Estilística – O que é? Tipos e exemplos

A estilística é um ramo da linguística responsável por estudar a utilização da linguagem como forma de expressão e apelo ao interlocutor. Há vários eixos de estudo da estilística, como: estilística fônica, sintática e da palavra.

Neste artigo completo do Gestão Educacional, veremos o que é e como é dividida a Estilística. Confira!

O que é estilística?

A estilística é um ramo da linguística. Ela é responsável por estudar alguns fenômenos da linguagem, relacionados principalmente ao quesito estilo.

Enquanto a gramática, por exemplo, estuda a língua como meio de representação mental da realidade, a estilística se preocupa em estudar a língua como meio de se exprimir determinados estados psíquicos (expressão) ou de atuar sobre o interlocutor (apelo).

Através da primeira função da estilística é que transfundimos nossas emoções. Já através da segunda, somos capazes de sugestionar as ações de outros seres humanos. A gramática, por sua vez, estuda a as regras que estruturam a comunicação social.

Um termo bastante importante no que diz respeito ao estudo da estilística é o seguinte: variação linguística.

A língua não é uma só, tampouco é imutável. A língua muda com o passar do tempo, e por diversos fatores. Ela muda geograficamente, pois cada região possui singularidades em relação ao modo de falar de seus habitantes; muda de acordo com a classe social do falante, de acordo com o sexo do indivíduo, com a faixa etária etc. E, obviamente, também muda de acordo com o estilo adotado por cada indivíduo.

A disciplina responsável pelo estudo da variação linguística é a sociolinguística, embora a estilística também contribua com essa questão. Além disso, da variação linguística surge um tipo peculiar de preconceito: o preconceito linguístico.

Além disso, convém mencionar que a estilística não é uma disciplina rival da gramática, pelo contrário: é uma disciplina complementar, que eleva o entendimento dos estudiosos a respeito do funcionamento e da estrutura da língua.

Campos de estudo da estilística

Alguns dos principais campos de estudo da estilística são os seguintes:

  • Estilística fônica
  • Estilística sintática
  • Estilística da palavra

Vejamos a seguir alguns detalhes a respeito de cada um desses campos de estudo.

Estilística fônica (ou fonoestilística)

A fonética é uma outra disciplina da linguística. Ela é responsável por estudar e classificar os fones (os sons da fala), considerados as menores unidades da linguagem, bem como a maneira como esses sons são produzidos.

Alguns dos tipos de acento fundamentais para a fala humana são: o acento de intensidade, o de altura e o de duração (ou quantidade). Para dar maior expressividade a determinada palavra ou sentença, é natural que alteremos a forma natural desses acentos serem produzidos.

Vejamos um exemplo. Leia a oração a seguir de maneira natural, sem quaisquer traços de emotividade:

  • O desfile das escolas de samba foi formidável.

Você provavelmente pronunciou a última palavra, “formidável”, colocando a acentuação tônica apenas na penúltima sílaba, marcada pelo acento agudo. Porém, repita a leitura, agora pronunciado a oração de maneira entusiasmada.

Nesse caso, lendo-a de maneira entusiasmada, você possivelmente pronunciou a primeira sílaba da palavra “formidável” com uma força maior, talvez até mesmo equivalente àquela que você aplicou na sílaba tônica. Ambas, agora, passaram a competir pelo destaque maior.

Ainda que você não tenha pronunciado outra sílaba da última palavra de maneira diferente, você possivelmente o fez com outras palavras da oração. Assim, é possível perceber como fazemos uso da fonética para se alcançar determinados fins estilísticos.

Algumas das figuras de som, que valorizam a expressividade do texto através da sonoridade, são os que listaremos a seguir.

Assonância

Repetição de sons de vocais em um verso ou em uma frase. Exemplo:

  • “Sou Ana, da cama; da cana, fulana, bacana; sou Ana de Amsterdam” (Chico Buarque)

Aliteração

Repetição de fonemas idênticos no início de várias palavras em um verso ou em uma frase. Exemplo:

  • “O rato roeu a roupa do rei de Roma”.

Paronomásia

Utilização de palavras parônimas, ou seja, com funções e sentidos diferentes, mas pronúncias iguais, para fins estilísticos. Exemplo:

  • “Quem conta um conto sempre aumenta um ponto

Onomatopeia

Utilização de vocábulos para simular, imitar, representar ou sugerir determinados sons ou ruídos naturais. Exemplo:

  • “Ou, então, outras ocasiões, o Patorí fazia de conta que era toda qualidade de bicho. —‘Agora, o que é que você quer, Miguilim?’ ‘— Cavalo!’ ‘—Cavalo, cavalo, cavalo? É assim: … Rinhinhim, rinhinhim, rinhinihm…’” (Manuelzão e Miguilim, Guimarães Rosa)

Estilística sintática

A sintaxe é a área da gramática responsável pelo estudo das palavras enquanto elementos formados de uma frase. Ela se preocupa com a disposição e na combinação das palavras em sintagmas, e destes sintagmas em sentenças ainda maiores. É a sintaxe quem estuda a construção de frases, orações e períodos.

Portanto, a estilística sintática estuda justamente as regras de formação de frases, e as maneiras pelas quais o indivíduo pode desviar-se desta regra para alcançar determinados resultados expressivos.

Algumas figuras estilísticas sintáticas são o anacoluto, assíndeto, hipérbato, polissíndeto, sínquise etc. Confira a seguir um exemplo de figura estilística sintática.

Anacoluto

Consiste basicamente na criação proposital de uma irregularidade gramatical na estrutura de uma frase. Com isso, o autor passa a impressão de que começou uma frase e a interrompeu abruptamente, como se houvesse uma mudança no rumo de seu pensamento. Ocorre, portanto, uma desconexão sintática proposital.

Por exemplo:

  • “A velha hipocrisia, recordo-me dela com vergonha” (Camilo Castelo Branco)

Neste trecho, ocorreu um caso de anacoluto. Isso porque, no início da frase, o autor começa a tecer um comentário a respeito da hipocrisia. Porém, subitamente, como se a hipocrisia revivesse nele alguma lembrança embaraçosa, ele interrompe o comentário, tecendo um novo: “recordo-me dela (da hipocrisia) com vergonha”.

Estilística da palavra

Por fim, a estilística da palavra encarrega-se do estudo dos aspectos expressivos relacionados às palavras, ligados aos seus componentes semânticos e morfológicos.

Algumas palavras carregam consigo uma carga sentimental. Tais palavras são chamadas, no estudo da estilística, de palavras afetivas. Essa carga sentimental pode depender da sua significação semântica ou no emprego de determinados morfemas.

Algumas das figuras de palavra são as seguintes:

  • Alegoria
  • Alusão
  • Ambiguidade
  • Antífrase
  • Antítese
  • Antonomásia
  • Apóstrofe
  • Catacrese
  • Disfemismo
  • Eufemismo
  • Hipérbole
  • Ironia
  • Metáfora
  • Metonímia
  • Sarcasmo
  • Oxímoro

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content