Aranha-marrom – Características físicas, Comportamento, Habitat, Alimentação e Reprodução

As aranhas são animais artrópodes, pertencentes ao grupo dos aracnídeos e à ordem Araneida. As aranhas do genêro Loxosceles são chamadas popularmente de aranhas-marrom e são bem distribuídas globalmente. Recentemente, novas espécies dessas aranhas foram registradas. Assim, o Brasil passou a ter oficialmente 18 espécies de aranha-marrom em seu território. No mundo existem 134 espécies.

Esse grupo de aranhas apresenta porte pequeno, porém seu veneno é classificado como um dos mais perigosos, pois causa necrose do tecido picado, podendo até levar à morte. No Brasil, as aranhas Loxosceles sp. picam cerca de 7 mil pessoas anualmente.

Confira, abaixo, mais detalhes desses pequenos, porém perigosos seres.

Características físicas

As aranhas-marrom, como o nome diz, possuem coloração marrom amarelada e poucos pelos espalhados pelo corpo. Suas pernas são longas e finas e de pequeno porte, medindo aproximadamente 4 centímetros.

Sua característica mais marcante é a silhueta em forma de violino no cefalotórax. Têm um par de quelíceras para inoculação de veneno e, na cabeça, apresentam três pares de olhos perolados.

Comportamento

Apesar do pequeno tamanho, são consideradas as aranhas mais venenosas. No entanto, não apresentam comportamento agressivo, sendo bastante tímidas. A picada ocorre de maneira acidental e, em muitos casos, o machucado só é percebido muito depois do acidente.

São de hábito noturno e geralmente ficam escondidas durante o dia. Dentro das residências, podem permanecer em locais com odores mais fortes. Essas aranhas não constroem teias, forrando o abrigo com seda pegajosa para captura de presas.

Habitat

Esse grupo prefere locais escuros, secos e quentes. Na natureza, pode habitar interiores de cascas de árvores, folhas secas e buracos naturais. No ambiente urbano, são muito comuns dentro e fora de residências. Externamente, podem ser encontradas em meio a telhas e tijolos empilhados e buracos de muros. Internamente, costumam ficar em cantos atrás de armários, quadros, livros e caixas de papelão.

Alimentação

As aranhas são animais carnívoros predadores. A dieta das aranhas-marrom é baseada em pequenos vertebrados, como o tatuzinho de jardim e principalmente os insetos, como formigas e pulgas.

Elas também podem apresentar comportamento canibalista, consumindo pequenos vertebrados mortos pelo veneno.

Reprodução

Assim como os outros aracnídeos, as aranhas-marrom possuem reprodução dioica (com os sexos separados) e realizam fecundação interna. Ocorre a produção de ovos e os filhotes não sofrem metamorfose, nascendo com a aparência de um indivíduo adulto.

Quando o macho atinge a maturidade, o pedipalpo se transforma no órgão copulador, também chamado de bulbo copulador. Esse bulbo é mais ou menos complexo, dependendo do grupo de aranhas, e é responsável pelo armazenamento do esperma e pela realização cópula.

Como acontecem os acidentes com aranha?

Como mencionamos acima, as aranhas-marrom são responsáveis por grande parte dos acidentes com aranhas. No entanto, sua picada é acidental e ocorre em momentos da rotina, como quando nos vestimos ou manipulamos objetos onde elas estejam abrigadas.

O veneno causa dor intensa no local da picada, e pode provocar febre, náuseas, vômito e até morte. A potência do veneno é resultado de suas propriedades anestésicas, hemolíticas (destruindo as células sanguíneas) e proteolíticas (destruindo os tecidos, causando necrose). Como a picada é pouco dolorosa, nem sempre a pessoa percebe de imediato, e a dor inicia várias horas após.

O local atingido pela picada pode apresentar queimação, vermelhidão, mancha roxa, inchaço, bolhas, coceira e endurecimento. Após alguns dias, podem ocorrer outras alterações, como necrose do tecido, dor de cabeça, mal-estar geral, náusea e dores pelo corpo.

O tratamento para a picada é soroterápico, independente da condição de saúde da pessoa ou de sua idade. O soro utilizado é, preferencialmente, antiloxocélico ou o antiaracnídico.

Medidas corretivas ou preventivas

Para evitar a presença dessas aranhas nas residências e em outras áreas urbanas, algumas medidas preventivas podem ser realizadas, por exemplo:

  • Fazer a manutenção dos jardins, aparando e cortando a vegetação excedente;
  • Não plantar bananeiras próximas à residência;
  • Fechar portas e janelas da residência ao entardecer, principalmente em locais com bastante vegetação;
  • Manter fechados armários e gavetas que podem ser utilizados como abrigo por esses seres;
  • Sempre verificar roupas e calçados antes de usá-los, principalmente os que ficam expostos ou espalhados pelo chão;
  • Checar a presença de aranhas em objetos e móveis que tenham sido guardados por períodos prolongados em ambientes escuros.

Bruna Manuele Campos

Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas pela USP (2016 e 2018), tem 25 anos e é apaixonada pela natureza e por explorar o mundo. Quando não está se aventurando por aí, gosta de aquietar as pernas com livros e séries.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content