Baleia orca – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

A baleia orca (Orcinus orca), apesar do nome, é, na verdade, da família dos golfinhos. Ela pertence à classe dos mamíferos, ordem Cetacea e família Delphidae.

Outra contradição relacionada a esta espécie é seu apelido de baleia assassina. Apesar de serem animais predadores, as orcas apenas atacam quando se sentem ameaçadas. Esse apelido vem da sua técnica e agilidade para a predação. Além disso, não representam perigo para os humanos. Inclusive, estão presentes na literatura indígena, descritas como sendo a alma dos humanos, mas também como assassinas sem misericórdia.

Essa é uma espécie cosmopolita, que habita todos os oceanos e ocupa uma grande variedade de ambientes marinhos, desde a Antártica até o Ártico e as regiões tropicais. Confira, abaixo, mais detalhes dessa incrível espécie dos oceanos.

Características físicas da baleia orca

A sua característica mais distintiva é a coloração preta na maior parte do corpo e a mancha branca no ventre, ao redor dos olhos e na bochecha. No entanto, os filhotes nascem com uma coloração amarelada ou alaranjada, que se desbota ao longo do crescimento.

As baleias orcas são, na verdade, golfinhos, a maior espécie deles. Os machos podem atingir 8 metros de comprimento e pesar cerca de 6 toneladas, enquanto as fêmeas são menores, atingindo até 7 metros e pesando até 4 toneladas. Além disso, sua nadadeira dorsal pode atingir 1,8 metros. Já os filhotes nascem com cerca de 180 quilos e 2,4 metros de comprimento.

Como são predadoras, seus dentes são fortes e possuem uma mandíbula resistente. No meio dos dentes, há um espaço onde a presa permanece até que seja morta.

Comportamento

As baleias orcas são mamíferos bastante sociais. Seus grupos são formados pela mãe e pelos filhotes, formando uma sociedade matriarcal. O tamanho médio dos grupos é de 5 indivíduos e pode conter até três gerações aparentadas.

Para predar, elas utilizam técnicas sofisticadas e vocalizações em grupo.

As atividades mais comuns desempenhadas por elas são alimentação, descanso, socialização e deslocamento.

É muito frequente ver baleias orcas pulando fora da água e batendo suas caudas. Esse comportamento é realizado para a corte, para comunicação, brincadeiras e também para se livrarem de parasitas.

As baleias orcas também realizam o comportamento de vigilância, colocando a cabeça para fora da superfície. Elas vocalizam para a corte e para comunicação dentro do grupo.

São excelentes nadadoras, podendo atingir 55 km/h.

Habitat

Essa espécie é encontrada em quase todos os oceanos, com grade área de distribuição. São normalmente vistas nas costas da Islândia, Noruega, Argentina, Nova Zelândia, Califórnia e Alaska.

Alimentação

A reputação das orcas como assassinas vem da sua classificação como carnívoro predador de topo de cadeia alimentar. Isso significa que elas não possuem um predador natural.

As orcas se alimentam de peixes, cefalópodes, tartarugas-marinhas, aves e outros mamíferos, incluindo baleias. Em média, uma orca pode consumir 227 quilos de comida por dia.

Dependendo da localidade da população, a dieta e a técnica de predação podem variar. Algumas são especializadas no consumo de peixe, ingerindo cerca de 30 espécies deles, como o Salmão da costa da Noruega. Já na Nova Zelândia, tubarões e raias compõem a dieta da população de orcas da região, incluindo o consumo do tubarão branco. As que ingerem mamíferos, compõem a dieta com cerca de 32 espécies de cetáceos, como baleias cinzentas e baleia azul.

Reprodução

As orcas se tornam maduras sexualmente por volta dos 10 anos de idade e atingem o pico da fertilidade aos 20 anos, podendo se reproduzir até os 40. A gestação desse animal dura entre 11 e 12 meses e gera apenas um filhote por vez. O período entre uma gestação e outra pode variar entre 3 e 16 meses.

A espécie apresenta cuidado parental, sendo que o filhote é cuidado pela mãe até o desmame, mas permanece com ela no grupo matriarcal durante toda a vida. A expectativa de vida das fêmeas orcas é, em média, de 50 anos, mas podem atingir os 90.

Curiosidades

De acordo com a IUCN (International Union for Conservation of Nature), as orcas não possuem dados suficientes para estimar seu risco de extinção. Algumas populações específicas são consideradas ameaçadas ou em perigo, em função do declínio da população de presa, da perda de habitat ou da poluição dos mares por plástico.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content