Terra plana – Origem da teoria e Provas de que a Terra é Redonda

Já ouviu falar na teoria da Terra plana? Parece coisa de tempos medievais, mas ainda hoje há quem sustente que essa é a real forma de nosso planeta. Vamos entender um pouco mais o que cerca essa ideia? Confira!

Terraplanistas, é assim que se nomeiam as pessoas que creem que o planeta Terra é plano. E mesmo com várias evidências do contrário, esse grupo tem suas próprias teorias e seu experimentos.

Mas, quais são as bases dessa corrente? E como eles defendem suas teses? Veja, a seguir no Gestão Educacional!

Terra plana

Origem da teoria da Terra plana

Era assim que durante muitos anos a civilização humana concebia o formato do planeta. Egípcios e mesopotâmicos, por exemplo, acreditam que o planeta era um imenso disco, que flutuava sobre a água.

Esse pensamento avançou até o período das Grandes Navegações, que, entre outras coisas, mudou consideravelmente a cartografia existente.

Mas, a ideia de que o planeta girava em torno do sol, e é uma imensa esfera arredonda nos polos, não convenceu a todos. Essa desconfiança dura até hoje e inspira seus milhões de adeptos pelo mundo.

Atualmente, a incredibilidade do formato redondo da Terra está bastante vinculada a teorias da conspiração, que têm na NASA foco central. Os Terraplanistas não endossam as descobertas feitas por essa agência norte-americana.

Essas pessoas entendem que os avanços da NASA tentam ludibriar a população mundial, escondendo temas mais pertinentes a todos. Na contemporaneidade, existem muitos exemplos, como:

  • Sequência de experimentos realizados pelos Globebusters – consiste na utilização de duas tábuas (com furos no mesmo lugar), e luzes que devem provar que independente da distância entre as tábuas, quando se lançar a luz em um dos furos, iluminação deve passar no outro buraco; provando que a Terra é plana;
  • Grande cruzeiro organizado pelos Terraplanistas, que circulará o mundo para comprovar suas teorias.

Porém, mesmo com tanta organização, o conceito de que o planeta é um disco não se sustenta. As diferentes ciências estão embasadas em provas concretas das dimensões da Terra.

Terra plana

Provas de que a Terra é redonda

Os argumentos que favorecem a ideia da forma arredondada do planeta são muitos, e surgiram em escalas de tempo distintas. Depois dos gregos, muitos outros pensadores, cientistas e pesquisadores consolidaram a forma circular do planeta como a mais aceitável.

Num recorte histórico, podemos apontar as seguintes marcas:

  • Circum-navegações no início do século XVI, do navegador português Fernão de Magalhães, que apontavam a Terra com forma de globo. Isso foi importantíssimo para dar seguimento ao empreendimento das Grandes Navegações;
  • Heliocentrismo, que se sustentará a partir de mentes célebres como Newton, Galileu, Copérnico e Kepler. Deles nasceu a teoria dos polos e da Gravidade;
  • Criação dos fuso-horário – outra prova de que o planeta não é plano, pois, neste caso, o sol deveria brilhar de maneira quase que simultânea em todos os lugares. O que não acontece. A verdade, é que a luz do dia vai aparecendo gradativamente nas regiões da Terra.

E é justamente a teoria da influência do fluxo gravitacional um dos trunfos dos que acreditam no formato redondo do planeta, e uma das fraquezas no argumento dos Terraplanistas.

A premissa de Newton “dois corpos se atraem devido a uma força que é diretamente proporcional” – explica perfeitamente o porquê de os planetas girarem em torno do sol, e não o contrário.

Soma-se a esses argumentos outros fatos curiosos que comprovam o formato arredondado do planeta:

  • Se o planeta fosse plano, nossa visão do horizonte seria a mesma, independente da altura na qual estamos; mas, isso não acontece, basta subir numa árvore, por exemplo, para enxergamos outros detalhes;
  • As angulações das sombras seriam iguais em qualquer parte do mundo, porém, não é assim. Muitos pesquisadores já fizeram esse experimento simples, mediram o ângulo da sombra em um determinado horário, num ponto diferente do globo – o resultado é que são diferentes.

Não podemos esquecer do ponto de vista dos cosmonautas. São muitas imagens que eles nos enviam do planeta, lá de cima. Provas mais que comprobatórias de que a Terra é redonda.

E se ainda os fatos não servirem, é só confrontar as teorias da Terra Plana, que estão repletas de pontos frágeis, não se sustentam e não têm constatação científica.

Rafaela Cortes

Jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Revoltada por natureza, vê na comunicação uma oportunidade de extravasar a sua paixão por curiosidades, arte e conhecimento.

Conheça Mais Sobre o Autor

2 Comentários

  • Guilherme disse:

    CIRCUM-navegação, com um dos radicais sendo circulo que situa-se no plano BIDIMENSIONAL. Simples de pensar, NORTE no centro do plano, várias linhas retas não compõem um circulo?;
    Heliocentrísmo não possuí prova concreta até hoje, além de que nem a ciência moderna defende mais isso, visto q supõem q o Sol se move dentro do universo;
    Fuso-horário é completamente possível nesse modelo, basta perquisar em fontes confiáveis e não em quem parte pro ad-hominem e verá que o Sol proposto por eles possuí dimensões muitos menores do que a versão ESPECULADA(visto que sabe-se muito pouco do comportamento da luz em outros meios a não ser o “vácuo” e a água). Pra poupar o trabalho para qm vir depois, o Sol ilumina localmente no modelo deles, onde a atmosféra faz o trabalho de espalhar a luz e o calor para certo raio de propagação(depende da umidade do ar), isso pode ser visto a olho nú ao observar o nascer e o por do sol onde a umidade do ar é extremamente baixa, verá o Sol nascendo bem pequeno aumentando de tamanho até estar aos 90° e diminuir no horizonte até ficar um ponto muito pequeno, isso chama-se refração atmosférica e também pode-se perceber a ação do ponto de fuga/convergencia.

  • Guilherme disse:

    Refutando o quarto e quinto argumentos:
    4º: Na óptica existe um fenômeno chamado ponto de fuga/convergência como citado no comentário anterior, só q como nós vemos ele somente em 2D no ensino médio, não aprendemos que, assim como as linhas(luz) convergem em um único ponto a medida que olhamos mais longe, dois dos fatores que atuam sobre o fenômeno são a altura do observador(quanto mais alto maior o horizonte visivel) e a umidade do ar(quanto mais água presente no ar menor vai ser a distância visível) e é claro q temos q levar em conta a quantidade de massa de ar entre o observador e objeto q deseja-se ver;
    5º: Assim como dito no comentário anterior, o Sol atua de forma local, ou seja, não possuí dimensões exorbitantes e quem atua na propagação da luz/calor é a atmosféra.

Deixe seu Comentário

WebGo Content