Tipos de solo – O que é? Formações, Usos e Tipos

Estamos em contato com o solo o tempo todo. É ele que sustenta nossas casas, que alimenta as plantas que vemos nos alimentamos, ou ainda que alimenta os outros animais. Porém, raramente lembramos de sua importância, e ainda menos de que há diferentes tipos de solo.

Os solos são resultado da ação do intemperismo, um fenômeno natural que é o conjunto de processos mecânicos, químicos ou biológicos que fragmenta as rochas. Esse processo leva à composição mineralógica, que juntamente com o tempo de formação determina sua espessura e qualidade.

O que é o solo?

Tipos de solo

O solo é definido como a camada mais superficial da crosta terrestre, sendo resultado da decomposição das rochas por meio do intemperismo, como mudança de temperatura ou ação da maré.

Assim, ele é composto de minerais e matéria orgânica, oriunda da decomposição de plantas e animais.

Formação dos solos

Há diversos fatores ligados à formação do solo que determinam sua espessura e qualidade. Assim, há solos que são mais indicados para certos usos do que outros.

A formação dos solos vem ocorrendo há milhões de anos, sendo um processo contínuo, resultante da decomposição da rocha-mãe, ou rocha matriz.

A ação do intemperismo libera fragmentos que vão se misturando com a matéria orgânica. A porcentagem de cada componente e os fatores, abaixo citados, são determinantes para a formação de diferentes tipos de solos:

  • Clima: quanto maior a temperatura e maior o volume de chuva, mais rápida é a decomposição da rocha-mãe;
  • Relevo: quanto mais inclinado o relevo, maior a ação da erosão e, portanto, maior a decomposição da rocha-mãe [Já tratamos do que é relevo aqui];
  • Organismos decompositores: quanto maior a presença de organismos decompositores, como bactérias, fungos e minhocas, maior a decomposição da matéria orgânica necessária para a formação do solo;
  • Tempo de formação: quanto maior o tempo de intemperismo sofrido pela rocha-mãe, mais espesso será o solo. Solos de formação mais recente são mais rasos;
  • Composição: a composição de minerais e matéria orgânica é o fator que mais influência na fertilidade do solo.

É importante frisar que os solos são geralmente classificados de acordo com sua composição.

Tipos de solos no Brasil

Em função de sua grande extensão, nosso país possui uma grande diversidade de solos, que estão classificados no SiBCS (Sistema Brasileiro de Classificação de Solos).

Os solos mais predominantes são Latossolos, Arginossolos e Neossolos, que juntos cobrem aproximadamente 70% do país. Mas, também há Luvinossolos, Planossolos, Nitossolos, Chernossolos e Cambissolos.

Em função da predominância dos três primeiros tipos, daremos mais detalhes a eles neste artigo. Confira, abaixo, suas principais características:

Tipos de solo

Usos do solo

Em função de suas características, os solos são mais ou menos usados para as atividades humanas. O latossolo, por exemplo, embora apresente baixa fertilidade, é indicado para atividades agrícolas, pois possui boa profundidade e ocorre em terrenos planos, com ausência de pedras e boa drenagem. Com a ajuda de adubação e correção de solo, ele se torna uma ótima opção para agricultura e pecuária.

Já o arginossolo, apesar de ser geralmente mais fértil do que o latossolo, tem capacidade de retenção de nutrientes mais reduzida e maior risco de erosão. Assim, não são indicados nem para a agricultura nem como base de construção civil.

O neossolo geralmente ocorre em terreno declivoso e com baixa profundidade, com eventual presença de pedras. Além disso, é pouco fértil.

É, portanto, mais indicado para áreas de preservação, áreas de reflorestamento ou pastagem.

Tipos de solo

Outras informações

Como pudemos ver, as características dos solos influenciam no tipo de uso econômico ou social para o qual será destinado. Felizmente, inovações na agricultura permitem a fertilização e correção do solo para que este possa ser melhor aproveitado, ou ainda a adaptação de cultivos para que possam sobreviver a solos menos férteis.

Outro aspecto importante é a poluição do solo. O despejo inadequado de resíduos industriais, agrotóxicos e lixo leva à deterioração deste componente tão importante para a sociedade.

É imprescindível o bom uso de práticas agrícolas, bem como manejo adequado de resíduos e o cuidado com o solo para que possamos ter uma sociedade sustentável.

Lembre-se de que substâncias tóxicas incorporadas pelo solo são passadas para as plantas por meio da nutrição, e depois para os animais que consumimos, passando de organismo para organismo na cadeia trófica.


Bruna Manuele Campos

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Leave a Reply