Arte grega – O que foi? Divisões, Períodos e Exemplos de Obras

Dá-se geralmente o nome “arte grega” a todas as manifestações artísticas produzidas na Grécia Antiga de aproximadamente 2000 a.C., quando povos indo-europeus assentaram-se na região da Península Balcânica, em 146 a.C., quando a Grécia é anexada pelo Império Romano.

Confira tudo a respeito da arte grega neste artigo completo do Gestão Educacional!

Surgimento da Grécia

A região da Península Balcânica começou a ser invadida pelos povos que viriam a formar a Grécia por volta de 2000 a.C. Os principais povos que se assentaram na região foram os aqueus, os jônicos, os eólios e os dóricos. Eles eram chamados “helênicos”, pois acreditavam que descendiam do herói mitológico Heleno, filho de Deucalião e Pirra.

Durante os séculos, diversas civilizações e culturas desenvolveram-se na península e nas ilhas do Mar Egeu até o surgimento da Grécia Antiga. Esta surgiu após o declínio da Civilização Micênica, que ocupou a região do Peloponeso de aproximadamente 1600 a.C. a 1100 a.C., sendo os micênicos (ou “aqueus”, como também eram conhecidos) considerados os “primeiros gregos”.

Na Ilíada, poema épico de Homero, os gregos são também chamados de “aqueus”, além de “argivos”, em referência à antiga cidade de Argos, da região da Argólida, na península do Pelopoenso, e “dânaos”, possivelmente em referência à lenda grega de Dânao, filho de Belo. Fora, é claro, o já mencionado nome “helênicos” (ou “helenos”), que era atribuído à maior parte dos povos da Península Balcânica.

Divisões da história da Grécia Antiga

É difícil delimitar com precisão as divisões da história da Grécia Antiga, uma vez que não há um consenso entre os historiadores. Geralmente, uma das divisões é a seguinte:

  • Período Pré-homérico (de aprox. 3000 a.C. a 1100 a.C.), referente ao período de migração de povos indo-europeus para a Península Balcânica até a queda do Império Micênica;
  • Período Homérico (de aprox. 1100 a 750 a.C.), também chamado Idade das Trevas Grega, por conta de profundas transformações na cultura da região, resultando inclusive em um período de ausência de uma língua escrita. Porém, foi nesse período que os poemas épicos Ilíada e Odisseia foram escritos, sendo atribuídos a Homero. O período vai da queda do Império Micênica até o surgimento das primeiras pólis gregas (cidades-estados);
  • Período Arcaico (de aprox. 750 a.C. a 480 a.C.), indo do surgimento das primeiras cidades-estados até a segunda invasão da região pelos persas. Não há um consenso quanto a divisão temporal;
  • Período Clássico (de aprox. 480 a.C. a 323 a.C.), sendo um período de difícil delimitação temporal. Geralmente, considera-se a duração do período clássico de 480 a.C., com a segunda invasão persa na região, a 323 a.C., ano da morte do macedônio Alexandre, o Grande. O período também é chamado Século de Péricles, por conta da influência de Péricles, estadista, orador e general grego;
  • Período Helenístico (de aprox. 323 a.C. a 27 a.C), indo da morte de Alexandre, o Grande, à anexação da Grécia pelo Império Romano em 146 a.C. como uma província de Acaia.

Períodos da arte grega

Muitos historiadores consideram que arte grega, em si, surgiu apenas a partir de algum ponto da chamada Idade das Trevas grega, aproximadamente por volta de 900 a.C., ou a partir do início do Período Arcaico, por volta de 750 a.C.

Antes disso, a arte da região era apenas uma extensão da arte egeia, sendo influenciada especialmente pela arte, pela cultura e pela tradição micênica. Porém, quando a arte originalmente grega se desenvolveu, ela influenciou muito na arte e na cultura do Ocidente.

Período Protogeométrico (1100 A.C. A 900 A.C.)

Entre 1100 a.C. a 800 a.C., o período da arte grega ficou conhecido como “Período Protogeométrico”, marcando o fim das decorações lineares da Idade do Bronze e o início do uso de semicírculos e círculos concêntricos, especialmente na produção de peças de cerâmica. Também se fazia uso de triângulos, quadrados e losangos.

Período Geométrico (900 A.C. A 750 A.C.)

Neste período, o uso de formas geométricas, especialmente na cerâmica, estendeu-se bastante, em maior números nas regiões de Ática, que englobava a cidade de Atenas, Eubeia e Argólida. As esculturas também eram feitas com formas geométricas, mas de maneira proposital, e não por inabilidade do escultor.

Além disso, é uma característica deste período realizar marcações nos vasos, como linhas circundando a peça e figuras de humanos e animais estilizadas, também em formato geométrico.

Período Arcaico (750 A.C. A 480 A.C.)

No período Arcaico, sugiram as primeiras cidades-estados gregas, que eram autônomas entre si. O período foi marcado pela estabilidade, pela prosperidade, pelo surgimento da democracia e pela ascensão de uma classe média.

A arte foi impulsionada pelo comércio com os centros mercantis do Levante e com o delta do Rio Nilo, possibilitando um intercâmbio artístico-cultural. Os artistas gregos inspiraram-se especialmente na arte do Egito e do Oriente, resultando em um afastamento da arte geométrica até então vigente.

Uma das manifestações artísticas que mais se desenvolveu neste período foi a escultura, que ganhou traços mais realistas e simétricas, valorizando muito a anatomia. Durante o período arcaico, dois tipos de escultura dominaram a arte grega: o kouros, representando sempre um modelo masculino em pé e totalmente nu, e a kore, representando uma modelo feminina, geralmente jovem, em pé e vestida. Uma característica de ambos os tipos de escultura era a presença de um sorriso, conhecido como “sorriso arcaico”. Neste tipo de sorriso, os cantos da boca eram feitos levemente curvados para cima.

A cerâmica também se desenvolveu bastante. É dessa época o surgimento da técnica de cerâmica de pintura vermelha, em que o fundo é pintado de preto e as figuras são delineadas previamente no vaso, geralmente representando cenas do cotidiano ou seres mitológicos, tudo pintado com tinta vermelha. Antes do desenvolvimento desta técnica, após o fundo ser pintado de preto, as figuras eram entalhadas na cerâmica, dificultando representações mais detalhadas, especialmente da figura humana.

A estabilidade do início do período não durou até o final dele. O período arcaico também foi marcado por profundos conflitos sociais. Primeiramente, os legisladores tentaram solucionar tais confrontos de maneira pacífica, mas sem sucesso, dando brecha para o surgimento dos chamados “tiranos”, em aprox. 670 a.C. Cada pólis possuía os seus próprios tiranos.

O Período Arcaico chegou ao fim após a segunda invasão persa da Grécia pelo Império Aquemênida na região. A primeira havia sido liderada por Dário I, O Grande, em 492 a.C. Em 480 a.C., uma segunda invasão ocorre, liderada por Xerxes I. As principais cidades-estados gregas, Atenas e Esparta, unem-se em uma coalisão para conter as forças persas. A esses conflitos dá-se o nome “Guerras Médicas”.

Período Clássico (480 A.C. A 323 A.C.)

Atenas é bastante danificada durante as invasões persas, mas logo voltou a prosperar. Sob a liderança de Péricles, a região tornou-se um império poderoso, e o estadista usou grande parte dos recursos para a fortificação de Atenas. São deste período a construção dos famosos Templo de Atena Partenos, mais conhecido como Partenon, construído entre 447 a.C. 432 a.C., e Templo de Zeus, entre 470 a.C. e 457 a.C.

A escultura também se destacou neste período. Os gregos referenciavam a matemática, a racionalidade e a ordem, de modo que o realismo ganhou ainda mais força, com esculturas cada vez mais anatomicamente precisas e harmoniosas. As poses tornaram-se mais naturais, opondo-se às poses eretas do período arcaico. Os materiais mais utilizados eram o mármore e o bronze.

Outra tradição rompida na escultura foi a de se representar a mulher sempre vestida. Um exemplo é Afrodite de Cnido (350 a.C.), de Praxiteles. Muitas dessas esculturas eram colocadas como decoração nos templos construídos, mas muitas eram livres e feitas para serem vistas individualmente.

Durante o reinado de Filipe II, o Caolho, a Macedônia tornou-se uma influência na região da Grécia. Essa hegemonia seria aumentada ainda mais durante o reinado de Alexandre, o Grande, que conquistaria a Pérsia e o Egito, chegando até a Índia. Sua morte, em 323 a.C., marca o fim do Período Clássico.

Período Helenístico (323 A.C. A 146 A.C.)

Após a morte de Alexandre, o Grande, todo o vasto Império da Macedônia foi dividido em vários reinos menores. Cada um desses reinos desenvolveu seu próprio estilo de arte. Até então, a arte era usada majoritariamente para decorar templos, homenageando os deuses e glorificando o estado. No período helenístico, ela ganhou valor comercial, passando a ornamentar casas e palácios e representando cenas militares ou deuses gregos e egípcios.

Uma mudança significativa que se notou na escultura foi a tendência de se representar expressões faciais com mais emoção, retratando transtornos psicológicos, emocionais e físicos.

O período Helenístico chegou ao fim após a anexação da Grécia pelo Império Romano, em 146 a.C. Alguns historiadores apontam que a anexação completa ocorreu apenas em 27 a.C.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content