Era Paleozoica – O que é? Períodos e Suas Características

Eras geológicas são os grandes períodos de tempo que dividem a história natural da Terra, de acordo com a classificação feita pela Comissão Internacional de Estratigrafia, órgão pertencente à União Internacional das Ciências Geológicas.

O objetivo da divisão do tempo em eras é facilitar o estudo e a compreensão da evolução geológica do planeta ao longo do tempo, por conta de mudanças identificadas nas rochas e nos fósseis, que permitem, aos geólogos, entre outras coisas, conhecer a idade da Terra, os climas de épocas passadas, os terremotos, a atividade vulcânica, a distribuição dos continentes e oceanos, etc. Neste artigo, vamos conhecer um pouco mais sobre a Era Paleozoica, só aqui, no Gestão Educacional!

Quais são as eras geológicas?

A história geológica do planeta Terra está dividida em quatro éons, que por sua vez, se dividem em eras, períodos, épocas e idades. A divisão, segundo a Comissão Internacional de Estratigrafia, é a seguinte:

  • Éon Hadeano: o mais antigo de todos os éons, e não possuí divisão oficial;
  • Éon Arqueano: duração entre 3,85 bilhões de anos e 2,5 bilhões de anos atrás, aproximadamente;
  • Éon Proterozoico: duração que varia entre 2,5 bilhões e 542 milhões de anos;
  • Éon Fanerozoico: vai de aproximadamente 542 milhões de anos atrás até os dias atuais.

Era paleozoica – O que é?

O Paleozoico, cujo termo significa “vida antiga”, em grego, vai de aproximadamente 542 até 251 milhões de anos atrás. Está dividido em seis períodos: Cambriano, Ordoviciano, Siluriano, Devoniano, Carbonífero e Permiano.

Cambriano

O Cambriano está compreendido entre 542 e 488 milhões de anos atrás. É dividido nas épocas Terreneuviana, Cambriana série 2, Miaolingiana e Furongiana.

Segundo os estudos, existiam quatro continentes no Cambriano, formados por simples rochas nuas e estéreis. O clima do mundo era bem mais quente, sem nenhuma glaciação. Também ocorreu uma maior diversificação da vida, marcando o evento conhecido como explosão cambriana, período de tempo em que a maioria dos grupos principais de animais apareceram no registro fóssil.

Segundo os cientistas, é provável que não tenha existido plantas terrestres naquela época, embora seja possível a existência de aglomerados microbianos formados por fungos, algas e possíveis líquens cobrindo a terra.

Ordoviciano

Esse período está compreendido entre 488 e 443 milhões de anos atrás, e dividido em três épocas: Ordoviciano Inferior, Ordoviciano Médio e Ordoviciano Superior.

Nesse período, os continentes ainda eram desérticos e invadidos por extensos mares rasos. A maior parte terrestre do mundo estava ao sul, o supercontinente Gondwana. O clima era suave, com temperaturas médias e atmosfera extremamente úmida.

Os invertebrados ainda são as formas de vida animal dominantes, porém com mais semelhança às atuais do que as do período Cambriano. Esse é um estágio bem conhecido pela presença de vários invertebrados marinhos.

Siluriano

Esse período está compreendido entre 443 milhões e 416 milhões de anos atrás, dividido entre quatro épocas: Llandovery, Wenlock, Ludlow e Pridoli. Os primeiros animais conhecidos totalmente adaptados às condições terrestres surgem nesse período. É também do Siluriano o surgimento das primeiras plantas terrestres. Porém, a fauna terrestre só teria maior impacto na Terra com a diversificação ocorrida no Devoniano.

Devoniano

Esse período está compreendido entre 416 milhões e 359 milhões de anos atrás, aproximadamente. Está dividido em Devoniano Superior, Médio e Inferior.

Nesse período, os continentes começam a se aproximar cada vez mais, já indicando o futuro surgimento do supercontinente conhecido como Pangeia.

O clima era quente e o nível dos oceanos alto, o que fez com que muitas terras fossem cobertas por mares rasos, onde proliferavam grandes recifes de corais, favorecendo a proliferação dos peixes que dominam de vez os ambientes aquáticos. Por isso, o Devoniano é conhecido como “A Era dos Peixes”.

Com relação à flora, surgem as primeiras florestas, que vão se espalhar devido ao fato de praticamente não existirem ainda animais herbívoros nesse período.

Carbonífero

O Carbonífero está compreendido entre 359 milhões e 299 milhões de anos atrás. O período está dividido entre Pennsylvaniano e Mississippiano.

O Carbonífero tem esse nome devido às grandes quantidades de carvão mineral encontradas em formações rochosas da época. Estudos sugerem que essa quantidade tenha origem nas grandes florestas e nos pântanos que cobriam a maior parte das terras emersas.

Mudanças nos níveis dos oceanos causaram a extinção de boa parte da fauna marinha e, ao longo desse período, o supercontinente Pangeia se formou, resistindo como único continente mundial até a era dos dinossauros.

Permiano

Último período da Era Paleozoica antes da entrada da Era Mesozoica, a duração do Permiano se estende de 298,9 até 252 milhões de anos atrás. Esse período é caracterizado por um clima mais seco, resultando em grandes desertos e diminuição dos níveis de oxigênio da atmosfera.

Grande proliferação das coníferas, que se tornam as plantas dominantes, e um aumento no desenvolvimento e na diversificação dos répteis também são algumas das características do Permiano.

Acredita-se que tenha ocorrido uma extinção em massa no final desse período, com o desaparecimento de 95% da vida na Terra, cujas causas permanecem desconhecidas.

Referências utilizadas neste conteúdo:

http://www.stratigraphy.org/

Umberto Oliveira

Bacharel em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content