Cloroplastos – O que são? Estritura e Função

Você já se perguntou como surgiu a vida na Terra? O que tornou possível que tantas espécies sobrevivessem aqui? Parte dessa história foi possível graças ao surgimento dos cloroplastos e do processo de fotossíntese, pois permitiram que surgissem água e oxigênio na superfície terrestre.

Mas, o que são cloroplastos? Eles são estruturas presentes em células de plantas, sendo uma característica exclusiva destes seres. É por meios dessas organelas que as plantas conseguem produzir seu próprio alimento – sendo a base da cadeia alimentar – e produzir oxigênio necessário para a respiração de todos os outros seres vivos.

É daí que provém a importância destes seres, que devem ser preservados para que haja manutenção da vida na Terra.

Cloroplastos

O que são cloroplastos?

Os cloroplastos são um tipo de plastídios, organelas responsáveis pela produção de alimento (energia) nas células vegetais.

Cada tipo de plastídio possui um pigmento responsável pela cor dos vegetais. No caso dos cloroplastos, o pigmento é a clorofila e os outros carotenoides.

Como a maioria dos vegetais são verdes, os cloroplastos são os plastídios mais conhecidos.

Origem dos cloroplastos

Você talvez já tenha ouvido dizer que os cloroplastos, assim como as mitocôndrias, eram organismos que foram engolidos por outros. Estudos apontam que, num processo de simbiose muito antigo, os cloroplastos foram engolidos por um procarioto fotossintetizante, uma cianobactéria.

Ainda hoje, eles contêm um genoma circular proveniente desta cianobactéria, embora seja muito menor do que o que deu a sua origem.

a fotossíntese é um processo ainda mais antigo e surgiu quando células primitivas desenvolveram a capacidade de absorver energia luminosa e água para produzir moléculas de energia e de oxigênio, permitindo, assim, a vida na terra.

Estrutura

Em plantas vasculares, os cloroplastos podem medir entre 4 e 8 micrômetros, bem como possuir formato de grânulos bem desenvolvidos nas folhas.

Eles possuem formato de disco e ficam dispostos no citosol, dentro da célula vegetal. A membrana interna circunda uma matriz chamada de estroma, que possui várias enzimas metabólicas, sendo onde ocorrem as reações químicas para fixação do gás carbônico durante a fotossíntese, processo conhecido como Ciclo de Calvin.

Cloroplastos

Embebido no estroma estão localizados os tilacoides, que se parecem com sacos achatados interligados entre si. Estão dispostos uns sobre os outros, como uma pilha de moedas denominada granum (plural grana).

São as membranas destas estruturas que transportam elétrons entre a célula e o meio externo. Além disso, as membranas do tilacoide contêm a clorofila e as enzimas hidrossolúveis.

O estroma também conta com alguns grãos de amido que atuam como reserva de energia para as atividades metabólicas do cloroplasto.

Função

O principal papel dos cloroplastos é realizar a fotossíntese. Neste processo químico, a energia luminosa, o dióxido de carbono e a água são utilizados para produzir glicose (açúcar) e oxigênio.

Como dissemos anteriormente, no estroma ocorre a fixação do gás carbônico, e nos tilacoides ocorrem as reações da etapa fotoquímica.

O açúcar produzido servirá de fonte de alimento para os próprios vegetais e para os organismos que a consumirem. Assim, sua posição na cadeia alimentar é denominada como produtor. Elas são, portanto, classificadas como seres autotróficos, que produzem seu próprio alimento.

As plantas utilizam os açúcares durante o processo de respiração celular, que envolve outras organelas como a mitocôndria.

É importante lembrar que, parte dos nutrientes para o desenvolvimento vegetal é absorvida pela raiz, retirando os compostos do solo. Por isso é tão importante que o solo seja fértil para elas.

Além da fotossíntese, como o cloroplasto é um tipo de plastídio, suas funções também são realizar a síntese de aminoácidos e ácidos graxos e armazenar amido, proteína e lipídios.

Onde são encontrados?

Os cloroplastos são encontrados em seres fotossintetizantes, ou seja, plantas e algas.

O genoma do cloroplasto

Mencionamos, acima, que o cloroplasto possui um genoma (sequência de DNA) proveniente do seu ancestral, uma cianobactéria. Lembre-se de que, além do cloroplasto, apenas a mitocôndria também possui um DNA próprio. Outras organelas não o possuem, e isto é parte de sua grande importância.

Seu genoma é circular, mas muito menor do que o original. Ao longo da evolução, vários genes foram transferidos para o genoma nuclear, tornando essencial a produção de proteínas nucleares para o funcionamento do cloroplasto.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content