Enredo – O que é? Quais os Tipos? Como Criar um?

A narrativa – e a própria capacidade de narrar – está atrelada com a história da humanidade, afinal, representa uma série de acontecimentos que estão interligados e que são transmitidos em uma estória. Hoje em dia, as obras narrativas existentes são extremamente variadas.

Toda narrativa possui em sua estrutura cinco elementos fundamentais: o enredo, o narrador, os personagens, o tempo e o espaço.

[CONFIRA TAMBÉM: O QUE É LITERATURA?]

Entenda, hoje, o que significa o enredo e quais são suas características mais importantes, aqui no Gestão Educacional!

O que é enredo?

literatura o que é

Na realidade, para entender melhor um enredo, você precisa conhecer como uma narrativa funciona. Existem perguntas essenciais que uma narrativa tenta responder, sendo elas:

  1. Quem? – os personagens;
  2. O quê? – o enredo;
  3. Como? – o modo como se tecem os fatos;
  4. Onde? – o(s) lugar (es) que ocorre;
  5. Quando? – o momento (ou os momentos) em que se passam os fatos;
  6. Por quê? – a causa desses acontecimentos.

O enredo, portanto, é o “o quê” da narrativa. Basicamente, ele descreve os acontecimentos da estória – sem eles, não há possibilidades de narrar qualquer coisa.

Agora perceba: quem vive os acontecimentos (o enredo) são os personagens, em tempos e espaços (quando e onde) determinados pelo narrador. A narrativa, logo, terá que explicar o porquê e tecer os fatos para tornar essa estória agradável.

Voltando ao assunto do enredo, portanto, temos como definição o conjunto de acontecimentos que se sucedem, de maneira ordenada em uma estória, na qual participam os personagens.

O termo enredo também é, geralmente, substituído por “ação”, “trama” ou “intriga”. Independentemente do nome, o enredo será o elemento que dará a sequência a uma história – é em torno dele que todos os acontecimentos de uma narrativa irão se desenvolver.

Um enredo tem uma estrutura dividida em três partes principais: introdução, desenvolvimento e conclusão. Respectivamente falando, essas partes correspondem ao início, meio e fim da estória que está sendo narrada.

Para que ocorra uma boa organização das partes de um enredo, é interessante que exista um “gerador de tensão”, chamado de conflito, que irá proporcionar o envolvimento da trama e do leitor.

Partes do enredo

Introdução (pode ser chamada também de apresentação, exposição ou situação inicial). Ela é a parte do enredo em que o leitor é situado na narrativa. São apresentados os personagens e os acontecimentos até o momento em que a estória tem início, assim como a situação presente no momento em que a narrativa começa.

Na grande parte das vezes, a introdução engloba a apresentação do espaço e o período de tempo em que a estória se passa. Dependendo do tipo de narrativa, por exemplo, de um conto tradicional, a introdução é muito curta.

Desenvolvimento (ou chamado também de complicação) é a parte do enredo em que a estória vai tomando forma e é vista como a parte mais extensa, pois é durante o desenvolvimento que o conflito (ou conflitos) acontece para ir em direção a uma resolução.

Conclusão, pelo nome já se imagina, é a parte do enredo na qual haverá a solução do conflito. Ao final, o leitor se depara com a mensagem, moral ou essência da obra. Por isso, a conclusão engloba o clímax (momento em que o conflito alcança seu auge) e o desfecho (momento em que há a resolução do conflito e a revelação do destino dos personagens).

O enredo de uma obra envolve a fluência dos acontecimentos – eles irão se transformar sucessivamente de acordo com a ordenação escolhida pelo narrador.

Quais os tipos de enredo?

o que é literatura

Não é muito comum ocorrer uma classificação para os enredos, mas, por conta de sua estrutura – como explicado acima –, muitos podem dividir um enredo em linear e não linear.

O linear é o tipo de enredo em que o narrador segue a sequência cronológica, organizada daquela maneira detalhada: introdução, desenvolvimento e conclusão.

o enredo não linear não segue essa sequência, deixando o narrador livre para apresentar o seu desfecho ou revelar aos poucos a conclusão ao longo de sua narrativa.

Como criar um enredo?

Você pode achar que é difícil fazer um bom enredo, mas a verdade é que precisará ter em mente todos os itens necessários para divulgar tudo o que o leitor espera.

O enredo será a disposição artisticamente construída das vivências dos personagens, sendo essencial para a construção literária.

Lembre-se de criar aquele núcleo dramático – o que chamamos de conflito –, afinal, é ele que gerará as ações dos personagens. E é ao redor dele que você poderá cria outros conflitos. O núcleo dramático pode ser individual (quando envolve um ou dois personagens) ou coleto (quando envolve uma classe social ou família, por exemplo).

Dependendo do tom do conflito, o enredo pode se enquadrar em várias categorias, como de mistério, de amor, de aventura, entre outras. Tudo depende de sua criatividade e vontade!

É claro que precisará lembrar que um enredo não aparece somente em um conto ou romance: você pode se deparar com ele em novelas, poemas, histórias em quadrinhos, peças de teatro, músicas, filmes e outras obras artísticas.

Uma narrativa, dependendo do ponto de vista de quem a lê, cria uma diversidade de sentidos, graças aos fatores sociais e pessoais.

Gostou desse post? Então, confira como escrever uma boa redação!

Rafaela Mustefaga

Graduada em Letras Português/Inglês, pela PUCPR, é revisora e editora de textos informativos, apaixonada por línguas e literatura e professora nas horas vagas.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content