Fontes de energia – Classificação, Composição e Fontes Renováveis

É certo dizer que sem as fontes de energia não existe economia, emprego, transportes funcionando e tantas outras coisas que nos cercam. Elas são fundamentais para nossa vida em sociedade.

A Revolução Industrial é um dos maiores marcos da história humana. Utilizar máquinas para realizar tarefas de várias pessoas mudou nosso jeito de agir, pensar e consumir. Mas, todo esse processo não funcionaria se não tivéssemos encontrado diferentes fontes de energia.

Conheça, a segui no Gestão Educacional, as classificações e as principais características das fontes energéticas.

Tipos de energia

Classificação das fontes de energia

A energia que usamos para acender uma lâmpada, por exemplo, pode ter origem distinta, pois a eletricidade pode ser concebida de várias maneiras.

Para se ter noção, é importante saber que as fontes energéticas podem ser:

  • Primárias – classifica a energia que tem origem a partir dos recursos naturais; aqui, estão elementos como água, petróleo, gás natural, etc.;
  • Secundárias – é quando se usa um elemento primário para dar origem à energia; o melhor exemplo é utilizar a água para mover o dínamo, e a força mecânica que gera a eletricidade (processo de uma hidrelétrica);
  • Renováveis –nomeia-se assim as fontes de energéticas que conseguem se restabelecer em curto espaço de tempo. A água e o biocombustível entram neste grupo;
  • Não renováveis – são as fontes que demoram a se recompor, excedem o tempo da vida humana; os combustíveis fósseis compõem essa categoria.

energia eolica 2

Principais elementos das fontes energéticas

Vale conhecer um pouco mais dessas fontes de energia, vejamos os principais elementos:

  • Petróleo – é a fonte que movimenta quase todos os meios de transportes; ele dá origem à gasolina;
  • Gás natural – fonte primária e não renovável que é usada na movimentação de máquinas e automóveis e na produção de eletricidade;
  • Carvão mineral – é bastante usado por indústrias siderúrgicas e em termoelétricas;
  • Energia nuclear – é fonte secundária; tem muita eficiência energética, porém levanta muitos debates, pois seus rejeitos provocam impacto ambiental de grandes proporções [Já falamos sobre este tipo, aqui];
  • Hidreletricidade – aqui no Brasil, é a grande responsável pela geração de energia elétrica. Precisa de enormes áreas para represar água e é considerada limpa [Já falamos sobre este tipo, aqui].

Fontes de energia alternativas

A discussão sobre a capacidade de renovação dos recursos naturais para serem usados na produção de energia está sempre em pauta. Vários setores da sociedade buscam soluções para essa possível exaustão da natureza.

Assim, nascem outras fontes energéticas que são tão eficientes quanto as mais usadas. O destaque fica para:

  • Biogás – surge da decomposição de resíduos orgânicos; o seu processo de produção/extração é muito comum em aterros sanitários. Esse material, quando se decompõe, dá origem ao gás metano, que é usado como combustível para máquinas, por exemplo;
  • Energia eólica – a partir de uma turbina eólica, a força do vento é aproveitada para gerar energia elétrica. Usinas de energia eólica têm sido instaladas em áreas litorâneas, onde os ventos são intermináveis. Uma fonte limpa e de muita eficiência [Já falamos sobre este tipo, aqui];
  • Energia solar – recurso cada vez mais usado, principalmente em áreas de considerável radiação solar. Por meio de placas fotovoltaicas, a luz do sol alimenta baterias que fornecem energia elétrica para residências e grandes estabelecimentos [Já falamos sobre este tipo, aqui].

energia solar

 Fontes de energia no Brasil

Aqui no Brasil, temos boa produção de fontes primárias. Em um ranking, há as seguintes posições:

Renováveis:

  1. Energia hidráulica;
  2. Lenha;
  3. Derivados da cana-de-açúcar.

Não renováveis:

  1. Petróleo;
  2. Gás natural;
  3. Carvão mineral;
  4. Urânio.

Essa supremacia da hidreletricidade no conjunto de fontes renováveis se dá pelo potencial das gigantescas bacias hidrográficas em nosso território (Amazônica, Tocantins, São Francisco, Paraná, Uruguai e bacias do Atlântico).

A exploração de recursos não renováveis começou a partir da criação da Petrobrás, na década de 50. De lá para cá, a extração do recurso se modernizou, e hoje o país é um dos principais produtores do mundo. Mesmo assim, enfrentamos muitos problemas com a comercialização dos combustíveis fósseis.

As fontes de energia alternativas também passaram a ser adotas no território brasileiro. Na segunda década dos anos 2000, muitas usinas eólicas passaram a ocupar partes estratégicas do país, para aproveitar a força dos ventos.

Também, tem-se incentivado o uso da energia solar, principalmente nas propriedades rurais, que precisam de eletricidade para mover seus equipamentos para irrigação de lavouras. Hoje, é muito comercializada no país a bomba de água ligada a placas fotovoltaicas.

A tendência é que outras tecnologias surjam e nos proporcionem mais fontes de energia alternativas.

Gostou do conteúdo? Então, confira, também, Tipos de energia – Fontes, Características e Exemplos!

Marcela Mazetto

Jornalista formada pela PUCPR, tem 21 anos e é viciada em música de todos os tipos, livros e séries. Mestre em curiosidades inúteis, está sempre procurando fugir da rotina.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content