Pretérito imperfeito – O que é? Regras de formação e Exemplos

O pretérito imperfeito é um dos tempos verbais dos verbos da língua portuguesa. Sem mais delongas, confira, neste artigo do Gestão Educacional, tudo a respeito desse tempo verbal!

Pretérito imperfeito – O que é?

O pretérito imperfeito é um dos tempos verbais do português. Ele ser do “pretérito” indica que a ação aconteceu ou começou a acontecer num momento anterior ao do instante da fala. Ele ser “imperfeito” indica que a ação começou a ser realizada em algum momento do passado, mas que, por alguma razão, ela não foi completada.

O pretérito imperfeito, portanto, indica uma ação que começou no passado e que, até o presente, não foi concluída. Com isso, ele pode transmitir a ideia de um hábito passado, a continuidade de um acontecimento em relação a outro, etc. Confira alguns exemplos:

(1) Antigamente eu jogava bola.

(2) Enquanto eu dormia, meu amigo estudava para a prova.

Eu ouvia música quando meu pai chegou.

Em (1), o pretérito imperfeito foi usado para indicar uma ação que, no passado, era um hábito do sujeito. Em (2), o pretérito imperfeito foi usado para indicar uma ação que aconteceu, no passado, enquanto outra, no mesmo instante do passado, também acontecia. O mesmo acontece em (3), com a ação sendo interrompida e sobreposta por outra.

Perceba que, nesses três exemplos, a ação não foi totalmente concluída. Seria diferente, por exemplo, se disséssemos:

(4) Eu ouvi música até tarde da noite.

Em (4), temos um exemplo do chamado pretérito perfeito, que é usado, ao contrário do imperfeito, quando a ação foi totalmente concluída num tempo passado. Sabemos com certeza que a ação começou e terminou no passando, não havendo possibilidade de ela perdurar até o presente.

O pretérito imperfeito, entretanto, tem essas funções apenas no pretérito imperfeito do indicativo. No subjuntivo, como veremos a seguir, o seu uso é um pouco diferente.

Regas do pretérito imperfeito do indicativo e do subjuntivo

O pretérito imperfeito, na língua portuguesa, é classificado, ainda, de acordo com o modo verbal. Ele pode ser tanto:

  • Pretérito imperfeito do indicativo, quando indica uma ação passada que certamente começou a acontecer, mas que, por alguma razão, não foi totalmente concluída nem dura até os dias de hoje, como em:

(5) Antigamente, eu escrevia todos os dias.

Neste exemplo, o uso do verbo, conjugado no pretérito imperfeito do indicativo, nos dá a certeza de que, no passado, o sujeito realmente escrevia todos os dias.

  • Pretérito imperfeito do subjuntivo, sendo usado, nesse caso, para se expressar desejos, probabilidades e acontecimentos relacionados a outros, não se limitando apenas ao passado, podendo indicar uma ação, também, do presente ou do futuro. Confira:

(6) Se eu estivesse namorando agora, certamente estaria mais feliz. (Presente)

(7) Se eu tivesse estudado, teria ido melhor na prova da semana passada. (Passado)

(8) Se você parasse de me ofender, poderíamos ser amigos um dia. (Futuro)

Em todos esses exemplos, o verbo não indica certeza, mas desejo ou possibilidade, diferenciando-se, portanto, do indicativo (em que se há certeza quanto à possibilidade da ação, mesmo ela estando inacabada).

Regras para a formação do pretérito imperfeito com verbos regulares

Os verbos regulares possuem uma forma recorrente para as suas conjugações, em cada um dos tempos e modos verbais. O mesmo não se aplica quanto aos verbos irregulares, que são chamados assim justamente por não manterem essa regularidade. Os verbos regulares da língua portuguesa são divididos em:

  • 1ª conjugação: verbos que possuem a vogal temática -a-:
    • Namorar, estudar, gostar;
  • 2ª conjugação: verbos que possuem a vogal temática -e-:
    • Aprender, viver, receber;
  • 3ª conjugação: verbos que possuem a vogal temática -i-:
    • Fingir, falir, ferir.

São as seguintes as regras para se formar o pretérito imperfeito do indicativo para cada uma das conjugações dos verbos regulares:

  • Pretérito imperfeito do indicativo
    • 1ª conjugação

Eu           radical + ava                     U+2192.svg          Eu and + ava

Tu           radical + avas                   U+2192.svg          Tu and + avas

Ele          radical + ava                     U+2192.svg           Ele and + ava

Nós        radical + ávamos            U+2192.svg          Nós and + ávamos

Vós        radical + áveis                   U+2192.svg           Vós and + áveis

Eles        radical + avam                U+2192.svg        Eles and + avam

    • 2ª conjugação

Eu           radical + ia                        U+2192.svg          Eu com + ia

Tu           radical + ias                     U+2192.svg          Tu com + ias

Ele          radical + ia                       U+2192.svg          Ele com + ia

Nós        radical + íamos               U+2192.svg           Nós com + íamos

Vós        radical + íeis                    U+2192.svg           Vós com + íeis

Eles        radical + iam                  U+2192.svg         Eles com + iam

    • 3ª conjugação

Eu           radical + ia                      U+2192.svg         Eu part + ia

Tu           radical + ias                    U+2192.svg         Tu part + ias

Ele          radical + ia                      U+2192.svg          Ele part + ia

Nós        radical + íamos              U+2192.svg        Nós part + íamos

Vós        radical + íeis                    U+2192.svg         Vós part + íeis

Eles        radical + iam                  U+2192.svg        Eles part + iam

  • Pretérito imperfeito do subjuntivo
    •  1ª conjugação 

Se eu                    radical + asse                 U+2192.svg      Se eu and + asse

Se tu                     radical + asses              U+2192.svg          Se tu and + asses

Se ele                   radical + asse                 U+2192.svg          Se ele and + asse

Se nós                  radical + ássemos        U+2192.svg        Se nós and + ássemos

Se vós                  radical + ásseis              U+2192.svg          Se vós and + ásseis

Se eles                 radical + assem             U+2192.svg         Se eles and + assem

    • 2ª conjugação

 Se eu                    radical + esse                U+2192.svg          Se eu com + esse

Se tu                     radical + esses               U+2192.svg          Se tu com + esses

Se ele                   radical + esse                  U+2192.svg          Se ele com + esse

Se nós                  radical + éssemos        U+2192.svg          Se nós com + éssemos

Se vós                  radical + ésseis              U+2192.svg         Se vós com + ésseis

Se eles                 radical + essem             U+2192.svg          Se eles com + essem

    •  3ª conjugação

Se eu                    radical + isse                    U+2192.svg         Se eu part + isse

Se tu                     radical + isses                  U+2192.svg          Se tu part + isses

Se ele                   radical + isse                    U+2192.svg         Se ele part + isse

Se nós                  radical + íssemos            U+2192.svg         Se nós part + íssemos

Se vós                  radical + ísseis                 U+2192.svg         Se vós part + ísseis

Se eles                 radical + issem                U+2192.svg        Se eles part + issem

Como comentado, essas regras só se aplicam aos verbos regulares. Os verbos irregulares (e anômalos) possuem regras próprias, sofrendo alterações no radical. Confira um exemplo de conjugação do verbo anômalo “ser” no pretérito imperfeito do indicativo:

  • Eu era
  • Tu eras
  • Ele era
  • Nós éramos
  • Vós éreis
  • Eles eram

Perceba que o verbo em questão sofreu profundas alterações em seu radical. Por serem profundas, o verbo “ir” é considerado anômalo, e não se aplica às regras mencionadas anteriormente, uma vez que elas só valem para os verbos regulares.

Confira um exemplo de verbo regular “tentar” conjugado no pretérito imperfeito:

  • Pretérito imperfeito do indicativo

eu          tentava

tu           tentavas

ele         tentava

nós        tentávamos

vós         tentáveis

eles       tentavam

  • Pretérito imperfeito do subjuntivo

se eu     tentasse

se tu      tentasses

se ele    tentasse

se nós   tentássemos

se vós   tentásseis

se eles  tentassem

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content