Verbo transitivo indireto- O que é, exemplos e mais!

Os verbos transitivos indiretos são aqueles que não possuem significado completo e, por isso, exigem a presença de um complemento verbal, que surge justamente para integrar os seus significados transitivos. Por serem indiretos, os complementos são ligados aos verbos de maneira indireta, ou seja, através de preposições.

Caso deseje se aprofundar mais nos estudos a respeito da transitividade indireta dos verbos, continue lendo este artigo completo do Gestão Educacional a respeito do assunto!

O que são verbos transitivos?

No estudo da predicação verbal, ou seja, da relação de dependência entre o verbo e seus complementos, percebemos que os verbos dividem-se em dois tipos: transitivos e intransitivos.

Os verbos intransitivos são aqueles que expressam uma ideia completa por si mesmos, ou seja, que não exigem a presença de um complemento (de um objeto). Por exemplo:

  • A menina sorriu.

Nesse exemplo, perceba que o verbo, em negrito, possui significação completa em si mesmo: toda a informação está contida no verbo, não sendo necessário mais nenhum outro termo para completar o seu sentido.

Por outro lado, os verbos transitivos são aqueles que não possuem significação completa em si mesmos. Isto é, os verbos transitivos exigem um complemento, um termo a mais que surge justamente para completar a transitividade do verbo.

  • Eu gosto de você.

Já nesse exemplo, perceba que o verbo, em negrito, não possui significado completo. Se disséssemos apenas: “eu gosto”, ficaria a pergunta: “gosta de quê?”. Surge, então, um complemento verbal, termo sublinhado no exemplo acima, a fim de completar o significado do verbo transitivo.

Logo, resumidamente, verbo transitivo é aquele não possui significado completo e exige um complemento verbal, diferentemente do verbo intransitivo, que possui significado completo e dispensa a presença de um complemento verbal.

Porém, não há apenas um tipo de verbo transitivo. Há os seguintes tipos de verbo transitivos: transitivo direto, indireto, direto e indireto e predicativo. A seguir, veremos especificamente a respeito do verbo transitivo indireto.

O que são verbos transitivos indiretos?

Como vimos, verbo transitivo é aquele que não tem o sentido verbal completo e, por isso, exige a presença de um complemento verbal. A forma como esse complemento é ligado ao verbo é que determinará se ele é transitivo direto ou indireto.

Temos um caso de verbo transitivo indireto quando o complemento verbal é ligado de maneira indireta ao verbo, ou seja, mediante o emprego de uma preposição. Confira um exemplo:

  • Eu preciso de um carro novo.

Nesse exemplo, o verbo “precisar” é um verbo transitivo, pois exige um complemento. Não apenas isso, é um verbo transitivo direto, pois o complemento verbal foi ligado indiretamente ao verbo, mediante o uso da preposição “de”.

Quando o complemento é ligado indiretamente, por meio do uso de preposições, ele recebe o nome de objeto indireto.

Confira mais alguns exemplos de verbos transitivos diretos:

  • Você acredita em Deus?
  • Leandro compareceu ao evento.
  • Eu não falo mais com você.
  • Eu careço de roupas novas.

Perceba que todos os verbos acima demandam a presença de um complemento, e que esses complementos são introduzidos com preposições (“em”, “ao”, “com” e “de”). Tratam-se, portanto, de verbos transitivos indiretos.

Apenas para fins de comparação, confira a seguir como seria um exemplo de verbo transitivo direto:

  • A polícia prendeu o ladrão.

Nesse exemplo, embora o verbo seja transitivo, por não ter significado completo, o complemento verbal não foi ligado ao verbo através de preposições, mas diretamente ao verbo (lembrando que “o” não é preposição, mas artigo!). Logo, o verbo do exemplo acima é do tipo transitivo direto e o complemento é um objeto direto.

Continue os estudos!

Confira a seguir alguns outros artigos do Gestão Educacional a respeito do assunto que você acabou de estudar:

Referências

CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo. Celso Cunha, Lindley Cintra. Rio de Janeiro: Lexikon, 2017.

LUFT, Celso Pedro. Moderna gramática brasileira. São Paulo: Globo, 2002.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content