Vocativo – O que é? Tipos, Exemplos e Exercícios com gabarito

Na língua portuguesa, o vocativo é um termo com o qual nos dirigimos ao nosso interlocutor, invocando-o, chamando-o ou nomeando-o. Ele é considerado um termo acessório da oração, ou seja, ele não é essencial, tanto é que nem é considerado propriamente parte da oração, embora ajude na compreensão do significado dela.

Se você deseja saber tudo a respeito do vocativo, desde o que é até como usá-lo, empregando as vírgulas corretamente, confira este artigo completo que preparamos sobre o assunto!

O que é o vocativo?

O vocativo é um termo de natureza exclamativa usado para invocar, chamar ou nomear alguém em uma oração. Antes de aprofundarmos nossa explicação, vejamos um exemplo prático:

  • Garotas! Vamos mostrar a eles como se faz!

Neste exemplo, o termo em negrito é um vocativo. Ele foi empregado com o intuito de se invocar, chamar ou nomear alguém, nesse caso, as garotas daquele contexto, com as quais a autora da frase está a se comunicar.

Entretanto, perceba que o vocativo não faz propriamente parte da oração, já que não se subordina a nenhum outro termo dela. Consideramos, portanto, o vocativo como uma coisa à parte, que geralmente ocorre isolada do restante da frase.

Isso porque o vocativo é um dos chamados termos acessórios da oração. Termo acessórios são aqueles que, embora sejam completamente dispensáveis da oração, ajudam na compreensão do enunciado.

Se você deseja saber um pouco mais sobre os termos constituintes da oração, inclusive a respeito dos termos acessórios, confira este nosso artigo completo sobre o assunto.

Outro detalhe importante: o vocativo sempre se refere à segunda pessoa do discurso, ou seja, a pessoa com a qual o sujeito da oração fala diretamente. Este interlocutor pode ser real ou imaginário. Veja o exemplo:

  • Amigos, vocês são tudo o que me resta.

Nesse exemplo, o sujeito está dirigindo a palavra diretamente aos interlocutores, que nesse caso são os “amigos”. Ele o faz primeiramente através do vocativo, e posteriormente

O vocativo vem sempre isolado do restante da oração?

Nem sempre o vocativo vem isolado do restante da oração. Veja o exemplo abaixo, que apresenta dois vocativos:

  • Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus! Se é loucura… se é verdade tanto horror perante os céus?!

Em, o primeiro vocativo está isolado do restante da oração. O segundo, entretanto, não está isolado, embora não seja subordinado a nenhum outro termo. Além disso, ele também se relaciona com o sujeito “vós”, apesar de ainda ser um termo independente.

Portanto, o vocativo pode não estar isolado do restante da oração. Porém, ainda assim ele não é subordinado a nenhum outro termo, sendo considerado um elemento à parte.

Uso da vírgula no vocativo

O vocativo sempre precisa ser separado do restante da oração por uma vírgula ou outro sinal de pontuação. A quantidade de sinais dependerá da posição dele na oração.

Quando o vocativo vem no início ou no fim da oração, ele é separado do restante dela pelo emprego de uma vírgula. Por exemplo:

  • José, e agora?
  • E agora, José?

Porém, quando o vocativo está localizado no interior da oração, ou seja, quando ele está intercalado, é preciso que ele possua duas vírgulas: uma antes e outra depois, ficando, portanto, entre vírgulas. Por exemplo:

  • Corra, meu filho, e vá atrás da tua liberdade.

Além da vírgula, outros sinais de pontuação podem ser utilizados. O mais comum deles é o ponto de exclamação, reforçando a natureza exclamativa do vocativo, como no terceiro exemplo mencionado neste artigo. Se quiser se aprofundar sobre o assunto confira o texto completo sobre o uso de vírgulas. 

O vocativo e as interjeições

Outro detalhe que convém mencionar é o de que os vocativos muitas vezes são antecedidos por interjeições. O vocativo, por si só, já possui uma natureza exclamativa: precedê-lo por uma interjeição faz com que ele e a fase, consequentemente, tenham uma ênfase ainda maior.

As interjeições que se relacionam com os vocativos são interjeições de chamamento. A mais comum delas é a interjeição “ó”, como no exemplo abaixo.

  • Não temais, ó pequeno rebanho, porque o vosso Pai agradou dar-vos o reino. (Lucas, 12:32)

É importante não confundir “ó” com “oh”. A primeira, como vimos, é uma interjeição de chamamento. A segunda, por outro lado, é uma interjeição de exclamação, seguida sempre de uma pausa.

Outra interjeição bastante utilizada com vocativos é “olá”. Por exemplo:

  • Olá, companheiro. Como vai?

Alguns outros exemplos de interjeição de chamamento são: salve, alô, ei, psiu, valha-me, ora etc.

Por fim, aproveitando este exemplo, convém mencionar que os vocativos são bastante utilizados durante o dia a dia, em diferentes contextos, ao contrário do que muita gente pensa.

Alexandre Garcia Peres

Alexandre Garcia Peres, formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), gosta de arte, literatura, língua portuguesa, poesia e do seu gato.

Conheça Mais Sobre o Autor

Teste seus conhecimentos sobre Vocativo – O que é? Tipos, Exemplos e Exercícios com gabarito

1) Crianças, saiam já da chuva! Qual é a função do termo em destaque?

  • a) sujeito.
  • b) aposto.
  • c) adjunto adverbial.
  • d) vocativo.

2) Sobre o vocativo, é correto afirmar:

  • a) Termo utilizado para explicar, enumerar, resumir ou especificar outro termo, como um substantivo, pronome, etc., ou outra oração, podendo aparecer antes ou depois do termo ao qual se refere na frase.
  • b) Palavra invariável que exprime emoções, sensações, estados de espírito, etc., além de também poder agir sobre o interlocutor, levando-o a adotar certo comportamento.
  • c) Termo que serve para chamar ou interpelar um interlocutor e não possui relação sintática com outro termo da oração, sendo assim, não pertence nem ao sujeito nem ao predicado
  • d) Palavra invariável que acompanha o nome, qualificando-o. Pode ser usada no lugar de um nome ou referir-se a ele.

3) (FAAP-SP) A expressão em destaque em "... podes partir de novo, Ó nômade formosa!" exerce a função sintática de:

  • a) vocativo
  • b) aposto
  • c) sujeito
  • d) predicativo

4) No exemplo de período simples: “Palmas, capital do Tocantins, é uma cidade jovem”, as vírgulas estão separando:

  • a) o vocativo
  • b) o adjunto adverbial
  • c) o aposto
  • d) a interjeição

5) Assinale a sequência que classifica corretamente os termos das orações em destaque em aposto ou vocativo: I. Marcela, do departamento pessoal, ganhou o concurso de funcionário do mês. II. Brasil, mostra a sua cara! III. Minha irmã, Carolina, foi aprovada no vestibular de Engenharia. IV. Havia muita confusão no momento: gritos, vaias, aplausos. V. A vida, meu amado, não é um conto de fadas.

  • a) aposto – aposto – vocativo – vocativo – vocativo
  • b) vocativo – vocativo – aposto – aposto – vocativo
  • c) aposto – vocativo – aposto – vocativo – aposto
  • d) aposto – vocativo – aposto – aposto – vocativo

6) Assinale a única alternativa que possui um aposto enumerativo:

  • a) O professor de matemática tornou-se referência para a escola.
  • b) Três coisas são fundamentais nos estudos: organização, disciplina e compromisso.
  • c) Ambos são excelentes jogadores, um na defesa e o outro no ataque.
  • d) O sol, farol resplandescente, ressurgia através das nuvens.

7) Os termos em destaque nas orações abaixo são, respectivamente: - Goiânia, capital de Goiás, é uma cidade linda. - Crianças, venham almoçar!

  • a) vocativo; vocativo.
  • b) aposto; vocativo
  • c) vocativo; aposto.
  • d) aposto; aposto.

Deixe seu Comentário

WebGo Content