Reprodução Sexuada – O que é e como funciona (Exemplos)

O sucesso de todos os seres vivos que vemos na Terra hoje só foi possível devido à reprodução, pois é através dela que os organismos deixam descentes e, consequentemente, seu material genético permanece no ambiente.

Como existe uma grande diversidade de seres vivos, também há diferentes tipos de reprodução. Neste artigo, comentaremos sobre a reprodução sexuada, que acontece em humanos.

O que é a reprodução sexuada?

A reprodução sexuada é a que envolve dois sexos diferentes para acontecer, o feminino e o masculino.

A reprodução sexuada acontece a partir da junção do esperma (célula reprodutora masculina) com o óvulo (célula reprodutora feminina). Ambas as células são haploides (n), o que significa que apresentam apenas metade do número de cromossomos necessário para formar um indivíduo.

No caso dos seres humanos, o espermatozoide é lançado dentro do duto uterino e encontra o óvulo, fecundando-o. Da junção dessas duas células surge o zigoto (2n), agora com o conjunto total de cromossomos. O zigoto nada mais é do que o óvulo fecundado e que dará origem ao feto e, posteriormente, a um bebê, no caso dos seres humanos. Como o zigoto possui metade dos genes da mãe e metade do pai, ele não é idêntico aos seus progenitores, apesar de possuir traços muito semelhantes. É por isso que a reprodução sexuada é importante para a variabilidade genética dentro de uma população.

O que é reprodução sexuada

Tipos de reprodução sexuada

Como diversos organismos realizam esse tipo de reprodução, há diferentes tamanhos de gametas. No caso dos seres humanos e muitos animais, o tamanho dos gametas feminino e masculino são bastante diferentes. Nesse caso é chamado de oogamia. Em seres humanos, o óvulo é maior do que o espermatozoide.

Quando o tamanho dos gametas é idêntico é chamado de reprodução isogâmia (iso=igual). Esse tipo de reprodução é bastante restrito, ocorrendo em algumas espécies de algas e fungos.

Consequências da reprodução sexuada

A reprodução sexuada é a mais encontrada nos seres vivos porque parece ser a mais vantajosa, apesar de ter algumas limitações. Dentre as consequências desse tipo de reprodução, podemos citar:

  • Limitação pela necessidade de haver um indivíduo de cada sexo para acontecer. Por isso, populações pequenas e, principalmente de espécies territorialistas, podem ser fadadas a extinção uma vez que é muito difícil localizar um parceiro reprodutor. É por isso que populações de animais silvestres precisam ser monitoradas, para garantir sua sobrevivência.
  • Aumento da variabilidade genética: a fusão de cromossomos dos progenitores aumenta a diversidade de genes e, portanto, maior capacidade para se adaptar a diferentes condições ambientais. Organismos que se reproduzem de forma assexuada dependem apenas de mutações e translocações, que não acontecem com tanta frequência e, geralmente, são deletérias.

Lista de organismos com reprodução sexuada

A maioria dos organismos se reproduz sexuadamente. Confira alguns exemplos:

  • Seres humanos
  • Mamíferos (como cachorro, gato, cavalo, ovelha, antas)
  • Aves (como galinhas, papagaios, seriemas)
  • Répteis (como crocodilos e tartarugas)
  • Anfíbios (como sapos e rãs)
  • A grande maioria dos peixes
  • Plantas angiospermas (primavera, rosas, ipês, abacate, laranja, tomate)
  • Fungos

Reprodução sexuada em plantas

A reprodução de plantas angiospermas é do tipo sexuada. Ela ocorre através da união do grão de pólen (que contém o gameta masculino) e do óvulo. O óvulo fica contido no pistilo que é fecundado pelo pólen quando este cria o tubo polínico até o óvulo. A união do óvulo com o gameta masculino também dá origem à um zigoto (2n) que se transformará em semente e depois em fruto, que dará origem a um novo indivíduo.

Curiosidades

Algumas curiosidades que deixam esse fenômeno da biologia ainda mais interessante!

Por que dois sexos?

A presença de dois sexos parece estar relacionada com o fato da isogamia ser muito estável. Isso porque poderia acontecer os seguintes cenários:

  • 1 gameta menor fundido com um gameta menor = risco de falta de nutrientes
  • 1 gameta maior fundido com um gameta maior = desperdício
  • 1 gameta maior fundido com um gameta menor = equilíbrio.

Foi demonstrado por simulações matemáticas que um estado de equilíbrio é atingido quando há a fusão de um gameta que contenha todo o nutriente necessário para o embrião com um gameta que carrega somente o material genético, apesar de não ser exatamente isso que acontece no caso de óvulos e espermatozoides, pois ambos carregam material genético. Esse exemplo é chamado e de cruzamento preferencial negativo.

Gestão Educacional

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content