Mecanismos de sustentação dos grupos sociais – O que são e Exemplos

O estudo da sociedade dentro da Sociologia é bem rico e leva em conta muitos aspectos, como os que já foram abordados aqui no Gestão Educacional – caso dos grupos sociais e dos agregados, dos contatos sociais, das comunidades, além do controle social.

Todos esses conceitos contribuem com o entendimento da vida humana em sociedade, sua transformação ao longo da história e como as novas mudanças podem afetar o convívio social daqui para a frente.

E um conceito que até então não havia sido tratado e que também é importante nesse processo é o dos mecanismos de sustentação de um grupo social. Essa chave de análise é relevante, pois dentro dela há vários elementos que influenciam a dinâmica dos grupos sociais. Vejamos mais sobre o tema, a seguir.

Mecanismos de sustentação dos grupos sociais

O que são mecanismos de sustentação dos grupos sociais?

Os mecanismos de sustentação dos grupos sociais podem ser definidos como algumas características bastante específicas de um agrupamento social. Dentro desse aspecto, tais mecanismos servem como elemento de apoio para que os indivíduos integrantes daquele meio permaneçam coesos.

Entre os mecanismos existentes temos: a liderança, as normas e sanções sociais, os símbolos e os valores sociais. Todos eles podem exercer algum tipo de influência sobre os participantes de determinado grupo social, que pode ser uma família, a vizinhança, a escola, uma empresa, entre outros agrupamentos.

Mas, antes de aprofundar em cada um desses conceitos, é importante destacar que as pessoas que integram cada grupo social não estão alinhadas e fatalmente são condenadas a serem submetidas a tais mecanismos. Isso graças à sua própria individualidade e também à sua capacidade de buscar o seu meio de convivência a partir de suas vontades, ainda que sofra alguma ameaça desses mecanismos ou mesmo pressão de sanções negativas, por exemplo.

Mecanismos de sustentação dos grupos sociais

Formação do conceito

Dos mecanismos de sustentação, a liderança é considerada, dentro da Sociologia, um dos principais fatores mobilizadores sociais. Sob a liderança de um indivíduo, os grupos sociais se organizam e atuam dentro das coordenadas indicadas por ele.

No texto Os três tipos de dominação legítima de Max Weber, o autor Vitor Galvão Fraga traz algumas reflexões do pensador alemão que estudou formas de dominação no âmbito das democracias. E nele, Weber comenta que a liderança se estabelece ou é estabelecida.

Dentro dessa análise, há dois tipos de liderança: carismática e burocrática. Na primeira, a liderança ocorre a partir da admiração e da exaltação de um indivíduo por parte dos integrantes daquele grupo. Já a burocrática se desenvolve dentro de uma organização institucional e depende de uma hierarquia já pré-estabelecida em um ambiente burocrático, como o governo de um Estado.

No caso das normas sociais, elas são importantes por comporem a base de todas as organizações sociais. É por meio desse regramento que se define quais ações e comportamentos são aceitos e são reprovados na sociedade.

Vale dizer que as normas recebem influências culturais do meio no qual elas estão inseridas, se moldando de acordo com cada ambiente. A regulação desse poder é feita por meio das sanções sociais, que são aplicadas dependendo do comportamento atribuído ao indivíduo: pode ser uma recompensa para reforçar uma ação ou uma punição, marginalizando e isolando essa pessoa.

Mecanismos de sustentação dos grupos sociais

Outro mecanismo de sustentação dos grupos sociais é o dos símbolos, que são importantes para construir a identidade de um povo. O símbolo possui tal valor por conta da importância que as pessoas atribuem a ele, fazendo com que o indivíduo, ao utilizá-lo, busque passar uma imagem que ressalte aquela caraterística de seu grupo social. Ou seja, para o símbolo ter validade, ele precisa ser reconhecido, apreciado e exibido pelos seus simpatizantes.

Os valores também fazem parte desses mecanismos. Neste caso, são considerados valores as ideias e opiniões que fundamentam o comportamento da sociedade dentro de um determinado contexto social. Vale salientar que os valores estão em franca evolução e transformação, podendo variar, inclusive, de sociedade e de período.

Exemplos

Para deixar mais claro os tipos de mecanismos de sustentação, vamos exemplificar os conceitos citados no item anterior:

Liderança

Na liderança carismática, podemos citar o alemão nazista Adolf Hitler, o fascista italiano Benito Mussolini, além de Padre Cícero, cultuado pelos sertanejos como um santo, e Lampião, chefe do maior bando de cangaceiros do Brasil.

Já na liderança burocrática é mais difícil de nominar, pois os chefes de Estado que seguem a cartilha democrática e não possuem postura despótica ou ditatorial podem ser enquadrados nesse exemplo.

Normas

O estabelecimento das leis que regem a sociedade é um bom exemplo de mecanismo de sustentação e controle social. No Brasil, temos, em primeiro lugar, a Constituição Federal, além do Código Penal, Código Civil e demais normas;

Símbolos

As bandeiras nacionais são os símbolos mais evidentes e que causam maior identificação por parte dos integrantes dos grupos sociais, no caso, de cada Estado.

A língua de um determinado país também ser enquadrada como um símbolo característico daquele povo.

Valores

Podemos citar as roupas, o cabelo, as gírias, a dança, o comportamento, os valores que podem mudar no decorrer das gerações e causar choques entre indivíduos de idades distintas. Outro caso comum é o da mulher trabalhando fora cada vez mais, em oposição ao fato de que antigamente elas eram condicionadas a serem apenas donas de casa.

Rodrigo Herrero Lopes

Jornalista com 15 anos de experiência, é mestre em América Latina pela Universidade de São Paulo (USP) na linha de pesquisa Práticas Políticas e Relações Internacionais.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content