O que é a dança? Quando ela surgiu? Como a dança é registrada? Tipos

A dança é uma das mais antigas manifestações artísticas humanas, estando presente em todos os períodos da história e em todas as culturas. Caracterizada especialmente pela utilização do corpo e dos movimentos dele para a expressão de emoções, a dança é considerada uma forma de arte, embora possa ser utilizada para outros propósitos, como veremos.

Desde 1982, comemora-se internacionalmente o dia da dança no dia de 29 de abril. Conheça, aqui no Gestão Educacional, um pouco mais a respeito deste tipo de arte tão importante que é a dança.

O que é a dança e quando ela surgiu?

A dança é uma das várias manifestações artísticas da cultura humana, sendo considerada o 2.º tipo de arte, embora nem sempre seja nomeada como tal, podendo servir para fins recreativos, esportivos ou até mesmo comunicativos.

É difícil precisar quando ela surgiu, uma vez que sempre esteve presente na história humana. Há registros da dança na cultura egípcia antiga, a partir das danças astro-teológicas, em homenagens ao deus egípcio Osíris, mas presume-se que ela seja ainda mais antiga, remetendo ao período paleolítico. Manteve-se, porém, ao longo da história, sendo amplamente utilizada em cerimônias, tais como festas, casamentos, enterros, nascimentos etc.

Alguns componentes são recorrentes nos vários tipos de dança, tais como um ou mais dançarinos, as passadas, a coreografia, o ritmo, a música, o figurino, o cenário etc.

Cada indivíduo praticante deste tipo de arte, além de possuir seu próprio estilo, também enxerga a dança de uma maneira e a pratica por uma razão pessoal, podendo ser, por exemplo, por motivações de autoexpressão, prazer estético ou entretenimento.

O movimento

A arte basicamente consiste no movimento expressivo do corpo, geralmente ao som de alguma música, podendo ser feito individualmente, em dupla ou em grupo. Os movimentos, associados à expressão ou à comunicação de alguma emoção, podem ser tanto coreografados quanto improvisados e são limitados apenas pela quantidade de movimentos capazes de serem realizados pelo corpo humano, que pode inclusive ser levado ao seu extremo.

Porém, considerando o movimento um elemento primordial da dança, surge uma questão: o que difere o movimento da dança do movimento das demais atividades, tais como escovar os dentes, andar etc.? Obviamente, ambos os tipos de movimento não podem ser considerados iguais. Isso porque na dança o movimento é o foco do processo, é o que está em destaque, enquanto que nas atividades do cotidiano, feitas geralmente de maneira automática, o movimento é um mero processo, uma etapa, um meio para se atingir determinado fim.

Como a dança é registrada?

Enquanto outras formas de arte, tais como a pintura, a escultura, a música etc., são facilmente registradas, uma vez que o seu produto final é material (no caso das duas primeiras) ou registrável (como a terceira, por meio das partituras), a dança, por ter o corpo como ferramenta, era de difícil registro antes da invenção das videocâmaras.

A dança sobreviveu ao longo da história especialmente por meio da tradição familiar ou cultural, com indivíduos passando para as novas gerações as características, as técnicas e os estilos da arte da dança. Porém, houveram, também, registros formais da dança, desde hieróglifos, no Egito, passando por manuais de dança, como o Natya Shastra (aprox. 200 a.C), de origem indiana, a até sistemas de notação muito semelhantes às partituras musicais, como o Alphabet des mouvements du corps humain (1892), de Vladimir Ivanovich Stepanov.

Tipos de dança

Sendo a música tão antiga, e estando presente em tantas culturas diferentes, é de se supor que a dança não possua apenas um tipo, tendo diversas classificações — e diversas categorias de classificação. Por exemplo, a dança pode ser classificada quanto:

  • À função, podendo ser teatral, religiosa, recreativa, esportiva etc.;
  • À origem, podendo ser folclórica, tribal, histórica, cerimonial, étnica etc.;
  • À finalidade, podendo ser cênica, social, erótica, religiosa etc.;
  • Ao gênero, podendo ser balé, break, lambada, disco, frevo etc.

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Deixe seu comentário