Transitividade Verbal – O que é? Para que serve? Como se manifesta nas orações?

A competência linguística de uma pessoa depende do seu conhecimento em relação ao idioma. O português, com todas as suas nuances, traz uma concepção de dificuldade e complexidade – um exemplo é quando se aborda a transitividade verbal.

Os conceitos, mesmo anteriormente aprendidos, devem ser retomados para que se mantenha incorporado ao domínio da língua. No caso, a transitividade verbal está relacionada à sintaxe e, como o próprio nome exprime, há atenção para os verbos existentes na oração.

Entenda mais a respeito da transitividade verbal, agora mesmo, no Gestão Educacional!

O que é transitividade verbal?

Transitividade verbal, conhecida também como predicação verbal, é o nome do processo por meio do qual se indica o tipo de ligação que um verbo transitivo estabelece com os seus complementos.Português

Ou seja, a transitividade verbal demonstra que o verbo transitivo não possui sentido completo sozinho, devendo transitar para um elemento que o complete para uma oração ser entendida perfeitamente.

A ação verbal se transmite (ou transita) a outros termos de uma oração que atuarão como seus complementos.

Dessa forma, os verbos – quanto à predicação – podem se apresentar conforme a classificação a seguir:

  • Verbos intransitivos;
  • Verbos transitivos diretos;
  • Verbos transitivos indiretos;
  • Verbos bitransitivos (diretos e indiretos).

Por isso, entende-se que, dependendo do tipo de complemento, os verbos ganham essa classificação citada. Cabe mencionar, ainda, que os verbos transitivos diretos, indiretos e bitransitivos se encaixam em uma categoria própria: a dos transitivos.

Transitividade verbal nas orações

Transitividade verbal

É possível identificar a transitividade verbal nas orações e determinar quando um verbo se transforma pelas classificações anteriormente comentadas:

  • Verbos intransitivos: os verbos intransitivos são aqueles que possuem predicação completa, isto é, contam com uma ideia ou ação sem a necessidade ou dependência de complemento.

Por exemplo:

“As árvores cresceram”;

“Meu pedido chegou”;

“Na primavera, as plantas florescem”.

Os exemplos determinam que o verbo já tem sentido completo, não necessitando de trânsito para um outro termo da oração.

  • Verbos transitivos: os verbos transitivos são aqueles que carregam a necessidade de complementação para formarem o predicado.

Isso quer dizer que os verbos transitivos são incompletos quando analisados isoladamente. Em algumas situações, o verbo transitivo irá se ligar aos complementos de maneira direta, enquanto em outras ele fará a indicação de uma preposição para ter essa ligação.

Por exemplo:

“Eu encontrei / o que procurava”;

“Nós assistimos / ao espetáculo com bastante alegria”.

Dentro dos verbos transitivos, encontram-se os verbos transitivos diretos, os verbos transitivos indiretos e os verbos bitransitivos.

  1. Verbos transitivos diretos:

É todo verbo que não tem sentido completo isoladamente, necessitando de um complemento que, geralmente, é introduzido sem preposição. O verbo transitivo direto indica o quê ou quem na oração.

Por exemplo:

“Eu comprei / um livro.”

“Eu derrubei / os pratos.”

  1. Verbos transitivos indiretos:

Ao contrário dos verbos transitivos diretos, os verbos transitivos indiretos são aqueles verbos que exigem, obrigatoriamente, uma preposição. Ou seja, o verbo não tem sentido completo sozinho e precisa de um complemento e também de uma preposição.

A oração irá concluir por quem, com quem, de quê ou de quem, em quê, para quê ou para quem.

Por exemplo:

“Não acredito / no que eu ouvi”;

“Posso ir / com você?”.

  1. Verbo bitransitivo (direto e indireto):

O verbo bitransitivo é aquele que também não tem sentido completo e precisa tanto de um objeto direto como de um objeto indireto. Isso quer dizer que esse tipo de verbo solicita dois complementos – um deles não exige preposição (o objeto direto) e o outro obriga o uso de preposição (o objeto indireto).

Essa classificação procura completar o verbo com a informação sobre o quê a quem.

Por exemplo:

“Os pais deram / um brinquedo ao filho” (Note: deram o quê? Um brinquedo. A quem? Ao filho);

“Enviei / o relatório ao chefe” (Note: enviou o quê? O relatório. A quem? Ao chefe).

Embora essas sejam as principais regras quanto à transitividade verbal, é importante salientar que, em certos casos, o emprego do verbo na oração é que vai determinar a sua transitividade – poderá ocorrer variação dependendo do contexto no qual o verbo é utilizado.

Nessa situação, entende-se que um verbo pode se transformar em verbo transitivo direto, verbo transitivo indireto e até bitransitivo, dependendo da oração.

Um exemplo é com o verbo “pagar”:

  • “Eu paguei / o carnê” (verbo transitivo direto);
  • “O homem pagou / ao vendedor” (verbo transitivo indireto);
  • “Paguei / o salário aos funcionários” (verbo transitivo direto e indireto).

Gostou? Então, confira o conteúdo completo sobre como escrever uma boa redação! 

Rafaela Mustefaga

Graduada em Letras Português/Inglês, pela PUCPR, é revisora e editora de textos informativos, apaixonada por línguas e literatura e professora nas horas vagas.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content