Marsupiais – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

Dentro dos grupos dos mamíferos, encontra-se a classe Metatheria, também chamada de Marsupialia. Esse grupo contém mais de 250 espécies. A maior diversidade desses animais encontra-se na Austrália, na Nova Guiné e nas ilhas que se localizam naquela região, correspondendo a mais de 200 espécies. Os exemplos mais característicos são os coalas e cangurus. No entanto, o Brasil também conta com uma diversidade considerável desses animais, como as espécies de gambás. Cerca de 70 espécies ocorrem no continente americano, principalmente entre a América Central e América do Sul.

A principal característica dos marsupiais é o tipo de reprodução. O filhote nasce pré-maturo e termina seu desenvolvimento em uma estrutura chamada de bolsa ou marsúpios. Confira mais detalhes desse grupo, abaixo.

Características físicas

A característica mais peculiar dos marsupiais é a presença de uma bolsa, chamada marsúpio, que se localiza no inferior do abdome materno. É no marsúpio que os filhotes terminam o período de gestação, antes de se desligarem do corpo materno. Embora a maioria dos marsupiais apresente essa estrutura, essa não é uma regra geral. Em algumas espécies, as tetas podem ficar totalmente expostas ou cercadas por um resquício de marsúpio.

Assim como outros mamíferos, apresentam pelo por todo o corpo. Além disso, têm seios com glândulas mamárias para amamentação dos filhotes.

O maior exemplo de marsupial é o canguru vermelho (Macropus rufus), que atinge até 2 metros de altura e 3 metros, considerando o comprimento da cauda. Um macho adulto dessa espécie pode pesar mais de 90 quilos. O menor exemplar do grupo é o rato marsupial, que mede aproximadamente 12 centímetros. A maioria das outras espécies tem o tamanho variável entre um esquilo e um cachorro de porte médio.

Comportamento

Ao contrário do que parece, a maioria dos marsupiais são solitários. Quase não há organização social permanente entre esses animais. O que ocorre, é que a maioria dos marsupiais herbívoros pastadores se junta em grupos para se alimentar, um comportamento denominado mobs, como acontece com os cangurus. No entanto, não há um líder nesses grupos. A única espécie que se sabe possuir grupos sociais coesos são as espécies do gênero Petaurus.

Os cangurus apresentam comportamento de luta contra rivais, que podem se tornar bastante agressivas. Outros comportamentos que esses animais alfas podem apresentar são caminhar sob as quatro patas, com as costas arqueadas, esfregar peito no chão e ficar ereto se mostrando e urinando. Quando há algum indivíduo próximo que está ferido ou machucado, tanto cangurus como wallabies podem se tornar defensivos também.

Habitat

Os mamíferos podem ocupar diferentes tipos de habitat, desde florestas tropicais até desertos.

Alimentação

A alimentação desses animais é bastante variada. Muitos são carnívoros, se alimentando de insetos e outros pequenos animais. Um exemplo é o demônio da Tasmânia e o extinto lobo da Tasmânia. Outros são herbívoros, como os cangurus, wallabies e wombats da Austrália.

Os numbats, também da Austrália, se alimentam de formigas e cupins, utilizando suas longas línguas. Outros gambás e bandicoots apresentam uma dieta onívora, consumindo plantas e insetos. Alguns gambás, como o Tarsipes rostratus, são especializados no consumo de néctar de plantas, possuindo até mesmo a função de polinizadores.

Reprodução

A reprodução dos marsupiais é muito característica e está relacionada ao tipo de placenta presente nesses animais. O ciclo uterino da fêmea não possui uma fase secretora, e a parede do útero não é especializada para implantação do embrião.

A fase de desenvolvimento dentro do corpo materno varia entre 12 e 38 dias. Quando saem do útero, o filhote caminha até o marsúpio. Alguns marsupiais podem não conter essa bolsa. Nesses casos, o filhote simplesmente fica aderido às tetas. O período no qual o filhote fica aderido é correspondente ao período do desenvolvimento dentro da placenta nos mamíferos eutérios (placentários).

Curiosidades

O ciclo de vida dos marsupiais era considerado primitivo quando comparado a outros mamíferos placentários. No entanto, hoje se sabe que esse tipo de desenvolvimento está mais relacionado ao ambiente onde esses animais se desenvolvem, caracterizados por baixa produtividade.

Quando os filhotes nascem, é comum que estejam em maior número do que a quantidade de tetas disponíveis para que eles fiquem aderidos. Os filhotes que não conseguem se prender as tetas geralmente morrem.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content