Verbos reflexivos – O que são? Pronomes oblíquos átonos e Exemplos

Alguns verbos, quando acompanhados de pronomes oblíquos átonos, indicam ações nas quais o sujeito não é apenas agente, mas também paciente: ou seja, situações em que ele não apenas pratica a ação, mas também a sofre, ao mesmo tempo. A esses tipos de verbos é que se dá o nome de “verbos reflexivos”.

Ficou interessado e quer saber muito mais? Pois neste artigo, do Gestão Educacional, veremos tudo a respeito dos verbos reflexivos! Confira!

O que são verbos reflexivos?

Dá-se o nome “verbo reflexivo” ao verbo cuja ação recai sobre o próprio sujeito que a praticou. Apesar de soar abstrato e difícil, é bastante simples de se compreender. Veja o exemplo abaixo:

(1) Jéssica se atirou na piscina.

O sujeito desta oração (1) é Jéssica. A ação de “atirar”, cujos significados, nesse caso, são os de “se jogar” ou “se lançar”, foi praticada pelo sujeito, ou seja, por Jéssica. Mas Jéssica não lançou uma bola ou uma boneca: ela lançou a si mesma. Ou seja, ela não só praticou a ação, como também foi alvo da ação. Temos um exemplo, portanto, de verbo reflexivo.

Confira mais alguns exemplos para entender bem:

(2) Eu me machuquei jogando bola.

(3) Nós nos vestimos muito bem para a festa.

Nestes dois exemplos (2 e 3), perceba que os sujeitos, sublinhados, são agentes das ações em negrito, ou seja, responsáveis pela execução delas, e que essas ações recaem sobre eles próprios, não em outra(s) pessoa(s), tornando-os, também, pacientes das ações.

Relação entre os verbos reflexivos e os pronomes oblíquos átonos

Você deve ter notado que, em todos os exemplos mencionados, há algo de recorrente: a presença de pronomes oblíquos átonos acompanhando os verbos. Isso porque, na voz reflexiva, há sempre um pronome oblíquo átono reflexivo.

Esse pronome representa a mesma pessoa que o sujeito e, portanto, deve concordar com ele.

Os pronomes oblíquos átonos reflexivos da língua portuguesa são os seguintes:

  • 1ª pessoa do singular: me
    • Exemplo: Penteei-me antes de ir à missa.
  • 2ª pessoa do singular: te
    • Exemplo: Será que um dia tu irás te arrepender?
  • 3ª pessoa do singular: se
    • Exemplo: A criança se perdeu por alguns instantes de sua mãe.
  • 1ª pessoa do plural: nos
    • Exemplo: Fernanda e eu nos abraçamos hoje cedo.
  • 2ª pessoa do plural: vos
    • Exemplo: Arrependei-vos de vossos pecados!
  • 3ª pessoa do plural: Monique e Paulo se encontraram na estação de ônibus.

Para que você entenda bem como o pronome representa a mesma pessoa que o sujeito, veja o exemplo abaixo:

(4) Pedro, Tiago, Marcela e eu nos conhecemos na praia.

Perceba que, neste exemplo, há quatro sujeitos na oração: Pedro, Tiago, Marcela e o responsável por proferir a frase, representado pelo pronome do caso reto “eu”. O pronome oblíquo átono “nos”, que se junta ao verbo principal (“conhecemos”), retoma todos esses sujeitos mencionados, indicando que os quatro atuaram como agente e como paciente da ação do verbo.

O verbo reflexivo e a reciprocidade

Um detalhe interessante de se observar é que, quando a ação do verbo reflexivo envolve dois ou mais sujeitos, como no exemplo que acabamos de ver (4), o verbo não indica apenas reflexibilidade: ele também indica reciprocidade.

Confira o exemplo para compreender melhor:

(5) Giovanna e Kléber se estimam

Neste exemplo (5), o verbo “estimar”, acompanhado do pronome oblíquo átono “se”, não apenas índica reflexibilidade, mas também reciprocidade, pois está dando a entender que Giovanna e Kléber estimam um ao outro mutuamente.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content