Tubérculos – O que são? Classificação, Alimentação e Cultivo

Os tubérculos são parte da estrutura da planta que cresce abaixo do solo e tem a função de armazenar energia para a sobrevivência da espécie a climas secos e aos invernos. A importância deles para a alimentação humana é indiscutível, sendo a principal fonte de alimento para diversos povos no mundo, principalmente por seu valor energético.

Essa é uma das razões pela qual alimentos como o cará e o rabanete vêm ganhando cada vez mais destaque em dietas que visam um bom desempenhando físico, ainda mais por serem uma boa fonte de carboidratos.

Apesar de muito semelhantes às raízes tuberosas e aos bulbos, os tubérculos fazem parte de uma categoria separada. Dentre os alimentos que pertencem a essa classe, o mais conhecido e consumido pelos brasileiros é a batata inglesa.

O que são tubérculos?

tubérculos

Conceitualmente falando, os tubérculos representam a parte das plantas que se localiza abaixo da superfície do solo. Eles se caracterizam pelo inchaço de uma haste ou extremidade distal, causado pelo acúmulo de nutrientes.

A principal função dessa estrutura é armazenar energia em forma de amido e inulina para as plantas sobreviverem aos períodos secos e de inverno, bem como fornecer nutrientes até que elas estejam bem desenvolvidas e façam a fotossíntese com eficiência.

Além de fonte de energia para a planta, os tubérculos também são utilizados como forma de reprodução assexuada. Isso implica que um novo indivíduo pode se desenvolver a partir de suas gemas – pontinhos pretos conhecidos popularmente como “olhos” ou “botões”. Esses brotos recebem nutriente do próprio tubérculo para crescerem. Alguns exemplos são a batata inglesa, o cará, o rabanete e a batata baroa.

Como dissemos, é comum a confusão feita entre tubérculos, raízes tuberosas e bulbos, em razão de suas semelhanças. No entanto, apesar de bastante parecidos, há diferentes que os fazem serem classificados em categorias diferentes pela botânica. Todas essas estruturas possuem a mesma função, que é acumular nutrientes para a planta. A diferença se encontra no local onde esses nutrientes são armazenados.

Nos tubérculos, o armazenamento se dá em saliências no caule da planta e, geralmente, em forma ovalada. Em contrapartida, nas raízes tuberosas, como cenouras e mandiocas, o acúmulo de nutrientes ocorre nas raízes, tendo um formato mais alongado. Já nos bulbos, como a cebola e o alho, o crescimento se dá no talo do caule, assumindo uma forma cônica.

Tubérculos na alimentação

tubérculo

Uma grande variedade deles é comestível e, pela facilidade de plantio, são muito difundidos em diversas culturas como uma boa fonte de alimento. Eles são especialmente ricos em amido (hidrato de carbono), mas também fornecem carboidratos, fibras, sais minerais e vitaminas.

O amido abundante nos tubérculos é uma importante fonte de energia para o corpo humano. Por isso, esses alimentos são muito utilizados por pessoas que desejam melhorar seu desempenho físico e mental. O motivo é que o hidrato de carbono, presente no alimentos, é digerido de forma lenta pelo organismo. Essa metabolização contínua fornece uma fonte de energia mais duradoura ao corpo, melhorando o desempenho de atividades físicas e intelectuais.

Além do amido, essas estruturas, como a batata inglesa, são fontes de proteínas, possuindo uma boa quantidade de niacina. Também, costumam ser ricos em vitaminas no complexo B, bem como potássio e fósforo.

Como alimento, os tubérculos apresentam diversas possibilidades de preparo. Cozidos, assados, fritos ou em purês, adicioná-los ao cardápio é tarefa fácil. Por isso, estão bem integrados à alimentação de diversas culturas.

O seu consumo é ótimo para uma dieta equilibrada, sendo fonte de carboidratos, vitaminas e fibras. Porém, nem todos podem consumi-los de forma despreocupada – por exemplo, pessoas diabéticas devem evitar a ingestão, em função dos carboidratos presentes em abundância. O motivo é que esse alimento, quando metabolizado, aumenta os níveis de açúcar no sangue. Além disso, não é recomendável o consumo exagerado se não houver um gasto de energia correspondente.

Cultivo de tubérculos

Por sua capacidade de reprodução assexuada, cultivar essas plantas é bastante simples. Além disso, a existência de uma grande variedade de espécies facilita o plantio em muitas variedades de clima e solo.  Basta encontrar o tipo correto para cada região.

Para cultivar um tubérculo, basta cortá-lo em rodelas, garantindo que tenha, pelo menos, um “olho” ou uma gema em cada pedaço. Deposite as rodelas no solo e cubra-as com uma camada fina. Depois, é só aguardar os brotos surgirem. O tempo de crescimento irá variar de acordo com o tipo de tubérculo, a luz e a umidade de solo escolhido.

Marcela Mazetto

Jornalista formada pela PUCPR, tem 21 anos e é viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content