Gerúndio – O que é? Características, Regas e Exemplos

Podendo atuar na oração como adjetivo ou advérbio, e não se flexionando em tempo ou modo, o gerúndio é uma das formas nominais que o verbo, na língua portuguesa, pode assumir.

Neste artigo do Gestão Educacional, você verá tudo a respeito do gerúndio. Confira!

O que são “formas nominais”?

As chamadas “formas nominais” são tipos especiais de conjugação em que os verbos podem ser conjugados. Neste tipo de conjugação, o verbo não sofre flexões de tempo nem de modo. Além disso, o verbo, na forma nominal, desempenha, na oração, a mesma função que os nomes desempenham, ou seja, atua como substantivo, adjetivo ou advérbio.

São três as formas nominais do verbo na língua portuguesa: o infinitivo, o gerúndio e o particípio. Neste artigo, trataremos exclusivamente do gerúndio.

O que é o gerúndio?

O gerúndio, como vimos, é uma das três formas nominais que os verbos podem assumir. Sendo uma forma nominal, uma das principais características do gerúndio é o fato de ele não se flexionar em tempo ou modo, como as demais formas nominais. Confira a comparação:

(1) Maria trabalhou como fotógrafa.

(2) Maria está trabalhando como fotógrafa.

Em (1), temos um verbo conjugado na terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo. Conseguimos chegar a essa conclusão observando a desinência “-ou”, acrescentada ao radical “trabalh-”, que nos indica o modo e o tempo do verbo, além de outras informações, tais como o número e a pessoa. O mesmo verbo poderia ser conjugado de maneiras diferentes, recebendo outras desinências para indicar outros modos e tempos verbais (como “trabalhasse”, “trabalhava”, “trabalhara”, “trabalhará” etc.).

O mesmo não se aplica ao verbo do exemplo (2), que está conjugado na forma nominal do gerúndio. Para estar nessa forma, acrescenta-se a desinência “-ndo” ao radical “trabalh-” e a vogal temática verbal “-a-”. Independente do contexto da oração, estando ela no presente, no futuro ou no passado, o verbo conjugado no gerúndio terá sempre a mesma forma. Observe:

(3) Maria está trabalhando como fotógrafa.

(4) Maria estará trabalhando como fotógrafa ano que vem.

(5) Maria estava trabalhando como fotógrafa ano passado.

Temos em (3) uma oração no presente, em (4) uma no futuro e em (5) uma no passado. Os verbos principais, em negrito e conjugados no gerúndio, não são responsáveis por indicar essas noções temporais, mas sim os verbos auxiliares, sublinhados.

Isso nos permite concluir que, na forma nominal do gerúndio, o verbo não sofre flexões de modo nem de tempo, sendo o restante da oração responsável por indicar essas informações (como o verbo auxiliar e os demais elementos, como “ano que vem”, indicando futuro).

Outra característica importante de se observar em relação ao gerúndio é a de poder exercer a função de advérbio ou de adjetivo. Confira os exemplos:

(6) Não posso falar agora, estou estudando para a prova.

(7) Enquanto você está a perder tempo, há pessoas estudando para a prova.

Em (6), o verbo no gerúndio está desempenhando a função de advérbio, modificando o sentido do verbo sublinhado, indicando modo. Já em (7), ele está exercendo a função de adjetivo, modificando o sentido do substantivo sublinhado, especificando-o.

Por fim, é importante mencionar que, na forma simples, a ação à qual o verbo no gerúndio está fazendo referência é uma ação ainda em processo, ou seja, são ações prolongadas, em desenvolvimento, ainda a acontecer, não-finalizadas. Na forma composta, entretanto, ele indica alguma ação prolongada (em orações subordinadas) já concluída antes de outra ação (indicada pelo verbo principal). Veremos essa distinção, de maneira detalhada, mais adiante.

Resumo das características do gerúndio

De maneira resumida, portanto:

  • O gerúndio é uma das formais nominais;
  • O gerúndio não se flexiona em modo, cabendo a outros elementos da oração indicar essas informações (como o verbo auxiliar);
  • O gerúndio exerce na oração papel de adjetivo ou de advérbio;
  • O gerúndio é usado para indicar ações ainda em processo (na forma simples) ou ações prolongadas, em orações subordinadas, já concluídas em relação a outras ações, do verbo da oração principal (na forma composta).
  • O gerúndio pode ser tanto simples quanto composto (como veremos adiante).

Gerúndio e gerundismo são a mesma coisa?

A resposta é não. Gerúndio, como vimos, é o nome de uma das três formas nominais que os verbos podem assumir. O gerundismo, por sua vez, é um vício de linguagem caracterizado pelo uso indevido do gerúndio em contextos em que outro tempo verbal seria mais indicado.

Enquanto o gerúndio indica, como vimos, uma ação em processo ou uma ação em processo concluída antes de outra ação, ocorre um gerundismo quando se utiliza o gerúndio para substituir o futuro do presente (na forma: ir + estar + gerúndio). Observe a comparação:

(8) Ligarei para minha mãe.

(9) Vou ligar para minha mãe.

(10) Vou estar ligando para minha mãe.

Em (10), o verbo “ligando”, no gerúndio, não está indicando uma ação em processo, apenas uma ação futura, substituindo o futuro do presente, que seria mais indicado para esse propósito (como em 8, na forma simples, e 9, na forma composta).

Forma simples do gerúndio

Na forma simples, como vimos, o gerúndio expressa uma ação em curso, podendo indicar uma ação no passado, no presente ou no futuro. Vale lembrar que a noção de tempo é definida por outros elementos da oração, não pelo próprio gerúndio, uma vez que este não se flexiona em tempo nem em modo. Veja os exemplos:

(11) Estou procurando um namorado. (Presente)

(12) Quando você estiver viajando, lembre-se de mim. (Futuro)

(13) Eu até fui à sua casa, mas você estava tomando (Pretérito)

Perceba que, nos exemplos acima, apesar de o verbo no gerúndio não sofrer alterações em sua estrutura, ele está em três tempos distintos. O que define o tempo, nesse caso, não são desinências que se juntam ao radical, como nos tempos verbais, mas outros elementos da oração, como os verbos auxiliares (“estou”, “quando … estiver” e “estava”).

Em todos os exemplos (11, 12 e 13), o verbo no gerúndio está indicando uma ação ainda acontecendo, independente do período do tempo, não se fazendo menção ao momento em que estará completa.

Forma composta do gerúndio

Já na forma composta, o gerúndio indica uma ação já concluída anteriormente à ação do verbo da oração principal. É usado, portanto, apenas em orações subordinadas. A forma composta do gerúndio é formada pelos verbos auxiliares “ter” ou “haver”, conjugados no gerúndio (“tendo” ou “havendo”, portanto), seguidos do particípio do verbo principal. Veja os exemplos:

(14) Não tendo alcançado o resultado esperado, Cristina decidiu estudar mais para a recuperação.

(15) Havendo estudado a matéria, Cristina alcançou melhores resultados na recuperação.

Perceba que, nestes exemplos (14 e 15), as ações indicadas pelo verbo na forma composta do gerúndio, em negrito, já estavam concluídas antes de as ações da oração principal, sublinhadas, acontecerem.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content