Encontros consonantais – O que são? Regras de Uso, Tipos e Exercícios Resolvidos

Encontro consonantal é um tema básico do estudo da língua, sendo estudado pela Fonética e Fonologia. Geralmente, tem-se contato com esse assunto logo nos primeiros anos da alfabetização.

Mas, será que você sabe tudo a respeito dos encontros consonantais? Confira agora, no Gestão Educacional!

Encontros consonantais: o que são?

Encontros consonantais

Basicamente, dá-se o nome de encontro consonantal ao agrupamento de consoantes numa palavra, isto é, quando duas consoantes ficam lado a lado numa mesma palavra. Confira alguns exemplos abaixo:

  • Clava;
  • Dríade;
  • Truco;
  • Glória;
  • Soprano;
  • Atrás;
  • Catolicismo;
  • Mesma;
  • Gnomo;
  • Palavra.

[VEJA TAMBÉM: O QUE SÃO ENCONTROS VOCÁLICOS?]

Encontros consonantais e dígrafos são a mesma coisa?

A resposta é não. Para se caracterizar como encontro consonantal, como vimos, é preciso que duas consoantes fiquem próximas uma da outra numa mesma palavra. Entretanto, cada uma dessas consoantes tem um som próprio, sendo pronunciadas independentemente.

É o caso da palavra flor, por exemplo. Observando a transcrição fonética, é possível perceber que as consoantes F e L, apesar de juntas, são pronunciadas individualmente: [flˈɔx].

nos chamados dígrafos, também ocorre uma espécie de encontro de consoantes, mas as consoantes correspondem a um mesmo e único som. É o caso, por exemplo, de CH, como em chave. Observando a transcrição fonética deste vocábulo, é possível perceber que CH corresponde a um único som, o som palatal ʃ: [ʃˈa.vi].

Quais os principais encontros consonantais do português?

Segundo Celso Cunha (2017, p. 64), os mais frequentes encontros consonantais do português são aqueles que têm L ou R como segunda consoante. A tabela a seguir, de autoria do gramático citado, lista os encontros consonantais em questão:

Encontros consonantais

Quais as regras de separação silábica dos encontros consonantais?

Quando o encontro consonantal está no início da palavra, as consoantes são inseparáveis, permanecendo na mesma sílaba, como pneu-mo-ni-a, gno-mo, etc.

Já nos demais casos, pode livremente tanto ocupar a mesma sílaba quanto serem divididos em duas. Portanto, ambas as formas são aceitas: di-gno e digno.

Vale observar que dígrafos, por diferirem de encontros consonantais, por se tratar de uma junção de consoantes responsáveis pela pronúncia de um mesmo som, não são separados, permanecendo na mesma sílaba, a não ser que se trate de consonantes iguais (RR e SS). Portanto: fle-cha, ca-mi-nho, carro, etc.

Além disso, convém destacar que, no português falado, é comum se pronunciar determinados vocábulos incluindo-se vogais entre os encontros consonantais, como em pneu (monossilábico) sendo pronunciado como pe-neu ou pi-neu (dissilábicos).

Quais os tipos de encontros consonantais?

Os encontros consonantais são classificados em três tipos diferentes:

  1. Encontro consonantal perfeito: quando, na divisão silábica, as consoantes permanecem na mesma sílaba: psi-qui-a-tra, clau-su-ra;
  2. Encontro consonantal imperfeito: quando, na divisão silábica, as consoantes ficam divididas, em sílabas diferentes: corte, multa;
  3. Encontro consonantal misto: quando, na divisão silábica, ocorrem encontros consonantais perfeitos e imperfeitos: desfri-bi-la-dor, de-sastr

Exercícios Resolvidos

1. As sílabas de advogado, displicência e magnetismo estão corretamente separadas em:

a) a-d-vo-ga-do, dis-pli-cên-cia, mag-ne-tis-mo

b) ad-vo-ga-do, dis-pli-cên-cia, ma-gne-tis-mo

c) ad-vo-ga-do, dis-pli-cên-ci-a, mag-ne-tis-mo

d) ad-vo-ga-do, dis-pli-cên-cia, mag-ne-tis-mo

e) ad-vo-ga-do, dis-pli-cên-cia, mag-net-is-mo

2. A alternativa que contém, respectivamente, um encontro consonantal perfeito, um imperfeito e um misto é:

a) Prefeito, altura, asfalto;

b) Gnomo, prédio, filtrar;

c) Costurar, afta, pedreira;

d) Crânio, fulgura, fortaleza;

e) Fritura, obviedade, destreza.

RESPOSTA

D

E


Referências utilizadas neste conteúdo:

CUNHA, Celso. Nova gramática do português contemporâneo. 7. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2017.


Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de literatura, língua portuguesa e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply