, levando com ela boa parte da Europa Ocidental. Já a parte Oriental ficou sob influência da URSS. Para forçar as demais nações a participarem da batalha, foram criados blocos econômicos específicos de ambas as potências ideológicas.

Foto Guerra Fria

OTAN e o Pacto de Varsóvia

Do lado capitalista, foi criada a OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), composta por Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Bélgica, Países Baixos, Luxemburgo, Dinamarca, Noruega, Finlândia, Portugal, Itália, Turquia, Grécia e Alemanha Ocidental.

A versão socialista criou o Pacto de Varsóvia, com um compromisso de mútua proteção aos países alinhados com a ideologia anti-capital. Os países abarcados pelo tratado eram União Soviética, Polônia, República Democrática Alemã, Checoslováquia, Hungria, Romênia, Bulgária, Albânia e Iugoslávia.

A Corrida Espacial

Como o conflito era indireto, a forma de saber quem estava ganhando a Guerra era analisando qual potência econômica era mais forte, seja  pela quantidade de países aliados e ou pela análise do desenvolvimento tecnológico e científico – incentivo que levou à Corrida Espacial.

A Corrida Espacial consistiu na criação e implementação de diversos avanços espaciais.  Quem começou a competição foram os soviéticos, com a criação do primeiro foguete, Sputnik, lançado em 1957. A potência também chegou a levar o primeiro ser humano (astronauta Iuri Gagarin) ao espaço.

Já os Estados Unidos deram a resposta oito anos depois, em 1969, com o projeto que levou o homem à lua na missão espacial norte-americana.

Durante a guerra tecnológica, muitos avanços científicos foram feitos por ambas as potências, como a criação de armas químicas e até o desenvolvimento da Internet, com o projeto “Arpanet”, desenvolvido pelos militares americanos.

corrida espacial

Envolvimentos indiretos

Indiretamente,  a URSS e os EUA ainda utilizaram das armas para conseguir expandir suas áreas de influência, o que deu origem à Guerra das Coreias e à Guerra do Vietnã.

A Guerra da Coreia sucedeu-se por pressão da URSS para que China e Coreia adotassem o sistema socialista em seu território, no entanto, essa preferia aliar-se aos Estados Unidos, o que acabou gerando a divisão da região em Coreia do Norte e Coreia do Sul – que permanece até hoje.

A Guerra do Vietnã, por outro lado, ocorreu devido às influências de ambas as potências mundiais, por conta do interesse econômico na região, que é repleta de petróleo. A vitória do conflito foi da União Soviética, que obteve vantagens táticas no território tropical.

O fim da guerra fria – Como terminou?

A Guerra Fria começou a esfriar a partir da década de 1980, devido aos conflitos internos dos bolchevistas. O que aconteceu foi que os países do bloco socialista passaram por uma forte crise econômica, devido aos baixos salários e à própria insatisfação popular, que levou fazendeiros e donos de indústrias a queimar produtos na tentativa de intensificar ainda mais as disputas econômicas.

O então líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev, implementou  um plano de reintegração econômica dos países de maioria soviética que, aos poucos, fez com que esses se engajassem novamente à economia mundial.

O marco do fim da Guerra Fria foi a queda do Muro de Berlim, em 1989, o qual dividia a Alemanha  em capitalista e socialista. O desmanche do muro é tido, até hoje, como uma metáfora para o desmantelamento da ideologia socialista, a qual diminuiu sua predominância consideravelmente até o fim da reunificação total da Alemanha, em 1990.

Queda do muro de berlim

Consequências da Guerra Fria (Pós-Guerra)

A principal consequência do fim da Guerra fria foi a dominância dos Estados Unidos como a  maior potencia mundial e o aumento de sua influência em todas as negociações mundiais.

A propaganda anti-comunista liderada pelo bloco capitalista também tem interferência até hoje, com a diminuição dos partidos sociais em detrimento da ideologia liberal de livre comércio. O marco dessa ideologia se deu pela criação do programa Cortina de Ferro, liderado por Winston Churchill em um famoso discurso ocorrido na década de 1950.

As alianças militares de países capitalistas e socialistas também existe até hoje, inclusive mantêm o mesmo nome (OTAN e Pacto de Varsóvia), mas com pequenas alterações nos contratos.

O uso de espionagem militar pela CIA (EUA) e KGB (URSS) ainda está presente na contemporaneidade nas duas potências mundiais.

Ainda, várias revoluções foram desencadeadas pela bipolarização política mundial, como a Guerra da Coreia, Revolução Cubana, Guerra do Vietnã e até Ditadura Militar brasileira, mas essa já é outra história…


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply