Van Gogh – Quem foi? Biografia Completa e Principais Obras

Van Gogh é um dos artistas mais famosos, mais talentosos e mais enigmáticos da história. Apesar de todo o talento, levou uma vida sofrida, com crises, transtornos e incidentes pouco esclarecidos.

Que tal conhecer um pouco mais desse tão emblemático artista? Confira agora, só aqui no Gestão Educacional!

Nascimento e primeiros anos de Van Gogh

Van Gogh

Vincent Willem van Gogh, mais conhecido como Vincent ou Van Gogh, nasceu em 30 de março de 1853, em Zundert, Holanda. Foi filho de Anna Cornelia Carbentus, de uma família relativamente rica, e Theodorus van Gogh, pastor da Igreja Reformada Neerlandesa.

Van Gogh foi o segundo filho do casal. O primeiro filho, também chamado Vincent Van Gogh, nasceu, numa incrível coincidência, exatamente um ano antes do artista, em 30 de março de 1852, no entanto nasceu natimorto. Dessa forma, o nome Vincent Willem Van Gogh foi uma homenagem ao irmão mais novo que não veio à vida.

Além de Van Gogh, Anna teria ainda outros cinco filhos, nascidos entre 1855 e 1867.

Van Gogh iniciou seus estudos em casa, aprendendo com a mãe e com a governanta. Foi justamente nesse período que começou a desenvolver seu interesse pela arte, praticando desenho por influência da mãe.

Em 1860, aos 7 anos, entrou na escola local de Zundert, sendo transferido, em 1864, para o internato de Zavenbergen. Posteriormente, foi transferido para uma escola secundária, dessa vez em Tilburgo.

Independente do lugar, porém, Vincent, uma criança reclusa e quieta, sentia-se extremamente infeliz e ansiava voltar para casa. Isso fez com que ele retornasse para Zundert, em 1968.

Já em 1869, aos 16 anos, começou a trabalhar na loja de arte Goupil & Cia, em Haia, Holanda, junto com seu tio. Depois de um treinamento de três anos, foi transferido para a Inglaterra, atuando numa franquia inglesa da mesma loja.

No período em Londres, apaixonou-se por uma moça de nome Eugénie Loyer, mas a recusa por parte da família dela fez com que Van Gogh afundasse ainda mais na tristeza.

Em 1875, foi transferido a trabalho para Paris, mas problemas de negociação fizeram com que ele fosse demitido neste mesmo ano. Ele, então, retorna para a Inglaterra e começa a lecionar numa escola primária.

Início da carreira artística

Van Gogh

Noite estrelada (1889).

O período como professor não durou muito. Logo voltou a encontrar-se com a família, que agora morava em Etten, mas continuava deprimido e pessimista. Mantinha uma boa relação apenas com seu irmão Theo, de quem era muito próximo.

Sem rumo, tenta seguir os passos do pai, tornando-se bastante religioso. Procura se juntar ao curso de Teologia na Universidade de Amsterdã, mas fracassa. Investe em um curso menor, numa escola protestante, mas também não é aceito.

Em 1879, torna-se missionário em Petit Wasmes, mas não durou muito tempo no cargo, pois o comportamento de Van Gogh era incompatível com o sacerdócio, segundo as autoridades religiosas. Vincent, amargurado, caminha 75 quilômetros até Bruxelas e, por pressão da família, retorna para Ettan. Nessa época, o pai, frustrado com o filho, sugere interná-lo num manicômio.

Ele voltaria a Bruxelas em 1880, onde começaria a estudar arte formalmente, com a ajuda da família, especialmente do irmão, Theo. Juntou-se à Academia Real de Belas-Artes, uma das mais importantes da Bélgica, onde estuda anatomia, perspectiva e sombreamento.

Em 1881, muda-se para Haia, Holanda, onde passa a ter aulas com o pintor Mauve, que lhe apresenta a pintura de aquarela.

Nesse mesmo ano, passa um tempo com a família, em Etten. Apaixona-se por sua prima, que recentemente havia ficado viúva, mas essa também o despreza.

Em 1882, fez suas primeiras pinturas a óleo. Van Gogh e Mauve distanciaram-se por conta de brigas, possivelmente envolvendo divergências de técnicas. Nesse mesmo ano, o artista começa um relacionamento, visto com maus olhos pelo tutor e pelo pai, com uma prostituta conhecida como Sien. A pressão fez com que ele a abandonasse no ano seguinte.

Desenvolvimento artístico

Van Gogh

Autorretrato (1887).

Em 1885, o pai de Van Gogh morre inesperadamente. Nesse mesmo ano, Vincent passou por Nuenen e Antuérpia, municípios holandeses, onde continuou aprimorando sua técnica, trabalhando especialmente ao ar livre.

Foi nessa época que Van Gogh pintou Os Comedores de Batata (1885).

Nessas passagens, pintou também uma série de obras, que tentariam ser vendidas por Theo, em paris. Este, porém, teve dificuldade para vendê-las, pois, segundo ele, eram sombrias demais e não-compatíveis com a tendência da época, que era o impressionismo.

Em Nuenen, envolveu-se com Margot Begemann, mas uma vez mais ambas famílias não aprovavam o relacionamento.

Em 1886, muda-se para Paris, morando com o irmão Theo. Nos dois anos que passaria na Cidade da Luz, pintaria cerca de 200 quadros, incluindo o seu famoso Autorretrato (1887). Nesse período, passou a pintar com cores mais brilhantes e com pinceladas mais expressivas.

Passagem por Arles

Já com a saúde debilitada pela vida boêmia que levava, Van Gogh partiu para a comuna francesa de Arles, em 1888. Nessa passagem por Arles, pintou mais de duzentas obras, sendo considerado o seu momento mais produtivo.

Algumas de suas obras-primas são dessa época, como Quarto em Arles, O Velho Moinho, Terraço do Café à Noite, Cadeira de Van Gogh, Autorretrato com Orelha Enfaixada e Cachimbo, Girassóis, dentre outras.

Nessa época, recebeu a visita de artistas como Boch e Gauguin. Foi numa possível confusão com este último que Van Gogh acabou decepando a própria orelha, em circunstâncias até hoje não-esclarecidas. Especula-se que tenha sido por uma disputa amorosa entre Gauguin e Van Gogh, e que este teria enviado a orelha cortada à moça em questão. Vincent afirmava não se lembrar do ocorrido, indicando um possível surto mental.

Van Gogh

Quarto em Arles (1888).

Internamento no hospício e morte

Em 1889, interna-se, voluntariamente, no hospício de Saint-Paul-de-Mausole, em 8 de maio.

Mesmo internado, não deixou de pintar. Talvez a sua obra mais famosa, A Noite Estrelada (1889), foi pintada nesse contexto, além de outras, retratando especialmente o ambiente do hospício e algumas releituras de outros artistas. Vale destacar, também, Velho Triste (1990), igualmente conhecida.

Ele deixa o hospício em 1890, mudando-se para junto de seu irmão, Theo. Ficou fascinado pela paisagem local e pintou diversas obras ao ar livre, dentre elas a sua famosa Campo de Trigo com Corvos (1890).

No dia 27 de julho de 1890, até hoje em circunstâncias não-esclarecidas, Van Gogh dispara, possivelmente em um campo de trigo que estava pintando, um revólver contra o próprio peito, morrendo trinta horas depois, aos 37 anos.

Hoje em dia, especialistas tentam compreender a natureza dos problemas de Van Gogh. Especula-se que ele sofresse ou de transtorno de bipolaridade, de porfiria aguda intermitente ou, até mesmo, de epilepsia.

Além disso, por mais que tenha pintado mais de 900 quadros, vendeu apenas um deles em vida, morrendo na pobreza.


Referências utilizadas neste conteúdo:

NAIFEH, Steven; SMITH, Gregory White. Van Gogh: a vida. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.


Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de literatura, língua portuguesa e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply